Nimbostratus

A nuvem nimbostratus (Ns) foi definida somente em 1930 pela CEN (International Commission for the Study of Clouds). Seu nome em latim indicando que tem características de uma nuvem stratus mas cinzenta e precipitante. Ela é classificada como sendo de estágio médio, ou seja, forma-se entre 2 e 8 km de altura em região tropical, entre 2 e 7 km em região temperada e entre 2 e 4 km em região polar.

“Camada de nuvem cinza, muitas vezes escura, cuja aparência se torna difusa pela chuva ou neve que cai mais ou menos continuamente, que, na maioria dos casos, atinge o solo. É espessa o suficiente para bloquear o Sol. Nuvens baixas e irregulares ocorrem frequentemente abaixo da camada, com a qual podem ou não se fundir.”
Definição da nuvem Nimbostratus segundo o Atlas Internacional de Nuvens da Organização Meteorológica Mundial

A Nimbostratus começou a aparecer como uma nuvem média em 1975, pois apesar de sua base encontrar-se geralmente em uma altura baixa (perto de 2 km ou até menos), seu crescimento se dá na vertical pelo empilhamento de camadas. Veja mais no post O caso da nuvem Nimbostratus do Meteorópole.

Constituída de gotículas de água, gotas de chuva, cristais ou flocos de gelo ou de uma mistura de todas, apresenta coloração cinza bem escuro e não apresenta fibras. Geralmente produz precipitação forte em uma área ampla. Nas regiões tropicais, durante intervalos de chuva, é possível observar os nimbostratus de dividirem em nuvens distintas e tornarem a se juntar rapidamente. Em imagens de satélite, tanto infravermelho quanto visível, aparecem em cinza escuro.

A nimbostratus ocorre ao longo de uma frente quente ou oclusa, onde a massa de ar quente que sobe lentamente cria nimbostratus junto com nuvens estratos mais rasas, produzindo menos chuva, essas nuvens sendo precedidas por nuvens de níveis mais altos, como cirrostratus e altostratus.

Produz chuva mais acentuada do que stratus e altostratus, sendo cinza mais escura. Além disso, pode ocultar completamente o sol. Por não apresentar uma base definida ou elementos nitidamente delimitados, é diferente de uma altocumulus ou de uma stratocumulus. Quando o observador se encontra embaixo de uma nuvem tendo a aparência de uma nimbostratus, mas que é acompanhada de relâmpagos, ela é denominada cumulonimbus por convenção.

Nimbostratus. Foto: ViniRoger
Nimbostratus. Foto: ViniRoger

Espécies (só pode ser uma)

Nimbostratus é muito espesso, opaco e sem características, então este tipo de gênero não é subdividido em espécies ou variedades.

Variedades (pode ser mais de uma)

Nimbostratus é muito espesso, opaco e sem características, então este tipo de gênero não é subdividido em espécies ou variedades.

Nuvens anexas e características suplementares

  • praecipitatio (pre): precipitação que chega ao solo.
  • virga (vir): ramo, precipitação que não chega ao solo.
  • pannus (pan): tecido rasgado/esgarçado, fragmentos irregulares de nuvens (stratus fractus) sob a maior massa de nuvens. Quando as pannus cobrem uma grande extensão do céu, é preciso estar atento para não os confundir com a superfície inferior da nimbostratus.

Nuvens-mãe e nuvens especiais (genitus)

  • Cumulus
  • Cumulonimbus

Resulta da lenta ascensão de camadas de ar de grande extensão horizontal, a alturas suficientemente elevadas. Pode provir do espessamento de um altostratus precipitante ou da expansão de um cumulonimbus ou cumulus mais potentes.

Nuvens-mãe e nuvens especiais (mutatus)

  • Altocumulus
  • Altostratus
  • Stratocumulus

Nimbostratus pode se formar devido à transformação completa de altocumulus, altostratus e stratocumulus.

Veja outros gêneros de nuvens a partir de sumário na página Atlas de Nuvens.

Referências

Compartilhe :)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.