Serra do Lopo

A Serra do Lopo é um conjunto de montanhas situado na fronteira entre as cidades de Extrema (MG) e Joanópolis (SP), Brasil. O pico do Lopo (ou do Cume) é o seu ponto mais alto, possuindo 1750 metros de altitude. É um dos pontos de visitação mais procurados daquela região, pelo fato de oferecer uma vista de 360º da Represa do Jaguari e abranger diversas cidades, como Joanópolis, Extrema, Piracaia e outras, dentre elas, Bragança Paulista.

Pôr do Sol em Extrema visto a partir da Serra do Lopo. Foto: ViniRoger

A região tem acesso a partir da Rodovia Fernão Dias, através da cidade de Extrema/MG ou pela estrada Entre Águas e Serras, no município de Joanópolis/SP. A subida pelo lado mineiro tem os trechos mais íngremes pavimentados, enquanto que a subida pela estrada paulista é recomendável usando veículo com tração 4×4. Em Joanópolis, a estrada para Extrema também pode ser atingida pela Estrada Revolucionários Paulista – utilizada por soldados na Revolução de 1930, possui trincheiras usadas em batalha.

A Estância Turística de Joanópolis começou a existir com a formação do Bairro do Curralinho por bandeirantes e sertanistas, às margens do Ribeirão Jacareí. Em 1891, o povoado foi elevado a Distrito de Paz do município de Santo Antonio da Cachoeira (atual Piracaia) com o nome de São João do Curralinho. Em 1895, foi elevada à categoria de vila, desmembrado de Santo Antônio da Cachoeira, sendo elevado à categoria de município em 1906. Recebeu a denominação de Joanópolis (cujo significado é cidade de João) em 1917 devido a seu padreiro, São João Batista.

Extrema era um antigo distrito criado em 1871/1891 com a denominação de Santa Rita da Extrema e subordinado ao município de Jaguari (hoje Camanducaia). Tornou-se vila em 1901, sendo denominado Extrema a partir de 1915, e recebeu status de cidade em 1925. A secretaria de turismo do município (ExtremaTur) criou cinco regiões turísticas, de modo a orientar o turismo:

  • Rota das Rosas: centro urbano, que tem por atrativo principal o Santuário de Santa Rita de Cássia, os Parques Municipais de Eventos e da Cachoeira do Jaguari (o principal rio da região vai alimentar o Sistema Cantareira de fornecimento de água para a Região Metropolitana de São Paulo);
  • Rota do Sol: região norte, contém as trilhas e passeios rurais da Serra das Anhumas e a Prainha do Juncal;
  • Rota das Águas: região leste, conta com o Parque Municipal da Cachoeira do Salto e o Pico do Lobo Guará, além de cachaçarias, alambiques e apiário;
  • Rota dos Ventos: região sul, cujo principal atrativo é a Serra do Lopo;
  • Rota das Pedras: região oeste, contém a Serra das Anhumas, inscrições rupestres do sítio arqueológico Pedra do Índio, retiro budista e ateliê de artes.

Tando pela subida vindo de Joanópolis (pelo bairro dos Forjos) quanto vindo por Extrema (estrada da Embratel), os caminhos se encontram no alto da Serra, em um ponto com bifurcação para dois conjuntos de trilhas. Para norte, o caminho para carros logo se estreita e as trilhas fechadas (somente com guia) podem ser feitas a pé para a Pedra da Sacerdotisa, Pedra do Sapo e Pinheirinho (rampa de parapente); para sul, estão as rampas de voo livre e mais trilhas.

Seguindo pelo caminho sul, existem duas rampas de voo livre (abertas e com belas vistas): uma de madeira logo na estrada, voltada para São Paulo, e outra de metal, voltada para Minas Gerais. Continuando o caminho, atinge-se a Pousada Céu da Mantiqueira, onde também existe estacionamento, lanchonete e piscina, disponíveis para hóspedes ou quem quiser fazer as trilhas e aproveitar a infraestrutura do lugar, mediante o pagamento de 20 reais (isso em 2019).

Pousada Céu da Mantiqueira. Foto: ViniRoger

Subindo a pé um trecho curto e íngrime até uma pequena estrada, é possível atingir a Pedra do Marino (ou do Altar) à direita e a Pedra dos Cinco Dedos à esquerda (para subir nela, somente com apetrechos de escalada). Continuando reto, a trilha segue larga até um lago, de onde um pequeno trecho mais fechado dá acesso à Pedra dos Cabritos (1611 metros de altitude). Continuando, atinge-se a Pedra das Flores e a Pedra do Cume, onde uma pequena escalada dá acesso ao ponto mais alto (Pico do Lopo).

Pico do Cume e estado de São Paulo vistos a partir da Pedra dos Cabritos. Foto: ViniRoger

A vista de todos os mirantes é muito bonita. Mesmo quando o tempo está fechado, pode-se apreciar as nuvens mais de perto, em ângulos diferentes. Veja as duas gravações em “time lapse” de nuvens sobre Extrema: