Capítulo 3 – Prólogo

Lassir é um povoado recém fundado, com pouca infraestrutura e muitos refugiados. A maioria relata ataques de humanoides – parece que quanto mais pro leste, mais fala-se de gnolls e outros humanoides. Quando a comitiva chega, são recepcionados pelos locais e Urk conhece um grupo de aventureiros que havia convergido ao local por necessidade. Esse grupo é formado por Bernardo, um humano paladino; Turin, um yincar ladino; Araknível, um aracno guerreiro; e Veriska, uma ninfa feiticeira.

Turin. Fonte: Mauro Draco usando Hero Forge
Turin. Fonte: Mauro Draco usando Hero Forge

Em uma longa conversa na taberna, Urk ouviu as histórias recentes contadas pelo grupo e que explicavam a situação atual da vila. O único semblante de ordem e autoridade do reino de Guardannia é Rovard, um paladino da ordem da água. Ele havia revelado que um unicórnio vindo de Valaquinil (maior reino élfico do planeta) aparentemente bebera água a caminho de Guardannia e pouco depois morreu.

Tentando desvendar esse mistério, Rovard chegou a examinar o lago da região que existe ao sul e descobriu que, não muito longe dali (a um dia de caminhada) tinha sinais de enegrecimento da água. Como nada mais sabe sobre isso e preocupado com a segurança de seu povo, acabou confidenciando isso ao grupo. Durante os primeiros dias deles em Lassir, verificaram que ninguém que saía, voltava, e que cadáveres apareciam nas águas do pântano.

Pântano adjacente ao lago. Foto: Mike Beachy
Pântano adjacente ao lago. Foto: Mike Beachy

Investigando a água negra, eles descobrem que a mancha está expandindo do sudoeste e que também há embate com bandos atipicamente grandes de goblins. Posteriormente, descobriu-se que tinha uma bruxa infiltrada. Não se sabe se era uma suspeita senhora no centro da vila que assoviava de uma forma sinistra e brincava com algumas pessoas, mas o local foi atacado por goblins em dois flancos. Rovard segurou um flanco, a noroeste de Lassir, e o grupo de aventureiros conteve uma tropa de 35 goblins, a nordeste, virando heróis da cidade.

Bernardo, recém iniciado nos hábitos da ordem da água, rapidamente aprendeu a dominar e manipular a água de maneira bastante hábil e fez uma balsa de gelo para investigarem mais a oeste. Sua decisão foi baseada ao ver um buggbear que parecia estar vigiando o grupo. Acabou descobrindo um covil de ruínas com torres esfaceladas em uma das pequenas ilhas que tinham outros buggbears. Encontraram também anotações de uma bruxa chamada Inaghi que odiava as colegas de convenção dela, especialmente a bruxa superior, e uma anaga espiritual que ajudou o grupo a identificar itens, dando conselhos, e proclamando aquela região do pântano como livre do mal.

No local, o grupo também lutou contra o monstro Aboleth. Bernardo usou canalização divina do deus sapo Groxo, deu um grande salto e o finalizou. O mal foi preso em um amuleto, e o enigma da água sombria parecia caminhar para uma resolução. No entanto, ainda havia a questão das guerras, que geravam um fluxo de refugiados cada vez mais intenso para Lassir, e um grande número de mortos vivos na região do pântano sombrio. Parecia que uma convenção de bruxas estava gerando o caos por ali.

Buscando mais informações sobre as bruxas, eles investigaram a região sul do lago e outras regiões a oeste. Encontraram tropas de gnolls, mas graças ao sapo de montaria conjurado pelo Bernardo, conseguiram escapar sobre as águas do lago. Posteriormente, entraram em conflito com gnolls e ganham a simpatia de um grupo de homens lagartos.

A leste do lago, encontraram um covil com uma bruxa do mar, que fugiu mergulhando. Havia uma caverna que passava por cima de um corpo d’água e tinha uma armadilha com peixes perigosos. Lutaram com três bruxas (Nobulba, Irgrumi e Tagrena) e venceram. Encontraram um caldeirão com restos de humanoides e bonecos com aspecto meio vudu. Na jaula, tinha um prisioneiro hobbit chamado Mingo, que foi liberto – ele comentou que estava no encalço de Numvirten, uma bruxa que liderava um trio de covens, e que ele foi capturado tentando encontrar o caminho para o covil dela, nas colinas.

Ao sul do covil de Aboleth, mergulharam junto de uma ilha e viram a ponta de um castelo com entrada por baixo d’água. Depois de uma bifurcação e um caminho bloqueado, chegaram em uma escada espiral de um salão em um hall redondo. Haviam algumas salas após uma passagem estreita. Em uma das portas, encontraram um compartimento secreto com uma caixinha de objeto valiosos, uma armadura de placas (que Bernardo pegou) e, saindo dessa porta, viram um pilar com uma tapeçaria de bruxa vestindo armadura. Enquanto conversavam, atraíram yuguloths teletransportados para a sala, mas que foram derrotados. Fora isso, o local parecia abandonado recentemente.

Voltaram e passaram a noite em Lassir, mas sem descanso, pois uns yeth hounds com lobisomens e bruxas guerreiras do mar (Megna e suas irmãs) atacaram o local e tentaram sequestrar algumas pessoas. O ataque foi rapidamente desmantelado, mas a animosidade entre o grupo e as bruxas ia aumentando. Investigando a parte mais ao sul da ravina, ao norte de um riacho que saía da região das colinas, encontraram bunderhobbs, servos das bruxas. Após uma luta tensa, conseguiram banir as bestas. Isso deu o sinal de que estavam na direção certa.

Caverna com ilusão óptica. Foto: ViniRoger
Caverna com ilusão óptica. Foto: ViniRoger

O grupo acabou se dividindo em um terreno ilusório, passando a não mais se ver. Uma parte entrou em uma caverna e outra não, enfrentando oponentes diferentes. Tinha uma casa dentro da caverna que estavam defendendo um ponto e tiveram luta bem difícil, mas depois grupo se reuniu. Essa casa encantada tinha mantimentos das bruxas, e ali havia um portal que dava para outro ponto da caverna. Após seguirem mais um pouco, foram atacados por várias fadas.

Em um salão, puderam ouvir uns tambores de gnolls e foram atacados pelas bruxas Inaghi, Cresilda e Irrirda. Conseguiram mataram uma delas e outra bruxa se atrapalhou. Parecia que a batalha estava se definindo para o grupo, mas as coisas viraram. Inaghi foi pro plano eteral e voltou curada, ficando ameaçadora. A guerreira Bárbara foi jogada pra baixo e quase morreu. O aracno Utiok foi sequestrado e desapareceu misteriosamente. Nesse ponto da história, Urk lembra uma menção a esse nome por Skorlun, mas permanece em silêncio tentando acompanhar a história contada pelo grupo.

Eis que aparece o Mingo. Ele acabou ajudando o grupo ao conseguir uma rapieira e lutar galantemente, matando gnolls e abrindo caminho. Conseguiu escalar cordas e pulou na vassoura da Inaghi para lutar com ela. Com isso, o grupo matou duas bruxas. Turin pegou uma espada e resgatou Bárbara, podendo todos voltarem para Lassir.

Nesse ponto da história que chegou a comitiva de Guardannia na qual Urk veio, com feiticeiros e mantimentos. Agora com o reforço, eles esperam continuar as buscas por mais bruxas na região.

Este capítulo faz parte da série Urk, o Aarakocra Clérigo – sumário no link.

Compartilhe :)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.