Buenos Aires

A área continental da Argentina está entre a cordilheira dos Andes a oeste (onde está a famosa Geleira Perito Moreno, no Parque Nacional Los Glaciares) e o oceano Atlântico, a leste (onde encontra-se o maior destino de veraneio argentino, Mar del Plata). Em sua região central, grandes planícies formam os chamados pampas (onde está a segunda maior cidade, Córdoba). Os pontos de maior e menor altitude do continente ficam por lá: Monte Aconcágua, com 6 959 metros de altitude, e a Laguna del Carbón, com 105 metros abaixo do nível do mar. Ao sul, a Terra do Fogo é a porção de continente mais próxima da Antártida, sendo Ushuaia a cidade mais austral do mundo.

A colonização espanhola iniciou-se em 1512, sendo que em 1776 foi fundado o Vice-Reino do Rio da Prata. A declaração e a luta pela independência (1816–1818) foi seguida por uma longa guerra civil, que durou até 1861 e terminou com a reorganização do país como uma federação de províncias (atualmente 23), com a cidade autônoma de Buenos Aires como capital.

Durante a segunda metade do século XX, a Argentina enfrentou vários golpes militares e períodos de instabilidade política. Dentre esses golpes, surgiu um famoso movimento político, o peronismo. Juan Domingo Perón tinha grande apelo popular e foi presidente por três vezes; sua mulher, Eva Perón, era conhecida como Evita e tinha um papel forte na política. Outro fato importante foi a Guerra das Malvinas, em 1982, contra o Reino Unido, pela soberania nas Ilhas Falkland.

Dentre outras personalidades argentinas estão o futebolista Diego Maradona, o cantor e compositor de tango Carlos Gardel, o papa Francisco e o revolucionário Che Guevara. Além disso, a Argentina é conhecida pela gastronomia, com seus alfajores, doce de leite, media lunas e churrasco (parrilla). Também possui o tango e o fileteado porteño como Patrimônios Culturais Imateriais da Humanidade (desde 2009 e 2015, respectivamente). O tango é estilo musical e uma dança a par. O fileteado é um estilo artístico de pintura e desenho caracterizado por linhas que se transformam em espirais, com cores fortes, uso recorrente da simetria, efeitos tridimensionais mediante sombras e perspetivas, e um uso sobrecarregado da superfície. O seu repertório decorativo inclui principalmente estilizações de folhas, animais, cornucópias, flores, bandeirolas e pedras preciosas.

Casa Rosada. Foto: ViniRoger

Na primeira fundação da cidade de Buenos Aires, Pedro de Mendoza chamou o local de “Real de Nuestra Señora Santa María del Buen Aire” para cumprir a promessa que fizera para a Patrona dos Navegantes na Confraria dos Marinheiros de Triana, da qual ele era membro. “Buen Aire” é a castelanização do nome da Virgem de Bonária, a quem os padres da Ordem de Nossa Senhora das Mercês haviam levantado um santuário para os navegantes em Cagliari, na Sardenha, e que era venerada também pelos navegantes de Cádiz, na Espanha.

Dentro da Grande Buenos Aires, está a cidade de Ezeiza, famosa pelo Aeroporto Internacional Ministro Pistarini – o Aeroparque Jorge Newbery é bem mais central, localizado no bairro de Palermo. Outra cidade, Tigre, possui um belo delta onde pode-se passear de barco para apreciar a natureza e belas casas construídas à beira do rio. A seguir, uma lista dos bairros mais centrais, que contam com mais atrações turísticas.

Monserrat e San Nicolás (Centro histórico)

No bairro de Montserrat, está a Avenida de Mayo, que liga o Congresso da Nação Argentina (com sua característica cúpula bem alta) e a Casa Rosada, sede do poder executivo. Inaugurada em 1894, foi o primeiro bulevar da cidade e possui outros vários prédios históricos, como hotéis, prédios comerciais (destaque para o Palacio Barolo) e cafés. O Café Trotoni foi inaugurado em 1858, contando com apresentações de Tango a noite.

Congresso Nacional. Foto: ViniRoger

Em 1911, começou a construção da linha do subterrâneo Anglo Argentina, chamada Linha A a partir de 1939. O trecho “Plaza de Maio – Praça Miserere” foi inaugurado em 1913. Algumas entradas de época permanecem até hoje e vagões antigos de madeira percorriam seus trilhos até 2015.

Cabildo, prédios comerciais e catedral. Foto: ViniRoger

Além da Casa Rosada, a Plaza de Maio contém a Catedral, o prédio do Banco de La Nación e o Cabildo: edifício que foi encarregado de representar a cidade frente à metrópole, com várias funções jurídicas e administrativas, além de servir de prisão, mas que agora abriga o “Museo Nacional del Cabildo y la Revolución de Mayo”.

Avenida 9 de Julio e Obelisco. Foto: ViniRoger

A Igreja de San Nicolás de Bari, que deu nome ao bairro, existia no lugar onde está o Obelisco – erguido em 1936, no cruzamento das avenidas Corrientes e 9 de Julio, em comemoração ao quarto centenário da fundação da cidade. Por sua vez, a Avenida 9 de Julio foi concluída em 1930 e recebeu este nome em homenagem da Declaração da Independência da Argentina. Ela é muito larga, possuindo diversas áreas verdes, monumentos, um prédio bem no meio (chamado Edifício Eva Peron, com uma arte dela junto de um microfone) e vários outdoors/luminosos próximos ao obelisco, estilo Times Square (Nova York).

El Ateneo Grand Esplendid. Foto: ViniRoger

Ainda nessa avenida, está o Teatro Colón, inaugurado em 1908 e um dos cinco melhores teatros do mundo referente à acústica. Não muito distante (seguindo pela Avenida Santa Fe), está outro teatro, mas que acabou virando uma livraria: El Ateneo Grand Splendid. Na outra direção, indo para o Mar del Plata, está a Avenida Corrientes, famosa pelo número 348, cantado no tango “A media Luz”, e que somente resta uma pintura. Também está a Calle Florida, um calçadão voltado para comprar, onde uma galeria de arte virou shopping: as Galerías Pacífico.

Puerto Madero

O bairro recebeu o nome do engenheiro Eduardo Madero, responsável pelas obras de modernização e aprofundamento do porto. Na década de 1990, houve um investimento estrangeiro maciço que regenerou a paisagem urbana, havendo a reciclagem e recuperação dos armazéns do lado oeste para tornaram-se elegantes residências, restaurantes e escritórios. Além de vários parques, a região possui os mais altos prédios da Argentina e um ponto de saída de balsas para o Uruguai.

Puerto Madero com Puente de La Mujer. Foto: ViniRoger

San Telmo

Bairro muito conhecido pelos antiquários e a Feira de artesanato, que acontece todos os domingos. Seu ponto forte é próximo à Plaza Dorrego, mas se estende por quase toda a calle Defensa. Nessa rua, ainda está uma praça com uma estátua de Mafalda e outros personagens. Criada pelo cartunista argentino Quino em 1962, Mafalda é uma menina muito crítica sobre a humanidade, em tirinhas muito inteligentes.

La Boca

Uma de suas grandes atrações é o estádio do Boca Juniors (La Bombonera), o time com mais torcedores da Argentina e conhecido por serem absurdamente fanáticos por futebol. Outra atração é o Caminito, cujas casas, construídas com tábuas de madeira, placas e telhas de metal, foram pintados com muitas cores. Isso porque, quando os estrangeiros (principalmente espanhóis e italianos) construíam suas casas, usavam as tintas que sobravam dos navios do porto para pintá-las.

Casas do Caminito. Foto: ViniRoger

Retiro

Bairro nobre com as embaixadas de alguns países (como França e Brasil) e vários hotéis cinco estrelas. O mais antigo deles (Marriott Plaza) foi inaugurado em 1909 e fica de frente para a “Plaza San Martín”. Ao norte dessa praça, encontra-se o terminal de trem e a “Praça Fuerza Aérea Argentina” (antiga “Plaza Británica”), onde a Torre Monumental (anteriormente “Torre de los Ingleses”) está localizada.

Recoleta

Outro bairro nobre, contém o cemitério em que estão sepultadas diversas personalidades argentinas, com destaque para Evita Perón, e muitas sepulturas que são verdadeiras obras de arte. Ao lado, funciona uma feirinha de artesanato aos finais de semana. Dentra outras atrações próximas, estão alguns museus de arte e parques. Em um deles, está a Floralis generica, uma grande flor feita em aço inoxidável com esqueleto de alumínio com 23 metros de altura cercada por um espelho d’água. Ela possuía um sistema elétrico que fecha as pétalas à noite, emanando um brilho vermelho, ou em situações de ventos fortes, e abre durante o dia.

Palermo

Bairro com muitos bosques, cafés, restaurantes, discotecas, o Zoológico, o Jardim Botânico e o Planetário Galileu Galilei.