Templete meteorológico

Em San Sebastián (Espanha), existe um curioso monumento histórico com instrumentos meteorológicos e inscrições climatológicas, cartográficas e astronômicas. Este foi um presente de José María Otamendi, um famoso líder de San Sebastián de enorme erudição, e que está exposto na Plaza Gipuzkoa desde 1879.

Templete meteorológico. Foto: Spirandelli Viajante
Templete meteorológico. Foto: Spirandelli Viajante

San Sebastián (co-oficialmente em basco: Donostia) é um município espanhol localizada na costa do Mar Cantábrico, no Golfo da Biscaia, e a 20 km da fronteira com a França. Ele é capital da província de Guipúzcoa, na comunidade autônoma do País Basco, e foi fundada pelo rei navarro Sancho, o Sábio, por volta de 1180, nas proximidades do mosteiro de mesmo nome. O nome original em basco, Donostia, provavelmente é uma forma derivada do antigo nome basco do santo padroeiro, Done (do latim Domine) Sebastiáne.

A cidade é conhecida por ser o berço dos pintxos: pequenas iguarias servidas em palitos nos bares locais. A Playa de la Concha, com sua baía em forma de concha, é um balneário em uma região com mar bravio. Prova disso é um conjunto de esculturas a beira mar, conhecida como Peine del Viento, na qual as ondas passam entre os dentes da escultura, desafiando o poder do aço ao som do vento assobiando e formando gêiseres através dos buracos na praça do local. O Monte Igueldo oferece vistas panorâmicas espetaculares da cidade e do mar, enquanto o Monte Urgull, coroado pelo Castillo de la Mota, proporciona uma imersão na história local.

Plaza de Gipuzkoa. Foto: Spirandelli Viajante
Plaza de Gipuzkoa. Foto: Spirandelli Viajante

A Plaza de Gipuzkoa ocupa uma localização central e foi o primeiro parque público em San Sebastián. Projetada por José Eleuterio Escoriaza entre 1867 e 1882, a praça conta com uma ponte de madeira e ferro que atravessa um lago, uma das extremidades da qual tem uma pequena cachoeira cercada por um pequeno jardim de flores. O edifício do Governo Local ergue-se orgulhosamente na praça, mas há outras características interessantes para observar também, como uma grande escultura do compositor e pianista José María Usandizaga (1887-1915).

Nessa praça que está o “templete meteorológico”. Em espanhol, “templete” é uma estrutura, em forma de templo, que serve para abrigar uma imagem, ou um quiosque/pavilhão, coberto por uma cúpula sustentado por colunas. Ele foi construído sobre uma “Haize-arrosa” (rosa dos ventos em basco) e junto a uma Ordularia (relógio) com ponteiros gigantes e superfície levemente inclinada sobre um círculo vegetado, permitindo a visualização pelas pessoas da praça. O templete meteorológico possui inscrições ao longo de sua coluna de mármore, com informações que Otamendi considerou que seriam de interesse dos seus vizinhos:

  • a Pressão Atmosférica Média (762 mm, um ponto a mais que hoje);
  • a distância de San Sebastián em relação ao Equador;
  • a Longitude de San Sebastián contada a partir dos meridianos de Madrid, San Fernando e Paris (naquela época muitas pessoas continuavam a usar outros meridianos além de Greenwich como referência);
  • a temperatura média à sombra de acordo com as estações do ano (que diferem muito das atuais devido aos métodos de medição e às mudanças climáticas);
  • a temperatura média anual máxima do Sol (dado que deixou de ser medido no final do século XIX);
  • a declinação magnética em San Sebastián (valor que altera de ano para ano);
  • a altura vertical média da água que cai em San Sebastián;
  • a latitude de Pau e sua temperatura média.

Seguindo pela direita, existe um grande termômetro de mercúrio (para medir a temperatura) e uma longa descrição sobre as constelações. Depois, um higrômetro (usado para medir a umidade do ar) e textos breves com indicações da variação da pressão correlacionadas com a direção dos ventos, permitindo uma previsão do tempo estimada. Por fim, um espaço grande onde deveria existir um barômetro de mercúrio (instrumento usado para medir a pressão atmosférica). A estrutura ainda conta com descrições da posição dos astros no céu (em texto e um esquema com as posições do Sol no céu) e uma abóboda acima de um globo terrestre com as constelações desenhadas.

Outros ângulos de visão do templete meteorológico. Imagens: Spirandelli Viajante
Outros ângulos de visão do templete meteorológico. Imagens: Spirandelli Viajante

A construção foi doada por José María Otamendi y Machimbarrena (San Sebastián, 1885 – Madrid, 1959), que foi professor, tenente de Cavalaria, poeta basco, astrônomo, inventor, geógrafo e matemático, além de um entusiasta da divulgação científica. Engenheiro conhecido por ter sido, juntamente com os seus irmãos, um dos promotores da construção do metrô de Madrid, que acabou por ser o primeiro sistema de trens metropolitanos da Espanha. Chegou a dar aulas como professor na Escola de Engenheiros Civis de Madrid. Foi prefeito de San Sebastián e presidente da Caixa Econômica Guipúzcoa.

O templete meteorológico foi “descoberto” pelo casal do Spirandelli Viajante, que compartilhou comigo dessa informação e cujo vídeo está incorporado acima para ser apreciado (a partir de 5:08).

Fontes

Compartilhe :)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.