Bastidores do voo

O que os funcionários de uma empresa aérea ou de um aeroporto fazem durante a decolagem, voo e pouso de uma aeronave? O que acontece nos bastidores do voo? Imagine a equipe de solo trabalhando como um pit-stop de Fórmula 1: trabalhando em várias aeronaves de modo a deixar tudo em ordem no menor tempo possível e com máxima qualidade, cada um realizando sua tarefa. Em aeroportos mais movimentos, por volta de 16 pessoas divididas em pelo menos quatro equipes trabalham simultaneamente no mesmo avião (limpeza, combustível, comida e bagagens) durante um período de até 20 minutos. Tudo seguindo regras estabelecidas por órgãos internacionais de aviação e pela vigilância sanitária, com multa para quem não cumprir.

Veja a seguir um vídeo produzido pelo Portal Brasil contendo alguns procedimentos explicados no texto a seguir. No final tem mais dois vídeos: um da revista VejaSP mostrando os bastidores do voo do ponto de vista do pessoal de solo e outro, da TV TAM nas nuvens, do ponto de vista da tripulação.

Pouso

Alguns minutos antes do pouso, a torre informa ao piloto e à companhia aérea qual o número da vaga que o avião deverá ocupar no aeroporto. Assim que as equipes de manutenção sabem onde ele vai parar, seguem para o respectivo “envelope” (área próxima ao bico da aeronave onde podem aguardar até ter autorização para começar a operação). O mecânico da companhia aérea ajuda o piloto a parar o avião no lugar certo e coloca um calço na roda dianteira. Depois de estacionar, o piloto desliga a turbina e o “pisca-pisca” do sistema de anticolisão. Quando está tudo pronto e o embarque concluído, o piloto pede autorização para decolar. Decolagem autorizada, é hora de entrar em ação o trator de pushback, que empurra o avião de volta à pista.

porao_malasBagagens

A mala que você despacha no check-in segue por uma esteira até o pátio do aeroporto, onde vários funcionários fazem uma triagem. Eles distribuem as malas em diferentes carrinhos, um para cada avião. Quando a companhia encerra o check-in de um voo, o carrinho com a bagagem dele segue para o avião. Assim que a turbina é desligada, a equipe de descarga abre os porões, como são chamados os bagageiros do avião. Eles identificam as malas que devem descer pela etiqueta colada na alça e transferem-nas para o carrinho, que segue para o setor de desembarque. E, então, enchem os porões com as malas que vieram do check-in. No setor de desembarque, outra equipe está a postos, aguardando o carrinho que traz as malas do avião. Quando ele chega, esses funcionários transferem a bagagem para uma esteira, que corre da área externa para a área interna do aeroporto, indo diretamente aos passageiros.

O tamanho e o número de porões em uma aeronave muda de acordo com o modelo. Mas eles ficam sempre sob os passageiros e são iguais dos dois lados, para manter o equilíbrio do avião. Pelo menos um dos porões tem controle de temperatura e pressão, para levar materiais sensíveis e animais vivos.

Limpeza

O pessoal da limpeza só pode entrar no avião quando o último passageiro desembarca. Então eles têm de cinco a dez minutos para fazer o seu trabalho, antes de começar o próximo embarque. Duas pessoas seguem para a cabine para catar todo o lixo deixado nas poltronas e no corredor. No caso de vômito, aplicam desinfetante e bactericida e, se necessário, trocam a almofada do assento. Uma pessoa se dedica exclusivamente ao banheiro: troca o papel, passa desinfetante e recolhe o lixo em uma sacola branca, para não confundir com o resto do lixo, pois deverá ser incinerado devido ao maior risco de contaminação. Por fim, entra em ação um carrinho com uma bomba de ar e dois reservatórios: um com água potável e outro para recolher o esgoto. Ele suga o esgoto e manda água para o banheiro. Em seguida, injeta no reservatório da latrina a mesma substância usada em banheiros químicos para evitar bactérias e mau cheiro

Abastecimento

As empresas responsáveis pelo combustível mantêm postos de abastecimento dentro do aeroporto, longe da pista, onde guardam centenas de milhares de litros. Quando a companhia aérea pede o abastecimento de um avião, é dali que os caminhões-tanque tiram o combustível. O caminhão-tanque filtra o combustível para evitar que sujeiras passem para o avião. Então conecta a mangueira sob uma das asas, onde ficam os tanques, e transfere o combustível. A quantidade deve ser calculada pelo despachante operacional de voo (DOV) para ser minimizada, de modo a economizar combustível e levar menos peso.

O combustível usado por aviões de grande porte é um querosene especial, feito especialmente para motores de turbina. Entre suas características principais está o fato de ele não congelar nem mudar de viscosidade e rendimento em grandes altitudes, onde a temperatura e a pressão são baixas.

Comida

A comida servida no avião é preparada em uma cozinha industrial, muitas vezes instalada dentro do aeroporto. No cardápio, nada de comidas pesadas nem que dêem gases e, por medida de segurança, o piloto e o co-piloto não comem o mesmo prato. A comida segue para os aviões em caminhões especiais, com uma caçamba que sobe até a porta do avião. Ela traz os trolleys (carrinhos com rodas usados no serviço) com até 56 bandejinhas cada um. Além dos trolleys com comida, alguns caminhões também levam bebidas, material descartável, jornais e revistas. A comida quente é aquecida no próprio avião. Ela não chega dentro das bandejinhas, mas, sim, em grades que se encaixam no forno. Todo o procedimento de preparação do rango acontece no galley (área de trabalho dos comissários). Ali ficam o forno e o espaço para encaixar os trolleys, maletas de comida quente e acessórios.

Pilotagem

A cabine de pilotagem (em inglês, cockpit) é uma zona situada na frente de um avião, onde os pilotos controlam o mesmo. Dependendo do tipo de aeronave, pode albergar mais do que um piloto, podendo assim ter espaço para um copiloto, um navegador e um engenheiro de voo (essas duas últimas profissões estão restritas a aeronaves mais antigas).

Painel de uma aeronave "mais simples".
Painel de uma aeronave “mais simples”.

O cockpit inclui uma série de instrumentos de voo, tais como o velocímetro, horizonte artificial, altímetro, climb, giro direcional, turn and blank, RPM, instrumento do motor, VOR e ADF a manche ou Sidestick, coordenadora do avião, os pedais, os links radiais, o ILS, as manetes de mistura, RPM e potência, alavanca de flaps, carburador, as lights, magnetos e compensadores, engate da chave, botão de start e em alguns casos duas telas full screens. Veja o vídeo abaixo explicando um pouco do que acontece na cabine durante os procedimentos de voo:

Centro de Controle Operacional

DOV (Despachante Operacional de Voo) – responsável por planejar e acompanhar os voos, através da devida documentação, quantidade de combustível, peso a ser carregado, condições meteorológicas, rota e limitações dos aeroportos.

Execução e Coordenação de escala de tripulantes – organizam as horas trabalhadas e a serem trabalhadas pela tripulação, conforme regulamentação vigente.

Coordenação de voos – planejar e coordenar a malha aérea com o menor impacto no custo, pontualidade e regularidade.

MCC (Centro de Controle de Manutenção) – quando uma aeronave apresenta um comportamento diferente do normal, esses tripulantes estão aptos a auxiliar pilotos e copilotos a resolver a situação, seja no ar ou em terra.

Suporte aos aeroportos – núcleo de atendimento ao cliente que aconselham o gerente da base em contingência sobre novos horários de voos.

Fonte

Veja mais detalhes e fotos nessa reportagem do G1 acompanhando os preparativos de um voo da Emirates.