Washington, D.C.

A cidade de Washington e o Distrito de Columbia (D.C.) são coexistentes entre si, governados por um único governo. Washington foi nomeada em homenagem ao primeiro Presidente dos Estados Unidos, George Washington, enquanto que o termo District of Columbia deriva de um antigo nome poético dos Estados Unidos, Colúmbia. Foi formado através de terras cedidas pelos Estados de Maryland e Virgínia, às margens do rio Potomac. Em 1847, a região que fora cedida pela Virgínia foi devolvida, quase a totalidade dessa área compõe atualmente o Condado de Arlington.

A construção de Washington iniciou-se em 1792, sendo inaugurada em 1800, no mesmo ano em que tornou-se a capital norte-americana. George Washington contratou Pierre Charles L’Enfant, um engenheiro francês, para a criação planejada da cidade. Abriga as sedes dos três braços do governo dos EUA (Legislativo, Executivo e Judiciário), as sedes do Fundo Monetário Internacional, do Banco Mundial e da Organização dos Estados Americanos, entre diversas outras instituições nacionais e internacionais.

O National Mall foi planejado e construído no início do século XX, numa enorme área verde entre o Capitólio e o Monumento de Washington. A maioria dos principais prédios governamentais e museus ficam junto a ele ou em seus arredores. O sistema de metrô é amplo e eficiente, cuja cobrança é feita através de um cartão (comprado e carregado em máquinas automáticas) conforme a distância percorrida e o horário utilizado (ou seja, deve-se bater o cartão no sensor na entrada e na saída para realizar o pagamento).

Capitólio

Prédio que serve como centro legislativo do governo dos Estados Unidos, formado pelo Senado (câmara alta, localizado na ala norte) e pela Câmara dos Representantes (câmara baixa, ala sul). Acima destas câmaras encontram-se galerias a partir das quais os visitantes podem assistir as sessões. Sua cúpula possui 88 metros e a Estátua da Liberdade no topo. O domo do prédio tem várias obras de arte, incluindo o domo com o afresco “A Apoteose de Washington” (representando a guerra, a ciência, a marinha, o comércio, a mecânica e a agricultura) e os corredores.

Capitólio. Foto: ViniRoger

O prédio fica próximo ao prédio da Suprema Corte, a autoridade jurídica suprema dentro do país para interpretar e decidir questões quanto à lei federal. No subsolo também existe um trem que liga várias partes do prédio, além de um túnel para o edifício mais antigo da Biblioteca do Congresso.

Biblioteca do Congresso

Salão de leitura da Biblioteca do Congresso. Foto: ViniRoger

Inaugurada em 1800, seu acervo de mais de 155 milhões de itens está distribuído em três edifícios, configurando a maior biblioteca do mundo em espaço de armazenagem e número de livros. O ex-presidente Thomas Jefferson ofereceu sua biblioteca pessoal como reposição, após 50 anos juntando livros. O prédio mais antigo é um lugar muito bonito para visitação, principalmente pelo salão de entrada e a vista do salão de leitura.

Casa Branca

Residência oficial e principal local de trabalho do Presidente dos Estados Unidos, sendo também a sede oficial do poder executivo. Inaugurada em 1800, é pintada de arenito esbranquiçado no estilo georgiano e teve várias expansões. As visitas ao interior estão suspensas praticamente desde os atentados de 11 de setembro.

Casa Branca. Foto: ViniRoger

A Ala Oeste acolhe o gabinete do Presidente (o Gabinete Oval), gabinetes da equipe de funcionários “sênior”, a Sala do Gabinete (onde o Gabinete dos Estados Unidos se reúne) e a Sala da Situação da Casa Branca. A Ala Este tem acolhido, de forma intermitente, os gabinetes do pessoal da primeira-dama dos Estados Unidos, e o Gabinete Social. Antes da construção do Pórtico Norte, a maior parte dos eventos públicos tinham entrada pelo Relvado Sul, o qual foi aplanado e plantado por Thomas Jefferson.

Museus Smithsonian

O Instituto Smithsoniano (Smithsonian Institution) é uma instituição educacional e de pesquisa associada a um complexo de museus, fundada e administrada pelo governo dos Estados Unidos. Foi fundado pelo cientista britânico James Smithson (1765-1829), cujo testamento declarava que se seu herdeiro (o sobrinho Henry James Hungerford) morresse sem deixar descendentes, o patrimônio deveria ser doado ao governo dos Estados Unidos para a criação de um “estabelecimento para a expansão e difusão de conhecimento entre os homens”.

