Chá preto: tradicional inglês e masala chai

Infusão é o termo utilizado para designar o processo pelo qual se extraem os compostos químicos das plantas através da sua imersão em água, utilizando o calor como acelerador do processo, assim como o líquido resultante. Dentre as infusões mais conhecidas, destaca-se a elaborada a partir dos grãos torrados do cafeeiro: o café.

Para fazer uma infusão de hortelã, erva-cidreira, erva-doce ou capim-santo: ao colher as folhas (de preferência sem tirar dos galhos, para facilitar a limpeza), lave tudo em água corrente. Use uns 10 gramas de folha (isso dá entre 5 e 10 folhas, depende do tamanho) para cada xícara de água. Quando a água estiver borbulhando, jogue as folhas e aguarde uns 5 segundos até que a convecção misture as folhas para baixo. Deixe em infusão por 10 minutos.

Masala chai latte e pão de mel. Foto: ViniRoger
Masala chai latte e pão de mel. Foto: ViniRoger

A palavra “chá” é usada popularmente em Portugal e no Brasil como sinônimo de infusão de frutos, folhas, raízes e ervas contendo ou não folhas de chá. Sendo mais purista, o chá é uma bebida preparada através da infusão de folhas, flores, raízes de planta do chá (Camellia sinensis), geralmente preparada com água quente. Ou seja, se for de outra planta, deve-se chamar apenas infusão ou tisana.

A Camellia sinensis é uma árvore nativa das florestas do nordeste da Índia e sul da China. Esta mesma espécie dá origem a milhares de chás diferentes, de acordo com as condições de cultivo, coleta, preparo e acondicionamento das folhas. No entanto, todos esses produtos podem ser divididos em cinco categorias distintas:

  • chá branco – 0% oxidado, produzido com o broto e as mais tenras folhas, mais raro e caro;
  • chá verde – 0% oxidado, tradicionalmente usado como medicamento na China há milhares de anos;
  • chá amarelo – com processo semelhante ao do chá verde, mas com uma etapa a mais, de amarelamento das folhas;
  • chá oolong – com oxidação entre 15 e 85%, basicamente ficando entre o chá verde e o preto;
  • chá preto – 100% oxidado, conhecido como chá vermelho na China.

Ainda existe o chá escuro, que é o único que passa por um processo de fermentação.

Tradicional chá inglês

O tipo de chá mais consumido no Reino Unido, e por isso considerado o chá comum, é o chamado “black tea“ – ou chá preto. Para seu preparo tradicional, é de costume usar a chaleira (“kettle”, elétrica ou de apitar quando a água ferve) e o bule de chá (“teapot”, de porcelana ou cerâmica). Para fazer 4 xícaras de chá, siga os seguintes passos:

  1. Encha a chaleira com água filtrada (5 xícaras) e leve ao fogo médio até ferver;
  2. Escalde o bule com 1 xícara de água, dando uma mexida e descartando a água;
  3. Coloque no bule uma colher de chá cheia para cada xícara a ser servida – nesse caso, 4 colheres;
  4. Deixe em infusão por no máximo 5 minutos;
  5. Mexa o bule cuidadosamente e sirva em xícaras usando um coador.

Como a imensa maioria dos ingleses toma chá com leite, você pode adicionar “a splash of milk” (ou um pingo de leite, o equivalente a uma colher de chá ou 5 ml) antes ou depois de servir o chá na xícara. Uma das razões para isso é que o leite reduz o amargor do chá e deixa a bebida bem mais cremosa.

Conjunto de chá improvisado para provar chá preto (ao centro) à moda inglesa. Foto: ViniRoger
Conjunto de chá improvisado para provar chá preto (ao centro) à moda inglesa. Foto: ViniRoger

A minoria dos ingleses costuma colocar uma ou duas pedras (ou torrões) de açúcar no chá – cada torrão equivale a 3 gramas ou um pouco mais da metade de uma colher de chá.

