Investimento em criptomoedas

Uma criptomoeda (também chamada de moeda virtual) é um meio de troca que se utiliza da tecnologia de blockchain e da criptografia para assegurar a validade das transações e a criação de novas unidades da moeda. A blockchain (ou cadeia de blocos) pode ser comparada a um livro-registro distribuído em uma rede ponto-a-ponto (peer-to-peer) de milhares computadores, onde todos possuem uma cópia igual de todo o histórico de transações, com o objetivo de impedir que uma entidade central promova alterações no registro (ou no software) unilateralmente sem ser excluída da rede.

Imagem ilustrativas de diferentes criptomoedas (não possuem equivalente físico). Fonte: Pixabay

Uma das primeiras moedas digitais foi a Digicash, criada por David Chaum em 1989, que depois foi vendida e descontinuada. Foram feitas outras tentativas, como a Hashcash, E-gold e Bitgold. O Bitcoin (BTC) foi a primeira criptomoeda descentralizada criada, em 2009 – veja mais no post sobre Bitcoin. Depois, vieram outras moedas (também chamadas de “altcoins”), com diferentes algoritmos e finalidades.

Uma nova criptomoeda pode surgir de duas formas: por meio de um hard fork (um tipo de atualização, seguindo para um novo caminho diferente do original) ou de um ICO (lançamento de uma nova moeda digital). Cada moeda digital representa um avanço tecnológico específico e tem objetivos diferentes, muitas vezes, de complementar alguma deficiência do bitcoin.

A partir de 2014, uma 2.ª geração de criptomoedas surgiu, com funcionalidades avançadas como endereços escondidos e contratos inteligentes. Já existem centenas de moedas: algumas com propósitos bem definidos, comunidade atuante e crescente volume de negócios, outras sem muito futuro. Veja algumas das principais (com sigla e ano de lançamento):

  • Litecoin (LTC – 2011): inspirada e quase tecnicamente semelhante a Bitcoin. Dentre suas diferenças, estão o processamento de um bloco cada 2,5 minutos (em vez de cada 10 minutos), a produção 84 milhões de litecoins no total (quatro vezes mais unidades do que a rede Bitcoin) e função hash criptográfica Scrypt (em vez de SHA-256).
  • Namecoin (NMC – 2011): um fork do Bitcoin, mas possuindo sua própria blockchain. Foi criada como uma tentativa de formar um DNS descentralizado.
  • Peercoin (PPC – 2012): primeira a usar de maneira híbrida a prova de trabalho (protocolo criado originalmente para a prevenção de ataques cibernéticos mas depois também usado para evitar o problema do duplo gasto) e a prova de participação (um nó deve provar que possui acesso a uma certa quantidade de moedas antes de ser aceito pela rede, ao invés de resolver algum trabalho)
  • Ripple (XRP – 2012): adotado pelos bancos e redes de pagamento como tecnologia de infra-estrutura de liquidação
  • Aeon (AEON – 2014): lançada pela Aeon Core Team, é a primeira moeda não rastreável orientada a baixa fidelidade.
  • Ethereum (ETH – 2015): é também uma plataforma de computação compartilhada e de código aberto, concebida para programar acordos vinculativos dentro do próprio blockchain; tornou-se um recurso popular de contrato inteligente, o smart contract, que permite executar contratos de trocas sem um intermediário que autentique o processo.
  • Dash (DASH – 2014): adiciona privacidade às transações através de uma mistura de moedas descentralizada chamada Darksend.
  • Monero (XMR – 2014): criada pela Monero Core Team, é mais uma riptomoeda centrada em privacidade usando o protocolo CryptoNote.
  • Zcash (ZEC – 2016 ): usa o Pagamento Anônimo Decentralizado do protocolo Zerocash (veja mais no post O que é ZCash)

Até agora, a validação das transações na rede Ethereum é feita de forma similar à do bitcoin, por meio do mecanismo de Proof-of-Work (PoW), no qual o minerador é remunerado de acordo com o poder de processamento. Sua nova versão implementará um fork chamado Byzantium, que inclui benfeitorias significativas na capacidade de escala, privacidade e segurança da rede, em que o sistema de mineração é virtual. Essa etapa deve ser concluída em 2018, que fará a substituição gradual do PoW por um novo mecanismo de validação baseado em Proof-of-Stake (PoS).

Você pode comprar e vender criptomoedas diretamente com outra pessoa ou através de uma exchange, que é uma casa de câmbio em que os usuários compram e vendem moedas digitais. A abertura e a manutenção de uma conta nas exchanges não implicam custo algum. No entanto, são cobradas taxas de depósito e saques em dólares ou reais, de compra e venda de criptomoedas e de depósito e retirada em moedas digitais para enviá-las da carteira à corretora ou da corretora à carteira, por exemplo.

Atualmente o mais comum é abrir conta em uma exchange brasileira (Mercado Bitcoin e Foxbit estão entre as maiores e mais populares) para converter reais em bitcoins. Depois, abrir uma conta em outra exchange (estrangeira) para transferir os bitcoins para lá e então adquirir essas e outras altcoins.

O Aeron (ARN) tem como objetivo melhorar da segurança da aviação usando tecnologia blockchain, através do registro das atividade de aviação no mundo todo em um sistema de registro descentralizado. O foco é eliminar a possibilidade de perda, distorção ou falsificação de dados vitais do registro, reduzindo significativamente o risco de acidentes fatais. As informações são transparentes e podem ser visualizados por todos os usuários e autoridades.

O piloto deve possuir um aplicativo (instalável em um smartphone) para registro de suas horas de voo. A base de dados global pode ser acessada pelo site aerotrips.com. O aplicativo da companhia aérea serve como registro e verificação cruzada de dados de operadores de solo, operadores de aeronave, organizações de manutenção e outras fontes. Em caso de incompatibilidade de dados entre qualquer fonte de dados da Aeron com o controle de tráfego aéreo, as autoridades de aviação podem rapidamente detectar e sanar o problema (como operar com uma licença vencida).

O sistema on-line baseia-se no banco de dados Aeron, construído em uma blockchain compatível com a Ethereum (ERC20) para rastrear registros de registros de aeronaves e de pilotos. O ARN é um token para permitir o desenvolvimento de um ecossistema próspero e auto-sustentável em torno do banco de dados e dos titulares de token. Ele pode ser usado também como um meio de pagamento para cartas de avião pequenas ou vôos de lazer promocionais, com proprietários de aeronaves se inscreveram para acordos de parceria com a Aeron. Mais informações no “White Paper” do Aeron.

A rede Aeron beneficia-se vendendo os tokens gerados e vendidos inicialmente ou ainda a vender (o total é fixo em 100 milhões de ARNs), comissões nas transações e inscrições. Os proprietários dos tokens podem liquidar sua posição e se beneficiarem do crescimento do valor de mercado simbólico. Como foi lançado em 2017, ainda são poucas pessoas e exchanges (empresas que fazem a intermediação através da venda em reais) que possuem. Para comprar ARNs, é preciso primeiro adquirir alguns bitcoins e então transferi-los para uma outra exchange que comercialize o Aeron – uma lista delas pode ser vista no site 101coins. Seu preço e outras informações pode ser acompanhado no Coinmarketcap – Aeron.

Trading

Apesar da função principal de uma moeda é a de servir como meio de troca por produtos e serviços, é recorrente o comércio moedas como se elas fossem o produto em si. A compra e venda de instrumentos financeiros, tais como ações, títulos, commodities, derivativos financeiros, entre outros, com o objetivo de obter lucro, é conhecido como trading (do inglês “negociação”). São aplicadas análises técnicas (gráficos e projeções), fundamentais (da instituição que controla a moeda), macroeconômicas (contexto de políticas públicas e eventos sociais que possam influenciar) e estratégias específicas para operar.

Descrição das “candles”. Fonte: Bússola do investidor

A Candlestick (candelabro em inglês) é uma técnica de análise gráfica de mercado. Sua análise se faz através da identificação de “figuras” formadas pelos “candles” (velas) em determinado ponto para avaliar a tendência de mercado. Eles contêm a variação de preços de um determinado ativo em uma unidade de tempo. O post Como Interpretar o Gráfico de Candlestick dá mais informações.

Alguns sites disponibilizam gráficos que permitem acompanhar a evolução do preço de diferentes criptomoedas – alguns até com previsão:

Mais alguns sites, com notícias e artigos sobre o mundo das criptomoedas:

O site LocalBitcoins permite comprar e vendar diretamente, sem exchanges intermediando.

ICO

Do inglês Initial Coin Offering (ICO), a oferta inicial de moedas é um meio não regulamentado pelo qual um novo empreendimento ou projeto de criptomoeda pode arrecadar fundos vendendo moedas “recém-cunhadas”. A prática é frequentemente usada por startups, para evitar o rigoroso e regulamentado processo de captação de capital exigido por investidores de risco ou bancos.

É bem semelhante à oferta pública inicial (ações de uma empresa são vendidas ao público em geral numa bolsa de valores pela primeira vez) e financiamento coletivo ou crowdfunding (obtenção de capital através da agregação de múltiplas fontes de financiamento, em geral pessoas físicas interessadas na iniciativa). Nas ICOs, os patrocinadores são motivados por um retorno prospectivo em seus investimentos, enquanto que no crowdfunding os fundos arrecadados são basicamente doações.

Assim que o projeto ligado ao ICO é concluído e lançado, a criptomoeda é listada em uma exchange e você pode vender, trocar ou simplesmente guardar suas moedas em uma carteira.

A Winding Tree trabalhou com ICO. Visando criar uma plataforma de distribuição de viagens mais moderna que os sistemas criados décadas atrás, a startup realizou a venda de “Lif tokens”, convertidos depois de um tempo para ETH.

Alguns links para acompanhar ICOs:

Conclusão

O Fórum Bitcointalk tem a discussão de vários temas relacionados a Bitcoin e outras criptomoedas.

Como é um investimento de risco, separe parte do patrimônio que pode perder. Separe esse montante em quantidades para realizar compras em diferentes momentos do mercado, para não comprar tudo em um momento que o valor estava razoável mas perder uma boa oportunidade de queda depois, com o valor mais baixo. Veja mais dicas de investimento e de planejamento financeiro clicando nos links.