Smithsonian American Art Museum . Foto: ViniRoger

Dentre seus 19 museus, os mais conhecidos são: National Air and Space Museum (com um post só para ele no lnk), National Museum of Natural History (com mais de 125 milhões de espécies de plantas, animais, fósseis, minerais, rochas, meteoritos e objetos culturais humanos), Smithsonian American Art Museum, National Museum of American History, National Museum of African American History and Culture e National Museum of the American Indian. Todos os prédios citados ficam no National Mall, incluindo o prédio do próprio Instituto (que tem formato de castelo).

Memoriais

Monumento a Washington e espelho d’água, vistos do Lincoln Memorial. Foto: ViniRoger

O Monumento a Washington é um obelisco de 169,7 metros construído de mármore, granito e arenito entre 1848 a 1885 como um memorial a George Washington. Sua construção foi interrompida devido à Guerra Civil Americana, o que pode ser visto por uma delineação no sombreamento do mármore. Sua história é contada em um museu em seu interior. Também é possível subir até seu topo, se não estiver em reforma, mas as visitas são bem disputadas (gratuitas ou com taxa de 1,5 dólar se agendado) – mais informações nesse link.

Lincoln Memorial. Foto: ViniRoger

O Lincoln Memorial é um monumento em homenagem ao 16º presidente estadunidense, Abraham Lincoln, inaugurado em 1922. O republicano liderou o país de forma bem-sucedida durante sua maior crise interna, a Guerra Civil Americana, preservando a União e abolindo a escravidão, fortalecendo o governo nacional. Inspirado num templo grego, o edifício possui três alas e uma estátua de 5,8 metros do presidente sentado, com semblante calmo, porém firme. Em 28 de agosto de 1963, foi o local de culminância da Marcha sobre Washington, um dos maiores comícios políticos da história americana. O líder batista Martin Luther King Jr, com seu memorável discurso I Have a Dream, foi ouvido por pouco mais de 250.000 pessoas aglomeradas nas escadarias do memorial.

Memorial dos Veteranos da Guerra da Coreia. Foto: ViniRoger

A região possui outros memoriais próximos, como aos soldados mortos na 2ª Guerra Mundial (entre o Lincoln Memorial e o Monumento de Washington), na Guerra do Vietnã e na Guerra da Coreia, assim como a personalidades como Martin Luther King e Thomas Jefferson (às margens do Tidal Basin, braço do rio Potomac). Na série “Os Simpsons”, durante o episódio “Mr. Lisa Goes to Washington”, Lisa Simpson vai até o Lincoln Memorial em busca de inspiração. Porém devido a grande multidão de turistas, ela desiste e vai até o Jefferson Memorial, onde conversa com o espírito de Thomas Jefferson.

Arlington National Cemetery

Do outro lado do rio Potomac, o Cemitério Nacional de Arlington é o mais conhecido e tradicional cemitério militar dos Estados Unidos. Fundado em 1864 no antigo terreno do palácio da família da esposa do comandante das forças confederadas da Guerra Civil Americana (General Robert Lee), Mary Anna Lee, descendente da mulher de George Washington. Nele, estão enterradas mais de 400 mil pessoas, veteranos de cada uma das guerras travadas pelo país, desde a revolução americana.

Arlington National Cemetery. Foto: ViniRoger

Dentre os personagens históricos mais famosos enterrados, estão o presidente John Kennedy (ao lado de uma pira eterna) e membros de sua família. O local mais visitado é o Túmulo ao Soldado Desconhecido, junto ao anfiteatro. Nele, os restos de soldados não-identificados da I Guerra Mundial, Guerra da Coreia e Segunda Guerra Mundial são guardados perpetuamente por uma Guarda de Honra do exército, cuja cerimônia de troca de sentinelas é um evento bastante procurado.

Marine Corps War Memorial. Foto: ViniRoger

Ao norte do cemitério, está o Memorial de Guerra dos Fuzileiros Navais (os “mariners”). Ele foi inspirado na icônica fotografia de 1945 de seis marines erguendo uma bandeira dos EUA no topo do Monte Suribachi durante a Batalha de Iwo Jima na Segunda Guerra Mundial.

Ao sul do cemitério, fica o Pentágono: sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Inaugurado em 1943, o prédio é um dos maiores edifícios de escritórios do mundo, com cerca de 600.000 metros quadrados onde trabalham cerca de 23 mil funcionários militares e civis. Em 11 de setembro de 2001, no 60º aniversário do Pentágono, cinco sequestradores filiados à al-Qaeda assumiram o controle do Voo 77 da American Airlines e deliberadamente colidiram o Boeing 757 contra o lado ocidental do Pentágono. Quando a seção danificada do Pentágono foi reparada, um pequeno memorial e uma capela foram incluídos, localizados no ponto de impacto.