Cemitério de aviões

Como o espaço dos aeroportos é reduzido e o aluguel de hangares elevado, os proprietários dos aviões recorrem aos cemitérios. Chamados em inglês de “Aircraft boneyard” (ou “Aircraft graveyard”), são locais amplos, com pistas homologadas e em condições operacionais, com estrutura de manutenção (grande parte ainda recebe manutenção, como lubrificação e acionamento esporádico dos motores). Quase sempre são longe de cidades, onde o terreno é mais barato, e em áreas desérticas, já que a baixa umidade favorece a conservação dos equipamentos. Também ficam longe do mar, para evitar a maresia, e possuem solo alcalino e compacto, evitando construção de pavimento.

Base Aérea de Davis-Monthan. Fonte: Aero Magazine.
Base Aérea de Davis-Monthan. Fonte: Aero Magazine.

O mais famoso cemitério de aviões do mundo está localizado na Base Aérea de Davis-Monthan, no Deserto de Sonora em Tucson (Arizona). Lá funciona o 309º Grupo de Manutenção e Reciclagem Aeroespacial (AMARG). Pertence ao governo dos Estados Unidos, tem área de 10 milhões de m² e atualmente abriga cerca de 4.400 aeronaves civis e militares.

Aviões militares e civis ocupando o AMARG em Tucson-Arizona. Fotos: Carlos Morales.
Aviões militares e civis ocupando o AMARG em Tucson-Arizona. Fotos: Carlos Morales.

Próximo, está o Pima Air & Space Museum, um dos maiores museus de aeronaves do mundo. Sua coleção contém mais de 300 aeronaves históricas, incluindo bombardeiros, aviões de carga, helicópteros e aeronaves comerciais. De lá que sai um ônibus para um tour no “boneyard”.

Outros grandes cemitérios de aviões são listados aqui.