Saindo do Disqus

O Disqus é um serviço online que oferece uma plataforma centralizada de discussões e postagem de comentários para sites. Ele pode ser um plugin muito prático para o WordPress, mas isso tem um preço que começa na falta de controle sobre os comentários em seu próprio site.

Como principais vantagens que me atraíram para começar a usar o Disqus nesse blog, estão o controle de spams, uso em vários outros sites, integração com mídias sociais, visual responsivo. No entanto, com o passar do tempo, os pontos contrários começaram a ficar mais fortes:

  • Após realizar alguns testes de performance de velocidade de página, todos acusaram que um dos principais elementos que atrasavam o carregamento e exibição das páginas (inclusive com erros) era o Disqus (outros sites, como o Fat Forg Media, também acusaram o mesmo problema). Como os comentários são salvos na plataforma do Disqus, sempre tem que ser feita uma consulta externa.
  • A necessidade de fazer um login para comentar acaba afugentando pessoas que pretendem comentar mas não querem ter que abrir uma conta (seja por comodidade ou para não compartilhar seus dados em uma plataforma com tão poucos benefícios). O desenvolvedor responsável pela página pode permitir que as pessoas comentem sem ter um cadastro no Disqus, mas essa opção fica bem escondida (tanto no painel de controle quanto no espaço do usuário).
  • O Disqus rastreia o usuário e, ao permitir que o plugin tenha acesso total ao seu site, você está entregando várias boas estatísticas de publicidade (basta ler as letras miúdas daqueles contratos que assinamos sem ler só para abrir uma conta em uma plataforma “gratuitamente”). Ele usa o plug-in para criar o perfil de seus visitantes e posteriormente direcioná-los com anúncios.
  • Depois de alguma atualização no início de 2020, por alguma razão o Disqus parou de enviar notificações por e-mail quando um comentário novo era feito no site. Acabei descobrindo isso meses depois, com vários comentários não respondidos.
  • Ao entrar na plataforma do Disqus, além de ver os comentários a meses esperando por uma resposta, ainda vi outros que eram comentários válidos mas identificados como SPAM.
  • Como os comentários são salvos na plataforma do Disqus, existe uma opção no painel de controle para gravar uma cópia (como backup) na sua plataforma WordPress. Parece que isso começou a ser opcional em fevereiro de 2018, sendo que o padrão é não copiar. Assim, desde então os comentários não eram mais salvos no próprio site, aumentando a dependência do sistema Disqus.
  • Existe a opção para copiar os comentários do Disqus para sua base de dados, o que pode ser feito após gerar e copiar uma API da plataforma para seu site. A sincronização pode ser do modo automático (somente para novos posts) e manual. Nesse segundo modo de sincronização, você pode escolher no máximo 1 ano para copiar os comentários. Mesmo assim, ele não copia todos os comentários de uma vez, nem mesmo para o período escolhido! Tive que clicar várias vezes para um mesmo período até o contador total de comentários parar de aumentar (veja mais no post do Journey Bytes).
  • Quando um comentário é salvo em sua base de dados através da sincronização do Disqus, sua data fica sendo a da sincronização, e não de quando o comentário foi feito. Ou seja, se fizer a sincronização manual, a data dos comentários deve ser arrumada na mão, uma por uma! Você tem acesso à real data/horário de publicação do comentário pelo usuário simplesmente passando o cursor do mouse sobre ele (se eles tem essa informação, por que não copiar junto com o comentário?).

Após esse martírio para ter os comentários em sua plataforma, e não de um terceiro, o Wodpress não reconhece quais foram os seus comentários, mesmo que tenha nome e e-mail iguais. Para esse reconhecimento, o comentário deve ter o campo “user_id” com o número do autor (1 no caso do primeiro autor registrado). Se existir um padrão (aqui chamado de “PADRÃO”) que se repita no campo “comment_author” de todos os comentários a serem reclassificados, você pode usar o phpMyAdmin para rodar a seguinte query SQL:

SELECT * FROM `wp_comments` WHERE `comment_author` LIKE '%PADRÃO%'
UPDATE `wp_comments` SET `user_id` = '1' WHERE `comment_author` LIKE '%PADRÃO%'

A primeira query serve para você ver se a seleção está correta, sendo que a seguinte realmente executa a atualização da database.

Retirando essa terceira parte na administração dos comentários, o controle direto através do sistema nativo do WordPress permite moderar os comentários na própria plataforma, suspeitos ou não de SPAM (o Akismet já faz um bom trabalho). O carregamento pelo usuário fica mais rápido e o engajamento costuma aumentar pela facilidade em se fazer um comentário. Os comentários também são rastreados pelo Google como parte do conteúdo da página.

Por fim, desative e desinstale o plugin do Disqus. Você também pode apagar todos os comentários na plataforma e encerrar sua conta, se assim desejar.

Espalhe a mensagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.