Suíça

A Confederação Suíça é uma república federal da Europa composta por 26 estados (chamados de cantões), com Berna como a sede das autoridades federais. Dominado pelas montanhas dos Alpes, é um dos países mais ricos do mundo e possui duas famosas cidades: Genebra, sede de diversos departamentos e filiais das Nações Unidas, da Cruz Vermelha (daí veio a bandeira da Suíça) e da UNESCO, e Zurique, centro financeiro da Suíça, com uma das bolsas de valores mais importantes da Europa; possui sede de vários bancos e o principal aeroporto do país. Tem uma longa história de neutralidade, não estando em estado de guerra internacionalmente a dois séculos. É constituída por quatro principais regiões linguísticas e culturais: alemão, francês, italiano e romanche (língua românica que se acredita descender do latim vulgar falado pelos romanos).

Vista durante subida de trem ao Monte Pilatus (Lucerna).

Vista durante subida de trem ao Monte Pilatus (Lucerna).

Confœderatio Helvetica é a designação oficial em latim do país (oriunda da antiga tribo celta dos Helvécios). Depois da queda do Império Romano, o território foi invadido por tribos germânicas, posteriormente sendo anexado ao Sacro Império Romano-Germânico. A estrada de São Gotardo serviu às populações que viviam nas planícies e nas montanhas, unindo-as.  Do século XI ao século XIII, muitas cidades foram fundadas nessa região. 1 de Agosto de 1291 é a data da formação da Confederação Helvética. O nome Guilherme Tell surge tipicamente associado à guerra de libertação nacional da Suíça face ao império Habsburgo da Áustria. Uma lenda diz que Guilherme e seu filho passaram pela praça de Altdorf e não saudaram o chapéu. Prenderam-no imediatamente e levaram-no à presença do governador que, reconhecendo-o, o fez, como castigo, disparar a besta a uma maçã na cabeça do filho. A seta atravessou a maçã sem tocar no rapaz, o que levaria a população a aplaudir os dotes do corajoso arqueiro. Sua história virou uma ópera de Gioachino Rossini.

A partir de 1332, a confederação começou a crescer, acolhendo novos membros. Após a Revolução Francesa de 1789, muitos suíços em todo o país começaram a pôr em causa o sistema político em vigor. Em 1792, ocorre a Revolução de Genebra. Um ano depois são realizadas eleições que viriam a culminar com a celebração de uma nova Constituição em 1794. Após Napoleão ter perdido contra a Rússia e na Batalha de Waterloo, a Suíça regressou ao sistema federal.

A Suíça não tem um presidente de Estado e sim um representante da Confederação que exerce as funções de Presidente da nação. O Presidente da Confederação Helvética é eleito pelos sete conselheiros federais por um período de um ano. Para que toda a população possa participar na vida política, a Suíça tem um sistema único no Mundo de democracia directa. É muito frequente a realização de referendos, quer a nível federal, quer a nível cantonal. Além do mais, os resultados de um referendo federal não implicam a obediência de uma lei referendada por um cantão que tenha votado contra.

Monte Pilatus (Lucerna): Estação com locomotiva (no detalhe, a vista do início da subida).

Monte Pilatus (Lucerna): Estação com locomotiva (no detalhe, a vista do início da subida).

Em Lucerna, o Monte Pilatus faz parte de maciço montanhoso onde se encontra a estação de chegada do teleférico a 2 106 m. Possui a linha de caminho de ferro a cremalheira (terceiro trilho dentado, entre os dois trilhos normais, onde um mecanismo está sob a locomotiva pousa sobre o trilho dentado e nela fica articulado) mais íngreme da mundo, o Caminho de Ferro Pilatus com uma declive máximo de 48 % e que foi aberto a 4 de Junho de 1889 e electrificado em 1937.

A Ponte Kapellbrücke (“ponte da capela”), em Lucerna, sobre o Lago dos Quatro Cantões, é uma das mais antigas pontes de madeira da Europa. Erigida em 1365, possui a Wasserturm (“torre da água”) na ponta sul. Bem alto, nas traves de madeira encontram-se 112 pinturas datadas do início do século XVII e restauradas no princípio do século XX.

Ponte Kapellbrücke (Lucerna).

Ponte Kapellbrücke (Lucerna).

Importante centro financeiro internacional, a Suíça é também a primeira praça financeira para a gestão de fortunas e continua a ser um porto seguro para os investidores, em razão do grau de sigilo bancário vigente no país e da histórica estabilidade da moeda local. Em termos de valor, a Suíça é responsável por metade da produção mundial de relógios (exemplo: Rolex). Um dos maiores fabricantes de canivetes do mundo é a Victorinox, responsável pela produção do famoso canivete suíço, inventado pelo cuteleiro Karl Elsener em 1894.

A cidade de Genebra acolhe o maior laboratório do mundo, o CERN, que se dedica à investigação na área da Física. Lá está instalado o Grande Colisor de Hádrons (LHC), o maior acelerador de partículas e o de maior energia existente do mundo.

A gastronomia típica helvética é claramente feita à base de leite. Os suíços produzem queijo e chocolate ao leite (a empresa Nestlé, sediada em Vevey, produz chocolate suíço para ser comercializado em todo o Mundo e tem uma fábrica cujo acesso se dá por trem – veja aqmyswitzerland e Swissinfo).

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback