Monções

Monção é a designação dada às variações sazonais de circulação atmosférica e de precipitação associados com a oscilação latitudinal anual da Zona de Convergência Intertropical (ITCZ) entre seus limites ao norte e ao sul do equador. Normalmente, o termo monção é usado para se referir à fase chuvosa de um padrão de mudança sazonal, embora tecnicamente também haja uma fase seca.

Os limites da ITCZ ​​variam de acordo com o equilíbrio terra-mar ao longo do ano. Sobre os oceanos, a temperatura do ar permanece relativamente estável, pois a água tem uma capacidade de calor relativamente alta e também porque tanto a condução quanto a convecção equilibram uma superfície quente ou fria com águas mais profundas (até 50 metros). Já o solo tem capacidades térmicas mais baixas e só pode transmitir calor por condução.

Durante os meses mais quentes, a luz solar aquece as superfícies da terra e dos oceanos, mas a temperatura da terra aumenta mais rapidamente. Conforme a superfície da terra fica mais quente, o ar acima dela se expande e uma área de baixa pressão se desenvolve. Já sobre o oceano, permanece uma pressão mais alta. Essa diferença de pressão faz com que o vento sopre do oceano para a terra, trazendo o ar úmido para o interior. Ao subir para uma altitude maior sobre a terra, o ar esfria, formando muitas nuvens e precipitação.

Nos meses mais frios, o ciclo é revertido. Como a terra esfria mais rápido, a baixa pressão fica sobre o oceano, e o vento flui da terra, mais seca, para o oceano.

A palavra tem a sua origem na monção do oceano Índico e sudeste da Ásia, onde o fenômeno é particularmente intenso. É resultado da dimensão da Ásia e do contraste térmico existente entre as planícies da Ásia Central (planalto tibetano, influenciando nos ventos em altitude) face às águas do Oceano Índico (como o Mar da Arábia). No subcontinente indiano, a presença da cordilheira dos Himalaia cria condições excelentes para a formação da monção, assim como a influência do jato de baixos níveis mais persistente do mundo na Somália. Os ventos da monção asiática sopram do mar para o continente no verão e o inverso no inverno.

Esquema da monção asiática com os sistemas atuantes no inverno e verão. Fonte: Notas de aula
Esquema da monção asiática com os sistemas atuantes no inverno e verão. Fonte: Notas de aula

À medida que se compreendeu melhor as monções, a sua definição foi-se ampliando de forma a incluir quase todos os fenômenos associados com o ciclo meteorológico anual verificado nos territórios tropicais e subtropicais dos continentes da Ásia, Austrália e África junto com os seus mares e oceanos adjacentes. Dos principais sistemas de monções do mundo, estão as monções da África Ocidental; as monções da América do Norte e do Sul apresentam reversão incompleta do vento.

O desenvolvimento da monção na América do Sul se inicia durante a primavera, com a convecção profunda se desenvolvendo inicialmente a noroeste da bacia amazônica e seguindo para o sudeste do Brasil. A intensidade máxima de chuva ocorre nos meses de verão. A fase de decaimento da monção começa no final do verão, quando a convecção profunda muda gradualmente para o equador. A reversão dos ventos, que é característica de regime de monção, só ocorre no vento zonal em toda a troposfera durante as transições de início e fim da estação chuvosa.

Precipitação climatológica (mm/dia) na América do Sul. Fonte: Tempo/Meteored (dados do GPCP)
Precipitação climatológica (mm/dia) na América do Sul. Fonte: Tempo/Meteored (dados do GPCP)

Veja mais sobre os fenômenos climáticos atuantes na América do Sul clicando no link.

Fontes

Compartilhe :)

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.