Teresina e Parque Sete Cidades

Formações rochosas e pinturas rupestres são as principais atrações do Parque Nacional de Sete Cidades, no Piauí. A capital do Estado, Teresina, também é um interessante destino turístico abordado nesse artigo. Fotos: ViniRoger.

Vista do mirante da Segunda Cidade do Parque Sete Cidades. Foto: ViniRoger.

Vista do mirante da Segunda Cidade do Parque Sete Cidades. Foto: ViniRoger.

Piauí

O nome do Estado vem da língua tupi, na qual significa “rio das piabas”. No Piauí, há vestígios da presença do homem que datam em até 50 000 anos atrás. Estes estão presentes no Parque Nacional da Serra das Confusões, de Sete Cidades e da Serra da Capivara, onde foram encontrados a cerâmica mais velha das Américas, um bloco de tinta de 10 000 anos, fósseis humanos e animais, pinturas rupestres e outros artefatos antigos.

No começo do século XVII, fazendeiros da região do rio São Francisco procuravam expandir suas criações de gado. Em 1811, o Piauí tornou-se uma capitania independente. Em 1852, a capital foi transferida de Oeiras para Teresina, tendo início um período de crescimento econômico.

Teresina

O nome da cidade remete a imperatriz Teresa Cristina Maria de Bourbon, que teria intermediado com o imperador Dom Pedro II a ideia de mudança da capital, e em sua homenagem deu-se o nome da cidade, que é a contração (mistura) das palavras Teresa e Cristina. Está conurbada com o município maranhense de Timon e, juntos, aglomeram cerca de 1 milhão de habitantes. Teresina também é a terceira cidade onde mais acontecem sequências de descargas elétricas no mundo. Por esta razão, a região recebe a curiosa denominação de “Chapada do Corisco”. Historicamente, Teresina desenvolveu-se por meio do Rio Parnaíba e do Rio Poti, através da navegação fluvial – por isso, há quem chame a capital piauiense de Mesopotâmia do Nordeste. Teresina também é conhecida por Cidade Verde, em virtude de ter ruas e avenidas entremeadas de árvores.

A cidade foi fundada em 1852 com o objetivo de tornar-se capital da Província do Piauí, sendo a primeira capital planejada do Brasil. A construção faz parte da atual Praça Marechal Deodoro, onde concentrava toda a esfera política do estado, com o prédio da Justiça Federal e do Palácio do Governo (atual museu do Piauí) e também destacava-se como centro econômico, com a inauguração do mercado velho. Hoje, marco zero da fundação da cidade, a praça possuí ainda o Palácio da Cidade (antiga escola normal) e o Mercado central (Mercado velho) do que integrava a sua fundação.

Ponte Estaiada de Teresina

Ponte Estaiada de Teresina

Existem duas pontes bem características da cidade. A ponte Metálica João Luis Ferreira ligava Teresina a São Luis do Maranhão por via férrea, foi construída em 1939. Já a ponte Estaiada João Isidoro França é a mais nova atração turística da Capital Piauiense. Construída sobre o Rio Poti, com 363 metros de extensão, seis pistas de rolamento e duas ciclovias, liga a Zona Norte da cidade à Zona Leste. Com torre única e estais assimétricos em harpa, a ponte possui a singular característica de abrigar em seu topo um mirante a 95 metros de altura com capacidade para até 100 pessoas, acessível através de dois elevadores panorâmicos.

O Aeroporto de Teresina Senador Petrônio Portella foi inaugurado em 1967 na região norte da cidade, a 3,5 km do centro. Em 1983 o pátio foi ampliado e reforçado para atender grandes aeronaves dos tipos Airbus A300 e Boeing 767. Entre os anos 2000/2001 a pista passou por um processo completo de recapeamento, além da construção de uma moderna Torre de controle.

No caminho para o Parque Sete Cidades, há o Monumento do Jenipapo, símbolo de bravura do povo piauiense. Lá, ocorreu uma das principais guerras em prol da Independência do Brasil.

Parque Nacional de Sete Cidades

Criado em 1961, é uma unidade de conservação brasileira de proteção integral da natureza localizada na região norte do estado do Piauí, distribuído pelos municípios de Brasileira e de Piracuruca. Seu acesso principal se dá pela cidade de Piripiri. O parque tem esse nome por causa dos diferentes grupos de rochas que, separados entre si parecem formar pequenas “cidades”. Já as pinturas rupestres apresentadas na unidade têm cerca de 6000 anos e são conhecidas internacionalmente.

A maior parte da flora encontrada no parque é típica de cerrado, com espécies como murici, cascudo, lixeira, bacuri, pequi e pau-terra, avistadas com facilidade. Nas manchas de caatinga encontram-se juazeiros, juremas, aroeiras e cactos, como o xique-xique e a coroa-de-frade. Há manchas de matas ao longo do curso dos rios e das nascentes, onde são comuns o pau-d`arco e a embaúba.

Em seu pequeno centro de visitantes, poderá encontrar informações sobre o parque e um guia para acompanhá-lo (é possível fazer o trajeto à pé ou de carro). O clima é quente e seco. A área aberta à visitação pública corresponde a cerca de 490 hectares (de um total de 6.221), num percurso de 12 km. No meio da paisagem rochosa do sertão semi-árido, surgem cachoeiras, como a do Riachão, piscinas naturais e olhos-d’água, como o dos Milagres. Veja alguns dos principais atrativos:

Primeira Cidade

Piscina dos Milagres (tem uma das nascentes do parque), Pedra dos Canhões (parecem troncos de árvores petrificados), Pedra da Gia (lembra uma rã com a boca aberta), Banco de Praça, Pedra da Ema, da Cobra, Máquina de costura, entre outros.

Segunda Cidade

Arco do Triunfo (lembra o arco francês), Mirante (ponto mais alto do Sete Cidades, com 82m de altura), Biblioteca (lembra um local com livros e papéis empilhados), Pé do Gigante, Pedra do Falo, Soldado velho, Teatro de Arena, Morro das Oliveiras, etc.

Terceira Cidade

Cabeça de Dom Pedro I, Três Reis Magos, Pedra do Beijo, do Segredo, do Pombo, Dedo de Deus, Cara do Diabo, Pedra de Nossa Senhora, Cavalo marinho, Mapa do Brasil (com divisão de estados) e Gruta do Estrangeiro, a maior do parque.

Quarta Cidade

Também tem um Mapa do Brasil, porém sem a divisão dos Estados, Gruta do Catirina (onde morou José Catirina, o curandeiro das sete cidades), pinturas pré-históricas no Archete, Pedra Leão deitado, Cabeça de Águia , Dois Irmãos, Dois Lagartos, etc.

Quinta Cidade

Pedra das Inscrições (com belas pinturas pré-históricas), Furna do Índio (com inscrições que lembram rituais de caça), Pedra do camelo, do Rei (de costas com seu manto e coroa) e da Casa do Guarda.

Sexta Cidade

As pedras da Tartaruga (lembrando seu casco), do Elefante e do Cachorro são os destaques desta cidade.

Pedra da Tartaruga (Sexta Cidade) vista de perto. Foto: ViniRoger.

Pedra da Tartaruga (Sexta Cidade) vista de perto. Foto: ViniRoger.

Sétima Cidade

Acesso permitido somente com autorização do ICMBio. Lá está uma reserva ecológica para preservação da fauna, flora e dos monumentos ricos em inscrições rupestres. A gruta do Pajé tem muitas inscrições rupestres. Em cima dela há o Dragão Chinês.

A seguir, vídeo com vista do topo do Parque Nacional de Sete Cidade, no Piauí, e de gruta com inscrições rupestres:

Fontes: Mochila Brasil, Secretaria de Turismo do Piauí.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

2 Pingbacks/Trackbacks