Live pendrive – Como usar o Linux sem instalação

Existem sistemas operacionais completos que funcionam perfeitamente e que não necessitam de instalação (nem mesmo que o computador possua HD), rodando diretamente do CD ou pendrive. Esses são os Live Cds ou Live pendrives. Além da praticidade de usar o seu sistema operacional em qualquer lugar que estiver, é possível usá-lo sem instalar (somente para testes, manutenção ou para se acostumar) ou instalá-lo no computador que desejar usando o menu inicial que abre ao iniciar seu uso.

Para criar o pendrive de boot, o primeiro passo é arranjar um pendrive com tamanho mínimo de 2 Gb, já que os sistemas estão ficando cada vez maiores. Por precaução, formate antes a unidade em FAT32 usando o programa "gparted" no Linux.

Baixe a imagem (arquivo .iso), de preferência usando torrent - segue o link para baixar a última versão estável do Linux Debian para 32 bits (que funciona em qualquer computador). Nesse link tem diferentes interfaces gráficas, sendo "gnome" a padrão.

Insira seu pendrive e verifique onde a USB foi mapeada, usando o comando "dmesg" no terminal de texto. Observando as últimas linhas, vai aparecer um "sda" ou "sdb" ou "sd" mais alguma letra, identificando o dispositivo recém inserido.

Para gravar o pendrive, você poderia simplesmente usar o comando "dd if=arquivo.iso of=/dev/sdX"na pasta onde está o arquivo ISO como super usuário para fazer uma cópia bloco a bloco. No entanto, ele não cria os arquivos de boot, como o GRUB, somente o sistema operacional. Para criar a(s) partição(ões) de boot, além de gravar o sistema operacional da imagem baixada, você pode usar diferentes programas.

O Ubuntu já tem um programa gráfico padrão chamado "Criador de discos de inicialização". As sugestões abaixo até dispensam você baixar a imagem antes, na mão, podendo realizar esse procedimento através do próprio software.

UNetbootin

Parece que não está mais disponível na versão Jessie. Sua instalação se dá através de "apt-get install unetbootin" com execução através de janela gráfica. Deve-se usar a senha de root para começar a utilizá-lo.

Na janela do programa, você pode escolher por baixar uma distribuição e escolher a versão também ou escolher nos arquivos a imagem ".iso" baixada previamente. Depois basta escolher o tipo e a unidade (vista através do comando dmesg) e dar OK para gravar o live pendrive.

Multisystem

Permite gravar o live pendrive com mais de um sistema operacional, além de incluir o memtest (para testar a memória), o disco do Super Grub2 (para encontrar um sistema operacional "perdido" na máquina"), suporte para boot via EFI e algumas coisas a mais.

Para instalar o pacote, é preciso adicionar um endereço ao repositório com sua chave, através das seguintes linhas (ele precisa instalar junto algumas bibliotecas e o qemu):

$ sudo apt-add-repository 'deb http://liveusb.info/multisystem/depot all main'
$ wget -q -O - http://liveusb.info/multisystem/depot/multisystem.asc | sudo apt-key add -
$ sudo apt-get update
$ sudo apt-get install multisystem

A instalação cria o grupo "adm", e você deve adicionar o seu usuário a esse grupo para abrir a interface gráfica. Para isso, execute "gpasswd -a nome_do_usuário nome_do_grupo", onde nome_do_grupo é "adm". Além disso, esse usuário deve estar na lista de sudoers.

Insira o pendrive e abra o programa (parte de sua interface gráfica é em francês por default). Reconhecendo o pendrive, clique em validar. Se o dispositivo já tiver algum sistema operacional lá instalado, ele aparecerá em uma lista. Clicando duas vezes, é possível editar os nomes que aparecem na tela do GRUB. Clicando no CD embaixo, você pode buscar o arquivo ".iso" para criar (ou adicionar) o live pendrive.

Na aba "Menu", existem opções de atualização, formatação (via GParted), backup/restauro e adicionar/redimensionar modo persistente. Na aba "Boot", é possível testar o boot por VM clicando na respectiva opção.

linuxpendrive

A imagem gravada no pendrive não ocupa todo o espaço, então dá para guardar arquivos lá normalmente depois de gravá-lo. Para isso, use o mesmo programa utilizado para formatar o pendrive e crie uma partição com o resto "não alocado" do disco.

Importante: geralmente, essas distribuições não são do tipo "persistent", ou seja, tudo o que for instalado/salvo/gravado será perdido ao desligar o sistema, "como lágrimas na chuva". Assim, a dica de gravar uma outra partição no mesmo pendrive é útil para guardar seus dados e acessar depois (ou gravar algum arquivo para ser aberto no sistema operacional que está rodando no pendrive)

Para utilizar o pendrive com o sistema operacional no computador, basta inserir o pendrive na entrada USB e ligar o PC. Talvez seja necessário entrar no setup para habilitar a inicialização do sistema (boot) pelo pendrive. Para isso, aperte uma tecla informada na tela logo que começa a funcionar o computador (geralmente ESC, DEL ou F10) e busque nos menus a opção pertinente.

Caso queira uma instalação multi arquitetura (multi-arch), para ter a opção de instalar o sistema em 32 (i386) ou 64 bits (amd64), ou preferir uma imagem de menor tamanho (netinst, que pode ser baixada rapidamente, mas durante a instalação os arquivos restantes serão baixados pela internet), segue o link para outras imagens disponíveis para download: https://www.debian.org/releases/stable/debian-installer/

Fontes e outras opções

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

3 Pingbacks/Trackbacks