Capítulo 7 – Uma ajuda que veio do céu

O primeiro objetivo do grupo seria encontrar a vila de Lassir. Ela deveria ser fundada pelo migrantes das guerras, mas não se sabe se tiveram êxito. Após obterem essa informação, e até mesmo combaterem eventuais forças maléficas presentes na vila, deveriam enviar a informação para o comando e seguir para os prováveis nodos.

Grifo. Fonte: The Forgotten Realms Wiki
Grifo. Fonte: The Forgotten Realms Wiki

Após cinco dias de caminhada, já com o Sol se pondo, Aglar saiu para caçar e pegar uma capivara. Utiok usou uma glândula dela para fazer uma armadilha com sua teia. Skorlun usou um aparato simples em forma de cone para amplificar o som de sua voz e se fazer ouvir por um grifo que voava no local. O grifo, uma ave que possui corpo de leão e cabeça de águia, ignorou completamente o chamado do gnomo.

Roca. Fonte: The Forgotten Realms Wiki
Roca. Fonte: The Forgotten Realms Wiki

Dois pássaros roca começaram a sobrevoar baixo a região, e Skorlun fez uma nova tentativa de comunicação. Com a inspiração de bardo de Aglar e sua proficiência em natureza, Skorlun conseguiu chamar o macho e a fêmea, que pousaram com chamuscados e ferimentos. O druida usou a magia de curar ferimentos e o homem sapo também atuou no outro roca para sua cura. Os dois mudaram visivelmente de postura, ficando mais relaxados. Mesmo assim, seus 30 metros de envergadura imprimem respeito.

Skorlun perguntou o que causou esses ferimentos, e as aves relataram que foram “macacos com espetos de pau e pedra iguais a vocês”. O ninho delas fora saqueado e agora estavam fugindo deles. A região estava cheia de “faíscas de chama e fumaça” próximo ao grande lago. Enquanto isso, a fêmea devorava a bolsa com meia capivara guardada para o café do dia seguinte.

Os aventureiros disseram às aves que estavam no combate a esse mal que as afetou. Também propuseram que as duas os levassem de volta para esse local onde visualizaram a destruição – e onde provavelmente estaria assentada Lassir. Elas concordaram com a viagem, que seria feita após um descanso longo.

No dia seguinte, todos se alimentam de um jacaré, preso na armadilha com a glândula de capivara. Skorlun e Aglar sobem em uma das rocas, enquanto Utiok e o nótico vão a bordo da outra. Elas levantaram voo em espiral e a grande velocidade. Em seu planeio, passam próximos a uma torre que parecia pertencer a um mosteiro, com um platô octogonal e um objeto que parece uma mesa de pedra, com estacas de metal, baú e velas.

Ganhando cada vez mais altura, puderam ver ao longe as savanas crepitantes. Parte das terras estavam enegrecidas, por causa de queimadas propositais. Um paredão seguia ao abismo de Morlum, seguida por cachoeiras com muita água e árvores gigantes. Também visualizaram ilhas flutuantes do povo alado, os yslanianos.

Após a primeira onda de batedores para encontrar o local para fundarem Lassir, uma segunda onda continha militares, à qual Aglar estava atrás acompanhando até um grande ataque. Provavelmente umas cem pessoas no máximo devem ter chegado, mas estariam correndo muito perigo e precisavam ser resgatadas.

Falando com as aves, elas observaram um acampamento com cabanas e rumaram para lá. Elas pairaram no ar e Utiok rapidamente teceu fios para descerem de rapel em um ponto 14 quilômetros de distância do local avistado, e umas 3 horas de caminhada em uma planície pantanosa. No entanto, inimigos estavam a espreita, já sabendo dessa aproximação do grupo.

Este capítulo faz parte da série Skorlun, o gnomo druida – sumário no link.

Compartilhe :)

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.