Sertão cearense

O Ceará é conhecido nacionalmente pela religiosidade popular e pela fama de ser grande berço de talentos do humor. A jangada, ainda comum ao longo da costa, é considerada um dos maiores símbolos do povo e da cultura cearenses. A beleza de seu litoral abrange praias como as de Fortaleza (Futuro e Iracema, principalmente), Canoa Quebrada e Jericoacoara. No entanto, o sertão cearense reserva lugares surpreendentes para se conhecer. Veja alguns pontos turísticos e as belezas naturais de uma região ímpar no mundo.

Exceto pela maioria dos municípios litorâneos, todas as cidades do interior do Ceará fazem parte da região de clima semiárido brasileiro, junto com municípios de outros estados da região Nordeste (exceto Maranhão) e norte de Minas Gerais. O nome “sertão” deriva da palavra latina “sertanus”, que significa área deserta ou desabitada. A vegetação predominante do sertão é a caatinga, ou savana estépica.

Caatinga à beira da CE-265/166 (km 21), em Quixeramobim. Foto: ViniRoger

Caatinga à beira da CE-265/166 (km 21), em Quixeramobim. Foto: ViniRoger

Compreende as áreas dominadas pelo clima tropical semiárido (quente e seco), apresentando temperaturas médias elevadas, entre 25ºC e 30ºC, chegando a cair algumas vezes para 13 graus centígrados à noite em alguns locais mais elevados. Ao contrário dos demais semidesertos do mundo, o sertão não margeia um grande deserto, mas sim zonas úmidas. Possui duas estações bem definidas: uma chuvosa, que dura entre 3 e 4 meses, e outra seca. Apresenta os menores índices pluviométricos de todo o país, influenciados fortemente pelos fenômenos El Niño e La Niña.

Dentre os principais mecanismos indutores de chuvas na região está a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT): uma banda de nuvens que circunda a faixa equatorial do globo terrestre, formada principalmente pela confluência dos ventos alísios do hemisfério norte com os ventos alísios do hemisfério sul. A convergência dos ventos faz com que o ar, quente e úmido, suba, carregando umidade do oceano para os altos níveis da atmosfera ocorrendo a formação das nuvens.

Quixadá

Uma de suas características mais marcantes são formações rochosas, os monólitos, nos mais diversos formatos que “quebram” a aparente monotonia da paisagem sertaneja. São rochas ígneas, ou seja, formadas a partir do resfriamento do magma. Estão sobre um terreno cristalino, formado por rochas antigas e resistentes que surgiram anteriormente à era Cambriano, que com a erosão das chuvas e dos ventos afloraram acima da superfície.

Lagoa dos Monólitos. Foto: ViniRoger

Lagoa dos Monólitos. Foto: ViniRoger

A Lagoa dos Monólitos ou Açude do Eurípedes é circulada por um parque ecológico com restaurantes, calçadão para ciclistas e pedestres, quadras poliesportivas e pistas para off road, bicicross e motocross. O Chalé da Pedra foi construído sobre um monólito na década de 1920. Abriga um centro cultural e está localizado no centro da cidade. Feita em estilo arquitetônico Art Nouveau, foi inspirada em outro casarão existente nas proximidades da barragem do Açude do Cedro.

O Açude do Cedro é uma obra de combate à seca projetada na época do imperador Dom Pedro II, construído de 1890 a 1906. Andando pelo paredão de pedra que represa a água acumulada das chuvas, é possível observar uma curiosa formação rochosa conhecida como “galinha choca”. Veja no vídeo abaixo – no final, uma vista dos monólitos a partir de morro em Quixeramobim que abriga o radar meteorológico da Funceme:

Quixadá também é considerado um dos melhores para prática de voo livre na América do Sul, devido aos monolitos como base para os saltos e à intensidade dos ventos na região. Os ventos alísios contribuem muito para a ocorrência de ventos fortes e estáveis no Ceará, com velocidades que variam de 25 a 35 Km/hora, podendo chegar até a 40Km/h. Devido ao relevo, os ventos entram na região de Aracati e seguem fortes no continente até o meio do estado. Os monólitos podem promover o efeito local de tubo de Venturi, acelerando o fluxo de ar em superfície. Ventos de Leste e Sudeste costumam ser mais fortes em agosto e setembro.

