Fotografia digital

Essa é uma continuação do post sobre Fotografia, abordando agora a fotografia digital. Veja alguns conceitos básicos e como escolher uma câmera digital. “Digital” é o modo de representar a informação através de caracteres como números ou de sinais de valores discretos. No caso de um circuito elétrico, quando passa energia/luz, codifica-se 1, codificando 0 em caso contrário – chamado sistema de numeração binária.

Tamanho da mesma imagem em diferentes resoluções (fonte: morguefile em How Stuff Works).

Tamanho da mesma imagem em diferentes resoluções (fonte: morguefile em How Stuff Works).

Pixel é o elemento que forma a imagem digital, assim como a prata forma a imagem no filme. Tem um formato quadrado e são alinhados um ao lado do outro. A quantidade de pixel determina o tamanho da imagem digital. Uma câmera digital com resolução máxima de 8MP, significa que o sensor CCD tem 8 milhões de pixeis com três canais de cores (RGB) cada. Quando reduzimos a resolução, por exemplo, de 8MP para 5MP estamos agrupando os pixeis, logo, transformando o espaço com 8MP para 5MP. Sendo assim, os pixeis ficaram maiores e de menor quantidade, reduzindo o tamanho da foto final e degradando a resolução da imagem.

Existem diferentes formatos de arquivos de imagens. Os mais comuns são o JPG, que usa algoritmo de compressão para diminuir o tamanho do arquivo (e a qualidade também), GIF (assim como a PNG, possui compressão menor e suporte a transparência) e TIFF (sem compressão, para trabalhos profissionais). Veja mais no post “Como editar uma foto para perfil profissional“. Essas são conhecidas como imagens “bitmaps”, pois cada pixel recebe uma localização específica em relação a uma grade, sendo que existem também as imagens vetoriais (linhas e curvas definidas por objetos matemáticos, como o texto do computador e logotipos, podendo ser aumentados sem perda de resolução).

Existem diferentes modelos de cores para imagens digitais e impressas. O modelo RGB (Red-Green-Blue, voltado para reprodução de cores em dispositivos eletrônicos) não engloba as mesmas cores do modelo CMYK (Cyan-Magenta-Yellow-Black/Key, voltado para impressão). O modelo de cores RGB é baseado na teoria de visão colorida tricromática, de Young-Helmholtz, e no triângulo de cores de Maxwell, enquanto que o CMYK funciona devido à absorção de luz, pelo fato de que as cores que são vistas vêm da parte da luz que não é absorvida. Essa e outras personalizações das imagens podem ser feitas através de editor de fotos no computador – para saber mais sobre edição de imagens digitais, veja o post “Edição de imagens no Linux“.

Como escolher uma câmera digital

Existem as profissionais (de maior tamanho), semi-profissionais e compactas. Veja alguns dos critérios para comparação:

  1. Quantidade de megapixeis – Maior quantidade de megapixels não significa maior qualidade de imagem. Vários fatores influenciam diretamente na qualidade da imagem – como lente, sensor, captação de cores, etc. Além disso, uma foto tirada em altíssima resolução causará um arquivo enorme para ser guardado. Caso você não queira imprimir sua foto em um painel, somente visualizando-a no computador, você acabará por optar uma resolução bem abaixo da máxima da câmera para ganhar portabilidade e espaço em disco ao guardar e visualizar as fotos. Imagens com 5 megapixeis são suficientes para imprimir um pôster com grande nitidez, mas quase não tem diferença visual das de 3 megapixeis na tela do computador.
  2. Sensor – Os dois principais tipos de sensor encontrados nas câmeras digitais são o CCD, comum em câmeras compactas, pois tem uma excelente qualidade de captura de imagem e o CMOS, que consome pouca energia, mas sua qualidade é inferior para condições normais. Mas a principal característica é o tamanho do sensor, pois quanto maior ele for melhor é a qualidade da imagem – isso acontece porque os pixels não precisam ser diminuídos para serem capturados. Lembre-se de que, como é uma fração, quanto maior o valor depois da barra, maior o número: por exemplo, 1/2.33″ (1 dividido por 2,33 polegadas) é maior do que 1/2.5″.
  3. Zoom – permite tirar fotos mais próximas de elementos que estão longe. O zoom óptico faz a aproximação da imagem por meio de lentes. O zoom digital, por sua vez, “amplia” a parte da imagem original escolhida, fazendo com que a qualidade da fotografia seja prejudicada. Escolha sempre olhando para o zoom óptico e não se preocupe com o zoom digital – caso queira ampliar alguma parte, use um editor de fotos no computador, assim você não prejudica a qualidade original da imagem. Se uma câmera indica zoom (seja óptico ou digital) de 3X, significa que a imagem pode ser aproximada em até três vezes o tamanho original.
  4. Flash – verifique a distância que os seus disparos pode atingir – é recomendável alcance de pelo menos 4 metros. Seu uso consome muita bateria, evite utilizá-lo quando não for necessário – é interessante reparar se tem um modo fácil de ligar/desligar o flash de modo fácil. Outra função interessante é conhecida como “flash suave”, que produz fotografias com maior tempo de exposição, mas ainda iluminadas por flash. O resultado final é uma imagem com iluminação não tão forte e sem apagar o plano de fundo.
  5. Armazenamento – algumas digitais vêm com memória interna, mas que costuma ser insignificante. A grande maioria faz uso de memória Flash para armazenar as imagens. A Sony usa o tipo MemoryStick em seus modelos, mas a maioria dos fabricantes prefere o padrão SD, que é mais barato e popular. Quanto maior a memória do cartão, mais imagens você consegue armazenar. A taxa de transferência influencia diretamente na velocidade com que sua câmera estará pronta para a nova foto: um cartão melhor grava as imagens mais rapidamente. Existem modelos de cartão com diferentes capacidades e compatibilidades (clique no link para ver mais).
  6. Vídeo e áudio – a maioria das câmeras digitais permite a criação de vídeos (algumas com áudio), embora muitas vezes com qualidade inferior em comparação com uma filmadora. Algumas câmeras utilizam padrões de vídeo de alta definição. Caso você alterne muito entre as funções de gravar vídeo e tirar fotos, é interessante ter um botão só para filmar.
  7. Bateria/pilhas – existem câmeras que usam pilhas (geralmente do tipo AA) para alimentação elétrica, quanto baterias recarregáveis. As pilhas oferecem a vantagem de permitir sua troca imediata em praticamente qualquer lugar – opte por usar pilhas recarregáveis e um carregador próprio para elas, pois sai mais barato. As baterias, por sua vez, costumam oferecer maior tempo de autonomia e tempo de vida – seu recarregamento se dá via USB ou um carregador próprio para ligar na tomada, que deve vir junto com a câmera. Recomendo câmeras com bateria, não só pela questão da energia durar mais tempo, mas também são menores e mais práticas.
  8. Visor – boa parte das câmeras oferece um visor LCD que permite visualizar a foto antes de pressionar o disparador. Prefira os modelos que tenham visor LCD de, pelo menos, duas polegadas – quanto maior, mais dá para enxergar a imagem, mas também há um gasto maior da bateria. Caso não possa recarregar a câmera por um bom tempo, evite de ficar visualizando fotos já tiradas para economizar a bateria gasta para acender a tela LCD – e use o tempo para aproveitar mais o local. Muitos fabricantes de câmeras digitais compactas não colocam visor óptico em determinados modelos para reduzir os custos de fabricação do produto e para economizar espaço. Esse recurso, no entanto, pode ser bastante útil no caso de o ambiente estar fortemente iluminado pelo Sol e inviabilizar a observação da tela LCD. Ao utilizá-lo, tome cuidado com o conhecido “erro de paralaxe”, já que o visor ótico simples não representa o mesmo ângulo de imagem capturado pela lente.
  9. Ajustes manuais – as câmeras digitais apresentam configurações automáticas para tirar uma foto, mas para fazer fazer fotografias mais “incrementadas”, talvez você queira ajustar alguns parâmetros manualmente, como o tempo de exposição. Outros ajustes podem ser feitos no computador, com calma, em um editor de imagens.

Dentre os acessório, deve-se atentar à bateria (ou pilhas), cabo USB (para transferir as fotos para o computador), cabo de vídeo (para exibir as fotos na televisão), cartão de memória e estojo para proteção da câmera quando transportada. Busque marcas que possuam assistência técnica no Brasil, de preferência na sua cidade. Existe o site Câmera versus Câmera que tem várias comparações. Para testar seus conhecimentos em câmera digital, existe um simulador online de câmera.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback