Poluição do ar nos Jogos Olímpicos de 2008

Pequim é uma das cidades mais poluídas do mundo. Para garantir a qualidade do ar durante os Jogos Olímpicos de 2008 (entre 8 e 24 de agosto), autoridades da China ordenaram que empresas de Pequim e outras cinco províncias vizinhas reduzissem as atividades industriais a partir do final de julho. Os esforços foram concentrados nas usinas termoelétricas e siderúrgicas, além um rodízio de carros, para diminuir o numero de veículos nas ruas, e o fechamento de dezenas de fábricas.

Fotos tiradas em 2005 de Pequim um dia após a chuva (à esquerda) e um dia com névoa e poluição (smog). Fonte: Wikipedia
Fotos tiradas em 2005 de Pequim um dia após a chuva (à esquerda) e um dia com névoa e poluição (smog). Fonte: Wikipedia

A comissão médica do COI (Comitê Olímpico Internacional) analisou dados de qualidade do ar registrados pelo Departamento de Proteção Ambiental de Pequim em agosto, quando foram realizados eventos esportivos de teste na capital chinesa. A comissão descobriu que os eventos de resistência ao ar livre – definidos como aqueles que incluem pelo menos uma hora de esforço físico contínuo e de alta intensidade – podem representar algum risco.

Medidas alternativas da poluição

A poluição faz parte de uma classe de partículas suspensas no ar denominada aerossóis. A profundidade óptica do aerossol (AOD) é uma grandeza óptica proporcional à quantidade de poluição na atmosfera. Ela é quantificada por instrumentos em terra e por satélites, devido à extinção da radiação solar ao longo de um caminho óptico.

Foram utilizados dados dos sensores MODIS (da NASA), a bordo dos satélites Terra (manhã) e Aqua (tarde) nos dias que passavam pelos locais de estudo. Foram selecionados os dados de uma área com raio de 40 km centrada em Pequim e calculada uma média diária desses valores. Os valores de AOD calculados foram dispostos no seguinte gráfico em função do tempo:

AOD em Pequim próximo e durante ao período das Olimpíadas de 2008
AOD em Pequim próximo e durante ao período das Olimpíadas de 2008

Pelo gráfico, é possível notar valores extremamente altos de AOD no período que antecede os Jogos Olímpicos (antes do dia do ano 221). Atenuações dessa magnitude são comparáveis às queimadas em florestas tropicais, reduzindo consideravelmente a visibilidade. Durante e após as olimpíadas, os valores são reduzidos para níveis compatíveis de uma grande cidade com eventos de poluição mais alta e com bem menos restrição à visibilidade.

Benefícios para a saúde

Quando os Jogos começaram, a qualidade do ar em Pequim melhorou significativamente em relação às expectativas anteriores. A qualidade do ar ao longo dos Jogos registrou pontuações na API abaixo de 100, o alvo oficial. Dos 16 dias dos Jogos, dez dias registraram ‘Grau I’ e seis dias registraram a qualidade do ar ‘Grau II’ nos padrões chineses.

Quando a poluição caiu durante os Jogos, os pesquisadores de um trabalho publicado no Journal of the American Medical Association viram sinais significativos de uma melhor saúde entre os 125 voluntários que vivem em Pequim. O autor do estudo, professor Junfeng Zhang, disse: “Acreditamos que este é o primeiro grande estudo a demonstrar claramente que as mudanças na exposição à poluição do ar afetam os mecanismos (geradores) de doenças cardiovasculares em pessoas jovens e saudáveis.”

“Este estudo revelou que a exposição a altos níveis de poluição aumentam as chances de o sangue coagular. Para quem já tem doença cardíaca, isso poderia provocar um ataque cardíaco. Se você tiver uma doença cardíaca, é bom tentar evitar passar longos períodos em áreas altamente poluídas, sempre que possível.”

Fontes

Espalhe a mensagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.