Azul Linhas Aéreas

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras foi fundada em 2008, sendo atualmente (2014) a terceira maior companhia aérea brasileira em número de passageiros transportados e frota, e a maior em número de destinos servidos (104 em todo o território nacional), e a partir de 2015, voando também para os Estados Unidos. Em 2012, foi anunciada a fusão da companhia com a TRIP Linhas Aéreas, que foi aprovada pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) no ano seguinte.

Avião Embraer (acima, com pintura celebrando uso de biocombustível) e ATR (empenagem com pintura da TRIP) da Azul. Fotos: ViniRoger.

Avião Embraer (acima, com pintura celebrando uso de biocombustível) e ATR (empenagem com pintura da TRIP) da Azul. Fotos: ViniRoger.

Criada e comandada por David Neeleman, norte-americano nascido no Brasil, também foi o fundador da companhia JetBlue, empresa aérea regional dos Estados Unidos. A intenção inicial era de ter uma frota composta exclusivamente de Embraer E-Jets. Porém, em 2009, sentindo a necessidade de atender cidades menores com voos de pequenas distâncias, encomendou aviões ATR-72, que entraram em operação a partir de 2010. A Azul concentrou seus esforços no aeroporto de Viracopos, que já possuía uma boa infraestrutura por ter sido o aeroporto internacional de São Paulo antes da abertura de Cumbica.

A maioria dos aviões da Azul possuem um sistema de TV ao vivo a bordo com uma programação de 36 canais. O sistema é oferecido em parceria com a SKY e a programação é transmitida, via satélite, para as aeronaves. Os monitores são individuais, e cada passageiro pode controlar sua programação – o som é fornecido através de fones de ouvidos dados como brinde, para o passageiro trazê-lo em novas viagens. O serviço de bordo é composto de snacks doces, salgados e bebida (clique no link para ver os lanches da Azul).

A Azul tem uma rede de ônibus executivos gratuitos para traslado de algumas cidades para alguns aeroportos que opera e vice versa. Veja mais informações dos ônibus e o mapa de rotas com os destinos da azul clicando nos respectivos links. Novidades e promoções podem ser vistas no Blog da Azul.

Veja uma foto do cartão de embarque de check-in manual (2014) emitido em Rio Branco (RBR) com destino final Campinas (VCP) devido a uma queda de energia na madrugada anterior. O voo teve escala em Porto Velho (PVH) e conexão em Cuiabá (CWB), onde houve a troca de aeronave. “Stand by” é um benefício concedido a funcionários (e alguns de seus familiares) da companhia: podem voar pagando somente a taxa de embarque, mas devem esperar todos os passageiros embarcarem e torcer para ter lugar sobrando no voo. Veja mais sobre os bastidores do voo e dos aeroportos clicando no link.

Ticket frente e verso de check-in manual. Foto: ViniRoger.

Cartão de embarque frente e verso de check-in manual. Foto: ViniRoger.

TRIP

A TRIP Linhas Aéreas S.A. (1998-2013) foi a maior companhia aérea regional da América Latina. Fundada por José Mário Caprioli, que é o atual COO (Chief Operating Officer) da Azul. Suas primeiras aeronaves foram 2 Embraer 120 (Brasília), com capacidade para 30 passageiros, oriundos da TOTAL Linhas Aéreas. A companhia encontrou seu sucesso operando a rota Natal – Fernando de Noronha – Recife. Em 2005 a companhia assumiu a rede de rotas da Rico Linhas Aéreas, no Amazonas, expandido sua malha. Em 2007, adquiriu também a Total Linhas Aéreas. Como consequência da fusão com a Azul, a TRIP Linhas Aéreas deixará de existir, herdando a Azul todas as aeronaves e rotas da empresa.

Internacionalização

Após o último passo para a integração da TRIP Linhas Aéreas e seus funcionários, a Azul retomou seus planos pré-fusão, entre eles o processo de internacionalização e expansão da companhia. Entre os planos, estão incluídos a compra de aeronaves maiores, como os Airbus A330, para o início dos voos internacionais da companhia, inicialmente para os EUA: Nova York, Orlando e Fort Lauderdale, na Flórida, hubs da JetBlue. A partir desses destinos, oferecer conexões para outras regiões dos Estados Unidos, através de acordo com a JetBlue.

Em 2015, o consórcio Atlantic Gateway, formado pela DGN Corporation, empresa de David Neeleman, fundador da brasileira Azul, e pela HPGB, do empresário Humberto Pedrosa, adquiriu 61% do capital da companhia aérea portuguesa TAP.

Em 2016, a Azul fez o primeiro voo de Viracopos direto para Lisboa. A companhia também voa para Caiena (Guiana Francesa) e Montevidéu (Uruguai).

Aviões

  • Embraer 175, 190 e 195 – Após o sucesso alcançado pelos jatos regionais ERJ-145, a fabricante brasileira apostou no desenvolvimento de uma nova família de aeronaves, com capacidade entre 70 e 90 passageiros, ampliado depois para 110 passageiros, com o Embraer 195. Optou-se por começar o desenvolvimento do zero, o que transformou os E-Jets, como são conhecidos, na primeira família desenvolvida após os Embraer EMB-120 Brasília, já que os ERJ são baseados na fuselagem deste. A TRIP foi a primeira empresa aérea brasileira a utilizar o Embraer 175, um avião de sucesso mundial na aviação regional.
Interior de aeronave Embraer da Azul com snacks e sucos oferecidos no serviço de bordo. Fonte: Melhores destinos.

Interior de aeronave Embraer da Azul com snacks e sucos oferecidos no serviço de bordo. Fonte: Melhores destinos.

  • ATR 42-500, 72-500 e 72-600 – O ATR é uma aeronave de médio-porte e propulsão turbo-hélice combinada com asas altas, cujo projeto é voltado para a utilização tipicamente civil, no transporte regional de passageiros em rotas curtas e médias.
  • Airbus A330-200 e A350-900 – Os A330 irão realizar voos domésticos de longa distância e internacionais para os Estados Unidos a partir de 2015, e com os A350 a Azul pretende iniciar serviços intercontinentais para a Europa a partir de 2017. O primeiro A330, que chega em junho de 2014, veio da companhia Gulf Air, do Bahrein, e contará com duas classes de serviço.
Torre do aeroporto de Teresina visto do interior de um avião Embraer. Foto: ViniRoger.

Torre do aeroporto de Teresina visto do interior de um avião Embraer. Foto: ViniRoger.

Veja mais características destes e outros tipos de aviões utilizados por empresas aéreas nacionais clicando no link Principais aeronaves comerciais.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.