Quase todos os chás em saquinhos são misturas. Por exemplo, o chá “Earl Grey” (Conde Grey) é geralmente uma mistura de chás pretos com essência de bergamota (tangerina), enquanto que uma variação dele, o “Lady Grey”, usa cascas de laranja e de limão. O “Prince of Wales” (Príncipe de Gales) tem sabor de castanhas e o “English Breakfast” (Café da manhã inglês) tem sabor incorpado e intensidade média. Essas variações sã exploradas pela mundialmente famosa marca inglesa Twinings, com atividades iniciadas em Londres no ano de 1706.

Masala chai

O nome “masala chai” vem do hindi e significa “chá com especiarias”. É uma bebida do subcontinente indiano e muito comum por lá – como o café. Seu preparo gera uma concentração de cafeína comparável ao café, devido à fervura prolongada das folhas de chá. Várias cafeterias incluem o chai em seu cardápio como chai latte, indicando uma inclusão de leite maior que a do chá inglês. No entanto, o próprio masala chai já vem com bastante leite, o que se pode entender pela sua história.

Na década de 1830, a Companhia das Índias Orientais inglesa tornou-se preocupada com o monopólio chinês do chá. Ele constituía a maior parte do seu comércio e dava suporte ao enorme consumo de chá na Grã-Bretanha. Assim, começaram a plantar chá na Índia e Ceilão.

O consumo do chá dentro da Índia era pequeno até que foi realizada uma campanha promocional agressiva pela companhia inglesa Indian Tea Association no início do século XX. Ela encorajava fábricas, minas e moinhos têxteis a fornecer intervalos para seus trabalhadores tomarem chá, além de dar suporte a diversos “chai wallahs” (vendedores de rua) independentes ao redor do sistema ferroviário crescente.

Nessa promoção oficial do chá, ele era como servido à moda inglesa: com pequenas quantidades de leite e açúcar. No entanto, muitos vendedores independentes adicionavam especiarias e aumentavam grandemente as proporções de leite e açúcar, para reduzir a compra de folhas de chá por volume líquido.

Masala chai com leite separado, especiarias e bolo de milho. Foto: ViniRoger
Masala chai com leite separado, especiarias e bolo de milho. Foto: ViniRoger

Cada região fez uma mistura com diferentes especiarias, em quantidades diferentes e colocados em ordens variadas. Devido às inúmeras variações possíveis, o masala chai pode ser considerado como uma classe de chá ao invés de um tipo específico de chá. Entretanto, todos os masala chai possuem os seguintes quatro componentes básicos: chá (principalmente o preto), adoçante (geralmente açúcar), leite (integral) e especiarias (geralmente cardamomo, gengibre, anis, pimenta e cravo).

Ingredientes

  • 2 xícaras de água
  • 1 xícara de leite integral
  • 12 unidades de pimenta-do-reino (quando moída, deve ocupar 1/2 colher de chá)
  • 6 unidades de cardamomo (quando moída, deve ocupar 1/2 colher de chá)
  • 6 cravos (quando moída, deve ocupar 1/2 colher de chá)
  • 1 pau de canela (quando moída, deve ocupar 1/2 colher de chá)
  • 1 fatia de gengibre (quando moída, deve ocupar 1/2 colher de chá)
  • 2 colheres de sopa de açúcar mascavo
  • 2 colheres de chá (ou 2 saquinhos) de chá preto

Preparo

  1. Ferva a água em uma panela em fogo médio
  2. Com um pilão, esmague as especiarias
  3. Adicione todos os temperos à água e deixe ferver por 8 a 10 minutos em fogo médio
  4. Adicione o açúcar e o chá preto, desligando o fogo em seguida
  5. Deixe descansar por 3 minutos e coe para outro recipiente
  6. Ferva o leite – se quiser, espere esfriar um pouco e espume com um mixer ou um liquidificador
  7. Adicione o leite quente ao chá quando servi-lo em xícaras, polvilhando uma pitada de canela em pó por cima

Em vez de desligar o fogo no passo 4, você pode mentê-lo ligado enquanto deixa o açúcar e o chá fervendo junto com a água, para extrair mais cafeína – nesse vídeo, um indiano faz assim, e ainda coloca 2 folhas de manjericão. A adição do leite fica a gosto no final. Sua função é deixar o gosto mais suave, mas se colocar muito leite pode tirar demais o gosto.

Fontes

Compartilhe :)

2 comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.