Nuvens de Ichimoku

A obsevação de nuvens inspirou o jornalista japonês Goichi Hosoda a desenvolver uma metodologia de análise técnica no final dos anos 1930 – mas que só divulgou ao público geral no final dos anos 1960. Quando ele escrevia sobre o assunto em um jornal, usava o pseudônimo Ichimoku Sanjin, que significa “um olhar da montanha” em uma tradução livre. Por conta disso, seu método ficou conhecido como “Ichimoku clouds”.

Simulador de pregões com nuvens de Ichimoku representadas. Fonte: Ichimoku traders
Simulador de pregões com nuvens de Ichimoku representadas. Fonte: Ichimoku traders

A análise técnica (ou gráfica) de ações consiste em analisar gráficos e dados do valor de ações para descobrir tendências de curto, médio e longo prazo, por meio do rastreio do comportamento da oferta e da demanda. É uma ferramenta utilizada por investidores, profissionais (conhecidos como traders) ou amadores, para o estudo do mercado de renda variável buscando sinais do melhor momento para comprar ou vender uma ação. Difere da análise fundamentalista, que avalia balanço patrimonial, fluxo de caixa resultados de empresa e conjuntura econômica.

Para entender as nuvens de Ichimoku, é importante entender alguns conceitos. A análise técnica é feita com base em uma série temporal de ativos, dispostos em um gráfico de seus valores em função do tempo. Ele é conhecido como gráfico de linha. Cada ponto pode incluir também informações do preço de fechamento, preço de abertura, preço mínimo e máximo do período utilizado (geralmente um dia). Esse é o gráfico de barras, conhecido como candlestick – veja mais no post Gráficos boxplot e candlestick.

Os preços dos ativos formam-se dentro de tendências: de alta, baixa ou lateral. As tendências são estimadas a partir de certos níveis de preços que são “gravados” pelo mercado, como os topos e fundos. Uma tendência de alta é observada por uma sequencia de topos e fundos ascendentes. Já a tendência de baixa é demonstrada por topos e fundos que descem no gráfico. Uma análise pode ser feita da seguinte forma:

  1. Identificar os topos e fundos e verificar sua evolução;
  2. Traçar as linhas de tendência com a reta tocando os topos ou fundos, verificando então sua inclinação;
  3. Utilizar a média móvel, que deve estar próxima da linha da tendência.
Gráfico de linha com topos, fundos e linha de tendência de alta. Fonte: Rico
Gráfico de linha com topos, fundos e linha de tendência de alta. Fonte: Rico

Nos topos e fundos que são identificados uma resistência (maior concentração de ordens de venda) ou um suporte (mais ordens de compra). Quando um preço chega no suporte, a tendência é que o mesmo pare de cair e volte a subir – o que pode ser uma oportunidade de compra do ativo. Com a resistência acontece o contrário: o preço histórico da ação para de subir e passa a cair.

Ichimoku clouds

“Ichimoku Kinko Hyo” se traduz em “o gráfico do equilíbrio em um olhar”, com base nas “nuvens” que aparecem no gráfico de Ichimoku. A idéia do sistema de Ichimoku é possibilitar a compreensão rápida da tendência, sua dinâmica e força, interpretando todos os cinco componentes do sistema, em combinação com a dinâmica dos preços de acordo com o caráter cíclico de suas interações, causada pela dinâmica de grupo do comportamento humano.

Assim, o indicador Ichimoku é composto por cinco linhas, que podem ser tanto linhas de suporte como linhas de resistência, e o cruzamento das mesmas pode ser analizado como um sinal:

  1. Tenkan-Sen (Linha de conversão, azul) é uma média móvel de 9 períodos (rápida, linha de conversão)
  2. Kijun-Sen (Linha de base, vermelha) é uma média móvel de 26 períodos (mais devagar, linha de base)
  3. Senkou Span A (Linha dirigente A, fronteira verde da nuvem de Ichimoku) é o resultado da média entre as duas anteriores adiantando 26 períodos (justamente para tentar enxergar comportamentos futuros)
  4. Senkou Span B (Linha dirigente B, fronteira vermelha da nuvem de Ichimoku) é a mesma coisa da A mas adiantada em 52 períodos
  5. Chikou Span (Linha atrasada, verde) é atrasada em 26 períodos (antecipa reversão de tendência)
Tela de pregão com linhas e nuvens representadas. Fonte: Binomo
Tela de pregão com linhas e nuvens representadas. Fonte: Binomo

A área entre as linhas Senkou Span A e B que são as nuvens. Se a nuvem está na cor verde (Span A sobre B), existe tendência de alta; se estiver na cor vermelha, tendência de baixa. As bordas da nuvem identificam pontos de suporte e resistência atuais e potenciais futuros. Assim, sua altura representa a volatilidade à medida que movimentos de preços maiores formam nuvens mais espessas. Como nuvens mais finas oferecem apenas suporte e resistência fracos, os preços podem e tendem a romper essas nuvens finas.

Preço acima da nuvem apresentam tendência de alta e a nuvem tende a ser uma região de suporte dinâmico, e quando o preço tá abaixo, tem viés de baixa. Quando os preços estão dentro da nuvem, considera-se uma região de equilíbrio – não se realiza compra nem venda. Quanto maior a região da nuvem que for percorrida pela série temporal, mais forte ela é como suporte ou resistência.

Se a média rápida cruzar para baixo da média devagar, isso geralmente indica venda. No entanto, se o cruzamento estiver acima da nuvem, deve-se desconsiderar esse comportamento. Mas se a média rápida cruzar para cima da média devagar (estando acima da nuvem), é um bom momento de compra. Porém, se os preços “esticarem” muito rapidamente acima das médias, mesmo com todas as condições para compra citadas, pode ser que seja uma superestimativa e que caia logo em seguida justamente por causa do crescimento inicial acelerado.

Fontes

Compartilhe :)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.