Últimos destinos da VASP

Depois que a VASP parou de operar, começou uma longa briga judicial para o pagamento de dívidas trabalhistas e credores. Uma das formas de conseguir o dinheiro seria através dos leilões de bens da companhia. Mas os bens da VASP já tiveram outros destinos. Os nomes das cidades contém um link para o Google Maps, para saber exatamente onde se encontram as aeronaves atualmente.

Aviões

A maioria dos aviões que foram utilizados pela VASP tiveram como destino o desmanche e venda de componentes como sucata, mas alguns estão expostos em museus e praças públicas:

  • Vickers Viscount PP-SRJ – adquirido em 2006 pela Prefeitura de Araçariguama (SP), sendo transformado no Cine-Avião JK, hoje desativado.
  • Vickers Viscount PP-SRN – foi parar no morro do Cristo de Pedreira/SP nos anos 1980 (foi o primeiro avião que entrei na vida) mas depois foi incendiado.
  • Vickers Viscount PP-SRO – está no Museu de Armas, Máquinas e Veículos Antigos Eduardo André Matarazzo, de Bebedouro/SP.
  • Vickers Viscount PP-SRL – entrada da Fazenda Matarazzo em Bebedouro/SP.
  • SAAB Scandia PP-SQR – único exemplar existente de um SAAB Scandia no mundo, exposto no Museu Eduardo Matarazzo.
  • DC-6A PP-LFB – único DC-6 existente no país, exposto no Museu Eduardo Matarazzo.
  • DC-3 PT-KUB – utilizado como cargueiro militar na Segunda Guerra Mundial e adaptado pela VASP para passageiros, está em exposição no Museu Catavento (São Paulo/SP).

Os aviões Vickers Viscount e o DC-3 podem ser vistos nos respectivos posts (clique nos links para vê-los) da série “Caçadores da Aeronave Perdida“.

Avião DC-3 da VASP, antes utilizado na 2ª Guerra Mundial e agora em exposição no espaço Catavento (Parque Dom Pedro, centro de São Paulo). Foto: ViniRoger

Avião DC-3 da VASP, antes utilizado na 2ª Guerra Mundial e agora em exposição no espaço Catavento (Parque Dom Pedro, centro de São Paulo). Foto: ViniRoger

Alguns leilões foram organizados, contendo desde quadros, móveis, talheres, miniaturas de aviões e bens da empresa até aviões de verdade. A maioria das aeronaves foi “picotada” para venda como sucata. Veja a reportagem abaixo antes da realização de um desses leilões, de bens localizados no aeroporto de Congonhas:

O primeiro leilão de aeronaves da Vasp aconteceu em 2012, onde foram arrematados cinco aviões: PP-SMF, PP-SMG, PP-SMS, PP-SMU e PP-SFI (fonte: Caixa Preta). Todos viraram sucata, com exceção do SFI, que estava completo (veja mais abaixo).

Do leilão realizado em 2013, alguns foram comprados por empresas de sucata, outros por entusiastas (fonte: Caixa Preta, Folha de S. Paulo e Aeroentusiasta):

  • B-737 PP-SMR – de Campinas/SP, está praticamente só a fuselagem oca. Foi adquirido pelo proprietário da Helisul e doado para treinamento do Corpo de Bombeiros de Viracopos – veja um exemplo de seu novo uso nesse vídeo
  • B-737 PP-SMP – de Salvador/BA, foi para “marcocosta” (BH) e chegou a ser renegociado no Mercado Livre
  • B-737 PP-SNB – de Salvador/BA, foi para “chicodavasp” (Mossoró/RN) e foi noticiado que iria virar uma boate
  • B-737 PP-SPF – de Salvador/BA, foi para “Aviacbueno” (Mauá/SP)
  • A300 PP-SNM – de Guarulhos/SP, foi para “Aviacbueno” (Mauá/SP)
  • B-737 PP-SMW – de Guarulhos/SP, foi para Araraquara/SP (veja mais abaixo)
  • B-737 PP-SMC – de Guarulhos/SP, foi para Contagem/MG em um estacionamento e provavelmente vai virar uma boate – mais detalhes nesse link
  • B-737 PP-SMZ – de Guarulhos/SP, foi adquirido pelo proprietário da Helisul e repassado para São José dos Pinhais/PR, cuja seção frontal está na Escola de Aviação Civil Jambock
  • B-737 PP-SMA – de Belo Horizonte/BH, foi para Vespasiano/MG em um terreno particular
  • B-737 PP-SMT – do Rio de Janeiro/RJ, foi para empresa Ecosucatas (Mauá/SP)
  • B-727 PP-SFC – de Recife/PE, virou sucata nas mãos da empresa “Megatubos” (Cabo de Santo Agostinho/PE)
  • B-737 PP-SPI – de Recife/PE, virou sucata nas mãos da empresa “Megatubos” (Cabo de Santo Agostinho/PE)
  • B-737 PP-SNA – de Brasília/DF,  foi para “Aviacbueno” (Mauá/SP)
  • B-737 PP-SPH – de Brasília/DF, está preservado na fazenda Sorriso Metálico (Urutaí/GO) – clique no link para ler uma entrevista com o proprietário
  • B-737 PP-SMH – de Brasília/DF, arrematado para o proprietário da Helisul e foi transportado até Itapejara D’Oeste
  • B-737 PP-SPG – de Manaus/AM, foi para a empresa Ecosucatas (Mauá/SP)
  • B-737 PP-SMB – de Manaus/AM, foi transportado para Nanuque/MG e foi disponibilizado para empreendedores que desejem investir em comércio explorando o avião – mais detalhes no link.

Os aviões de matrícula SPF, SNM, SNA e SFG foram a leilão em 2014. Com exceção do SFG, eles já haviam sido leiloados no ano anterior e arrematados por alguém identificado como “Aviacbueno” de Mauá/SP, mas parece que deu algum problema e foram novamente a leilão (fonte: Caixa Preta):

  • B-737 PP-SPF – de Salvador/BA, foi para “PORTODEAREIA” (Juazeiro/BA)
  • A300 PP-SNM – de Guarulhos/SP, o comprador descobriu que roubaram coisas do interior dele, então entrou na disputa judicial para a Infraero/GRU Airport ressarcir. Depois de anos, a GRU ganhou o direito de dar o fim que lhe conviesse, sendo assim cortada e retirada para ir a um ferro velho – veja mais detalhes na matéria do Caixa Preta
  • B-737 PP-SNA – de Brasília/DF, foi comprado por um empresário e farmacêutico da Park Way (Brasília), interessado em preservar a história – veja mais nessa matéria
  • B-727 PP-SFG – de São Luiz/MA, continua abandonado no aeroporto

Em junho de 2016, os três aviões localizados no aeroporto de Salvador ainda estavam por lá. O PP-SNB e o PP-SMP continuam no meio do mato, enquanto que o PP-SPF seguia sendo desmontado lentamente, com a retirada da cauda e dos motores. (Informações atualizadas graças à Solange do Caixa Preta).

O PP-SOU, vendido em outra ocasião, foi voando para os EUA e lá desmontado pelo seu dono, enquanto que o PP-SFN ainda voa na Indonésia.

O Boeing 737-200 mostrado na reportagem do vídeo mais acima foi fabricado nos EUA em 1979 e leiloado por R$ 140 mil para o piloto Edinei Capistrano da Silva, 58, em fevereiro de 2012. Acabou gastando ao menos R$ 520 mil com o negócio, dentre avião, desmontar, transportar, remontar a aeronave e preparação do terreno para receber a pesada estrutura. Hoje, o comandante preserva em sua chácara o Boeing na versão de passageiros (prefixo PP-SFI, de 1979) junto de outro, na versão cargueira (o PP-SMW, de 1971). Eles estão localizados em uma área de 13 mil metros quadrados que será transformada em um espaço para eventos em Araraquara – veja o vídeo das partes externas e internas e mais informações no post Boeings 737 da Vasp.

O destino do restante da frota Vasp pode ser visto no link.

Galpões da VASP em Congonhas

Nessa mesma época dos leilões, os galpões de manutenção da VASP foram abertos para os interessados nos bens realizarem uma visita técnica e selecionarem o que interessava através de uma petição ao juiz que estava cuidando do caso. Depois esses bens foram separados em grupos para serem leiloados. Seguem algumas fotos de quando realizei essa visita (Fevereiro de 2012):

Veja o que é uma caixa preta no post sobre Partes da aeronave e mais sobre a VASP no artigo Viaje bem, viaje VASP.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

2 Pingbacks/Trackbacks