Origem de palavras da atmosfera

A etimologia é o estudo da origem das palavras. Uma das formas de se pensar as palavras é compará-las a um ser vivo: nascem, se desenvolvem, têm um apogeu e muitas vezes morrem, caindo em desuso ou desaparecendo – às vezes juntamente com o idioma inteiro. Compreendendo a origem da palavra, fica mais fácil compreender seu significado.

Uma palavra pode ser dividia em partes, como o radical (estrutura básica da palavra, que contém o significado), o prefixo (vem no início da palavra) e o sufixo (no final da palavra). Na cultura ocidental, é muito comum que as palavras e suas partes tenham origem no idioma grego ou no latim, e sabendo o significado de alguns sufixos e prefixos, é possível inferir o significado de muitas palavras. Veja mais sobre estrutura e formação das palavras no post do link.

Por exemplo, a palavra Meteorologia vem do grego “meteoros”, que significa “o que está no ar, por cima de nós”, e do sufixo “logia”, formado do grego “lógos” que significa “estudo” – desse jeito, agora você não erra mais escrevendo “Metereologia”. Nos nome de equipamentos de medidas meteorológicas, é comum encontrar o sufixo grego “-metro” para equipamentos que realizam medições quantitativas, “-grafo” para medições que são registradas/gravadas e “-scópio” para observações qualitativas.

Voltando um pouco mais, a palavra meteoro vem do grego “metá”, que significa “além, mais adiante” e “aeirô”, “elevo, levanto no ar”. Assim, “meteoro” tem o significado básico de “qualquer fenômeno natural que se manifeste na atmosfera” – por sua vez, atmosfera vem do latim moderno “atmo” que significa “vapor/névoa”, e “sphera”, de “esfera/globo”. Ela também pode estar relacionada ao fenômeno luminoso de um fragmento de material que vagueia pelo espaço e entra na atmosfera, que brilha ao aquecer-se via atrito com as moléculas da atmosfera. O nome do fragmento de material em si é meteoroide; caso ele já esteja na superfície, é chamado de meteorito.

Outra palavra formada com o radical “meteoro” é meteorismo: nome dado à formação de gases nos intestinos.

A palavra nuvem tem origem no latim “nubes” (não é “nudes” :P). Como na antiga Roma já havia o costume de a noiva usar véus cobrindo o rosto durante a cerimônia de casamento, e estes eram de material translúcido como as nuvens, formou-se o verbo nubere: “contrair matrimônio, casar”. Dessa palavra, se formaram núpcias (casamento), núbil (apto para casar) e nubente (pessoa que está por casar).

De nubes, se formou também a palavra nubifrágio (junto com “frangere”, com uso “partir/quebrar/romper”), significando “aguaceiro/chuva forte”. É como se a própria nuvem tivesse se partido e derramado toda a sua carga de repente. Nubívago (junto com “vagare”, “vagar/deslocar-se sem destino”) significa “pessoa que vive nas nuvens”. Tem como sinônimo nefelibata, com origem do grego “nephele” (nuvem) e “batha” (o que anda).

Algo nebuloso é uma coisa que não se pode distinguir direito porque está meio oculto, e a origem dessa palavra também está relacionada com nuvem. Neblina vem de “nebula”, diminutivo de “nubes”, em alusão à sensação de se estar numa nuvem quando estamos em meio à neblina – e na verdade estamos mesmo, pois a neblina é uma nuvem do gênero stratus formada junto ao solo. Dentre os sinônimos de neblina, estão a palavra cerração (do Latim “serare”, “fechar, cerrar”, pois a visibilidade fica restrita) e nevoeiro (termo técnico do fenômeno, derivado de névoa, que também tem origem no latim nebula).

Neve tem origem no latim “nix”/”nivis”. Chuva vem direto do latim “pluvia”. Tempestade vem do Latim “tempestas”, que além de “mau tempo” significava “época/lapso de tempo” – uso esse que não é mais considerado.

Trovão vem do latim “turbare”, que significa “confundir/perturbar”. Já relâmpago vem do latim “re-“+”lampadare” (pelo verbo grego “lampein”, “brilhar”, que origina a palavra lâmpada) como um brilho “re-brilhado”. A palavra raio vem do latim “radium”, que significa “linha/traço/risca” e se referia ao caminho que a descarga elétrica percorre no ar.

Esses e outros termos têm sua origem explicada em dicionários etimológicos e no site Origem da palavra.