Anualmente, abriga o Encontro dos Profetas da Chuva, cujo conhecimento é construído ao longo dos anos através de sua interação com o meio ambiente e por meio do desenvolvimento de experiências e rituais, passados de geração em geração. A interpretação dos sinais na natureza segue princípios e procura padrões ligados à renovação de alimentos e à reprodução das espécies. Dessa maneira, a previsão é resultado de observações do ecossistema como um todo, com atenção às inter-relações e proporções entre os vários elementos. Um exemplo da tradição diz que, se chover no dia de São José (29 de março), é porque haverá uma estação chuvosa abundante nos próximos meses.

O Museu Histórico Jacinto de Sousa ocupa uma casa construída em 1922 por Raimundo Franklin, um dos autores do monumento localizado na praça da estação, que fica em frente ao museu. Seu acervo é composto por utensílios, fotografias, maquetes, móveis, documentos, arte sacra, roupas, arquivos de áudio e vídeo e fósseis.

Quixeramobim

Vizinha de Quixadá, Quixeramobim está no centro geográfico do Ceará. Localizado na Praça Dias Ferreira, o Marco do Centro Geográfico do Ceará, segundo definição dada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referencia o presumido ponto de equidistância geodésica do Estado. No local, pode-se ver implantado um obelisco feito à partir de granito com altura em torno de 10 metros.

A Ponte Metálica, inaugurada em 1899, foi construída como prolongamento da Estrada de Ferro de Baturité, que ía em direção à região sul do estado. É formada por cinco vãos em torno de 52 metros cada e assentados sobre pilares feitos de blocos de pedra robustos, tendo uma extensão total de quase 210 metros de comprimentos. Serviu de inspiração durante o projeto da construção do Centro Cultural Dragão do Mar em Fortaleza.

Na cidade, também está um dos dois centros culturais relacionados à Antônio Conselheiro, natural de Quixeramobim, e à Guerra de Canudos (este localizado no município de Canudos/BA). Antônio Vicente Mendes Maciel (1830-1897), mais conhecido como “Antônio Conselheiro”, se autodenominava “o peregrino” e foi um líder religioso brasileiro. Figura carismática, adquiriu uma dimensão messiânica ao liderar o arraial de Canudos, um pequeno vilarejo no sertão da Bahia, que atraiu milhares de sertanejos, entre camponeses, índios e escravos recém-libertos. Começaram a construir uma comunidade igualitária inspirada no exemplo dos primeiros cristão: uma comunidade sem classes, com uma economia autossustentável, baseada na solidariedade e trabalho comunitário, sendo a religião um instrumento da libertação social. O vilarejo de Canudos foi destruído pelo Exército da República na chamada Guerra de Canudos em 1896.

Sobral

O sítio urbano de Sobral foi tombado como patrimônio cultural do Brasil. O Arco de Nossa Senhora de Fátima é um dos monumentos que mais caracterizam a cidade. Foi construído por iniciativa de Dom José Tupinambá da Frota em 1953, como marco da visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima a Sobral.

O Museu Dom José funciona onde foi o Palácio Episcopal e possui coleções de porcelana, cristal, imaginária, mobiliário, paleontologia, etnologia, arqueologia, armaria, numismática, indumentária, ourivesaria, iconografia, adereços e acessórios.

A cidade ficou conhecida internacionalmente por ter sido um dos locais de comprovação da Teoria da Relatividade de Albert Einstein, em 1919, junto com a Ilha do Príncipe em São Tomé e Príncipe. A Expedição Britânica do Eclipse Solar, liderada por Arthur Stanley Eddington se deslocou para os dois lugares a fim de comprovar (graças ao eclipse solar de 29 de maio de 1919) a distorção que a luz sofre ao chegar no Planeta Terra. No dia, a Ilha do Príncipe apresentou tempo nublado, o que prejudicou muito o trabalho.

Como lembrança de tal fato, foi construído na praça da Igreja de Nossa Senhora do Patrocínio, um monumento e posteriormente um museu, chamado de Museu do Eclipse, que expõe painéis contendo mapas e fotos da cidade de Sobral na época do Eclipse, dos integrantes das comissões brasileira e estrangeira para observação do fenômeno, instrumentos utilizados pelos cientistas e um telescópio adaptado com uma câmera digital de alta resolução, sendo este, considerado um dos aparelhos mais potentes do Norte e Nordeste do país.

Ubajara

O nome do município tem origem indígena cuja tradução para a língua portuguesa que prevalece é “Senhor da Canoa”. O nome teria surgido da lenda de um cacique que, vindo do litoral, teria habitado a gruta por muitos anos. Inclusive existe um Monumento a historicidade indígena na praça do Terminal Rodoviário. É muito procurada por turistas por conta do Parque Nacional de Ubajara, onde se encontra a Gruta de Ubajara, acessível por meio de teleférico durante 2 ou 3 minutos ou margeando um riacho. Os diversos salões foram batizados com nomes alusivos às figuras que as formações representam. Fotos e vídeos de lá podem ser vistos nesse link.

Cariri

Região Metropolitana do Cariri, localizada no extremo sul do Ceará, surgiu a partir da conurbação entre os municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha. Somando-se a eles, foram incluídas as cidades limítrofes. A região é conhecida como o “Oásis do Sertão” pelas características climáticas mais úmidas e favoráveis à agropecuária. Possui aeroporto (em Juazeiro do Norte) e metrô do tipo VLT (veículo leve sobre trilhos).

A Chapada do Araripe é uma formação do relevo e sítio arqueológico localizado na região, divisa dos estados do Ceará, Piauí e Pernambuco. Além de centenas de fontes naturais, abriga o Geoparque Araripe, que contém a principal jazida de fósseis cretáceos do Brasil. Isso inclui a maior concentração de vestígios de pterossauros do mundo, além de 20 ordens diferentes de insetos fossilizados, com idade aproximada 110 milhões de anos.

Juazeiro do Norte era inicialmente um distrito da cidade vizinha Crato, até que o jovem Padre Cícero Romão Batista (1844-1934) resolveu se fixar como pároco no lugarejo, até então sem capelão e, portanto, sem os serviços religiosos. Na ocasião do chamado “milagre de Juazeiro”, uma hóstia sagrada dada à beata Maria de Araújo por Padre Cícero se transformou em sangue. Desde então, a figura de “Padim Ciço” assumiu características místicas e passou a ser venerado pelo povo como um santo. Na colina do Horto, ponto mais alto de Juazeiro, foi erguida uma estátua do Padre Cícero com 27 metros de altura, a quarta maior do mundo. Ainda no Horto, está o Museu Vivo do Padre Cícero com réplicas em cera de personalidades do município. Encontra-se sepultado na Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Cangaceiros

O Cangaço foi um fenômeno do banditismo brasileiro ocorrido no nordeste do país em que os homens do grupo vagavam pelas cidades em busca de justiça e vingança pela falta de emprego, alimento e cidadania causando o desordenamento da rotina dos camponeses. Seu nome vem da palavra canga (peça de madeira usada para prender junta de bois a carro ou arado; jugo).

Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, era devoto de padre Cícero e respeitava as suas crenças e conselhos. Os dois se encontraram uma única vez, em Juazeiro do Norte, em 1926. Naquele ano, a Coluna Prestes, liderada por Luís Carlos Prestes, percorria o interior do Brasil desafiando o Governo Federal. Para combatê-la, foram criados os chamados Batalhões Patrióticos, comandados por líderes regionais – dentre eles, Lampião – que muitas vezes arregimentavam cangaceiros.

Transportes

Para viajar pelo sertão, o melhor é alugar um carro e não esquecer do GPS. Os caminhos partindo de Fortaleza geralmente contam com centenas de cajueiros a perder de vista na beira da estrada. Os ônibus são opções para quem tem mais tempo. As ferrovias herdadas pela RFFSA são voltadas para o transporte de carga.

O Plano de Desenvolvimento da Aviação Regional do Governo Federal, criado em 2012, previa reforma e modernização de aeroportos para encorajar as companhias aéreas a voar para destinos com pouca oferta no país, permitindo o acesso de mais pessoas à malha aérea e facilitando o desenvolvimento destas cidades. Incluiu nove aeroportos cearenses: Quixadá, Sobral, Juazeiro do Norte, Iguatu, Canindé, Aracati, Crateús, Itapipoca e Jijoca de Jericoacoara.

Somente o de Juazeiro é administrado pela Infraero e recebe voos comerciais, sendo que os demais estão sob responsabilidade do Departamento Estadual de Rodovias (DER). Isso inclui os aeroportos de Camocim, Campos Sales, Limoeiro do Norte, Russas, São Benedito e Tauá, que só atendem a voos particulares e fretados, de pequeno e médio porte. Alguns aeroportos foram reinaugurados, mas a crise da aviação em 2016 impediu o interesse pelas empresas aéreas.

Fontes

Para ver dicas de turismo em cidades que não são muito conhecidas, existem três boas fontes: o site da prefeitura da cidade, TripAdvisor (aba “o que fazer”) e Wikipedia.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.