Mayday! Desastres Aéreos

“Mayday” é a chamada radiotelefônica de emergência ou socorro, versão anglicizada do francês m’aider ou m’aidez, que significa “venha me ajudar”. Utilizada principalmente nas navegações marítimas e aeronáuticas, faz parte do Código internacional de sinais e do Código Fonético Internacional. Mayday! Desastres aéreos (Air Crash Investigation, no original) é uma série de tv do National Geographic Channel que examina acidentes aéreos com grande repercussão. O programa foca na investigação pelas causas do acidente, utilizando de dramatizações e histórias individuais de passageiros, recriando com detalhes as ações dos envolvidos e falhas mecânicas.

Cada episódio é pautado por um acidente, mas existem episódios temáticos, que são “compactos” de acidentes com um mesmo assunto. Os sites da wikipedia e da série listam os episódios já exibidos (o site do programa na wikipedia em inglês mostra mais episódios, que já foram exibidos nos EUA). Selecionei alguns episódios que envolvem Meteorologia como uma das causas do acidente. O link para o episódio que alguém colocou no YouTube está entre parênteses no final do resumo (episódios em português, inglês ou espanhol).

voo 9 da British Airways brilhando devido à colisão de cinzas vulcânicas
Voo 9 da British Airways brilhando devido à colisão de cinzas vulcânicas

Voo British Airways 9

Em 24 de junho de 1982 o Boeing 747-263B entrou numa nuvem de cinzas vulcânicas na ilha de Java, na Indonésia e os quatro motores pararam de funcionar. Os tripulantes fizeram de tudo para tentar por os motores à funcionar, mas somente ao estar perto de Jacarta consegue com que 3 dos 4 motores voltem a funcionar. O piloto fez um pouso de emergência e dos 248 passageiros e 15 tripulantes nenhum saiu ferido. (youtube)

Voo Arrow Air 1285

O avião Douglas DC-8-63CF operou como um voo charter internacional transportando tropas dos EUA do Cairo, Egito, para sua base em Fort Campbell, Kentucky, através de Colónia, Alemanha e Gander, Terra Nova. Na manhã de 12 de dezembro de 1985, pouco depois de decolar de Gander em rota para Fort Campbell, a aeronave perdeu sustentação, caiu e queimou a cerca de meia milha da pista, matando todos os 256 passageiros e tripulantes a bordo. A  causa provável do acidente foi a de a aeronave arrastar-se fortemente de maneira inesperada e sua condição de elevação reduzida, provavelmente devido à formação de gelo sobre as bordas das asas principais e superfícies superiores. (youtube)

Voo 191 Delta Airlines

Quando o voo 191 da Delta Airlines se aproximou do Aeroporto Dallas Forth Worth, ele já tinha desviado de duas tempestades. O piloto observa chuva e relâmpagos a frente, mas segue a rota. Dentro da tempestade, o avião é atingido por fortes ventos que provocam sua queda. O acidente deixa 136 mortos e ajuda os cientistas a compreenderem um perigo bastante conhecido para as aeronaves, o microburst, uma intensa corrente descendente. (youtube)

Voo American Eagle 4184

Um avião modelo ATR 72 após voar sob condições de formação de gelo em 31 de outubro de 1994. Ele deveria sair do Indianapolis International Airport rumo ao O`Hare International Airport, em Chicago. Durante o voo, a tripulação ativou o sistema de degelo (anti-ice) no nível III, um procedimento obrigatório em situações como a que o voo 4184 poderia enfrentar (temperatura abaixo de -7ºC, com chuva aparente). A velocidade de rotação das hélices foi mantida acima de 86% de potência, outro procedimento obrigatório nessas condições.  Porém,  naquela tarde, o ATR enfrentaria um fenômeno raro, mas muito perigoso, conhecido como freezing rain (chuva congelante). O controle de tráfego forçou a aeronave a ficar em órbita aguardando sua vez de iniciar a aproximação para o aeroporto. O bimotor franco-italiano voava entre as nuvens, numa condição de temperatura e umidade que provocava o acúmulo de gelo nos bordos de ataque das superfícies de controle (asas e empenagem). O gelo formado nas asas da aeronave aumenta o arrasto e diminui sua performance. Consequentemente, começa a perder sustentação e altitude. Depois de vários minutos de esforço por parte do comando da aeronave, a mesma acaba caindo e todos os ocupantes falecendo. (youtube)

Voo Air Canada 143

Em 23 de julho de 1983, um jato Boeing 767-200, cumprindo o voo 143 da Air Canada, ficou totalmente sem combustível a 41 mil pés de altitude (12500 metros), aproximadamente na metade do caminho entre Montréal e Edmonton. A tripulação conseguiu pousar o avião em segurança no Aeroparque Industrial de Gimli, uma antiga base aérea em Gimli, Manitoba. A quantidade de combustível foi mal calculada, devido à recente substituição do sistema imperial pelo sistema métrico. O avião deveria ter sido abastecido com 22300 kg de combustível, mas apenas recebeu 22300 libras, menos de metade. (youtube)

Desastre aéreo de Tenerife

O Desastre Aéreo de Tenerife ocorreu em 27 de março de 1977 no Aeroporto de Los Rodeos, na Ilha de Tenerife, no Arquipélago das Canárias (Espanha), quando dois aviões Jumbo Boeing 747, um deles pertencente à empresa holandesa Royal Dutch Airlines (KLM) e o outro da estadunidense Pan American World Airways (Pan Am), chocaram na pista daquele aeroporto, ocasionando a morte de 583 pessoas e ferimentos em outras 61. A visibilidade havia piorado nitidamente, e já era inferior aos 500m, dificultando aos tripulantes a visão externa em meio ao denso nevoeiro, e impedindo ao controle de enxergar qualquer aeronave na pista. Além disso, o aeroporto estava extremamente movimento devido a desvio de aeronaves de outro aeroporto ao sul, mais movimentado. É considerado até hoje o acidente com maior número de vítimas na história da aviação mundial. (youtube)

Voo Air France 447

Na virada de maio para junho de 2009, um Airbus A330-200 saía do Rio de Janeiro com destino a Paris. A formação de gelo no tubo de Pitot durante tempestade tropical na ITCZ (Zona de Convergência Intertropical) inviabiliza o voo por instrumentos e avião cai no meio do Oceano Atlântico. Nenhum sobrevivente. Esse é só um resumo, veja o artigo completo sobre o acidente nesse link: Tubo de Pitot e o acidente da Air France. (youtube)

Apesar de não fazer parte da série televisiva e não ser avião, o acidente com o ônibus espacial Challenger também teve origem em uma questão meteorológica – veja mais clicando no link.

Links interessantes sobre acidentes aéreos

Caso algum link dos vídeos esteja quebrado (alguns episódios no youtube infelizmente já “saíram do ar”), ou você conheça um link pra um vídeo em português, por favor passe o link através dos comentários.