Praias do Guarujá

O município de Guarujá (e não “do” Guarujá) está localizado na baixada santista, na Ilha de Santo Amaro. Ela surgiu no final da Era Glacial (20 mil anos atrás), quando o Canal de Bertioga e o Estuário de Santos são abertos com a contínua elevação do nível do Oceano Atlântico. Os primeiros habitantes foram os homens dos sambaquis, grupo humano seminômade que habitou o litoral sul/sudeste brasileiro após o final da Era Glacial. Depois, passou a ser visitada pelos tupis – o nome da cidade vem do tupi, que significa “passagem estreita”. Por fim, portugueses começaram sua colonização, muitas vezes em função do desenvolvimento de Santos.

Pode-se chegar a Guarujá pela Rodovia Cônego Domênico Rangoni, também conhecida como Piaçaguera-Guarujá (do tupi, significa “caminho onde passa o guará”, um pássaro de mangue). Também pode-se usar balsa de Santos ou de Bertioga.

Oficialmente, Guarujá tem 27 praias. Muitas delas estão preservadas no Parque da Serra do Guararú (algumas inclusive somente acessíveis por trilhas ou com acesso restrito por condomínios), mas algumas são bem urbanizadas, inclusive algumas bem poluídas. Na direção de norte para sul (seguindo pelo litoral de Bertioga para Santos), as praias são:

Praia da Armação das Baleias

Localizada na região do “rabo do dragão” (o mapa da ilha onde está Guarujá lembra um dragão), próximo ao Ferry Boat Guarujá-Bertioga. Acessível por trilha de 40 minutos partindo do ferry boat (portal da Sociedade dos Amigos da Prainha Branca) ou por barco – conhecida como trilha das ruínas. Com 50 metros de comprimento e águas calmas, teve a primeira indústria de extração e processamento de óleo de baleia no século XVI, que era destinado à iluminação pública.

Próximo, estão as ruínas da Ermida de Santo Antônio do Guaibê, utilizada pelo padre José de Anchieta catequizar os índios, e o Forte São Luiz, usado pelo artilheiro alemão Hans Staden. Substituiu o extinto Forte São Felipe no papel de defesa da entrada do canal de Bertioga, juntamente com o Forte São João em Bertioga.

Praia Branca

Pode ser atingida através da mesma trilha das ruínas, com duração de 20 minutos. Extensa (1350 metros), possui ondas fortes no seu lado esquerdo, e do seu lado direito um mar calmo.

Praia Preta

Pode ser atingida por trilha de 300 metros (15 minutos) partindo à direta da Praia Branca. Com 200 metros de extensão, possui águas calmas e transparentes a maior parte do ano – ótima praia para banhistas e mergulho observatório.

Praia do Camburí (ou Camburizinho)

Pode ser atingida por trilha de 20 minutos partindo à direita da Praia Preta – tem cachoeira no meio da trilha. Possui águas claras e um pequeno rio formado por uma nascente no alto da floresta que deságua no mar.

Praia do Pinheiro (ou Itaguaíba)

Praia do Pinheiro vista a partir de rocha na divisa com praia do Iporanga. Foto: ViniRoger

Acesso pela estrada que liga Guarujá e Bertioga (SP-061), passando pela guarita do condomínio Taguaíba no km 18,5. Chegue cedo nos finais de semana e alta temporada (por volta de 7h da manhã) – o acesso é controlado (leve documento do motorista) e restrito a 100 pessoas/veículos por dia. Também é acessível através das pedras a partir da praia do Iporanga. Possui 700 metros de extensão e somente casas de veraneio, sem comércio – leve sua comida e recolha seu lixo.

Praia do Iporanga

Cachoeira no canto esquerdo da praia do Iporanga. Foto: ViniRoger

Acesso pela estrada que liga Guarujá e Bertioga (SP-061), passando pela guarita do condomínio Tijucopava no km 17,5. Chegue cedo nos finais de semana e alta temporada (por volta de 7h da manhã) – o acesso é controlado (leve documento do motorista) e restrito a 100 pessoas/veículos por dia. Possui 800 metros de extensão e somente casas de veraneio, sem comércio – leve sua comida e recolha seu lixo. Seu grande diferencial é uma cachoeira de frente para a praia que forma uma piscina natural nas pedras e um riacho desaguando no mar.

Praia das Conchas

Chegada na praia das Conchas. Foto: ViniRoger

Mesmo acesso que o realizado para a Praia do Iporanga, mas seguir para praia de São Pedro dentro do condomínio (bifurcação à direita indicada por placa). No estacionamento, descer do carro e seguir caminho pavimentado para esquerda. Com pequena extensão (150 metros), possui água bem calmas e um riacho que deságua nas pedras, além de muitas conchas.

Praia de São Pedro

Praia de São Pedro vista perto da escada que leva ao estacionamento. Foto: ViniRoger

O acesso pode ser o mesmo que o realizado para a praia das Conchas ou também pelo condomínio São Pedro (km 17 da SP-061). Praia extensa (1400 metros) e com fortes ondas.

Praia do Perequê

Barcos no Perequê. Foto: ViniRoger

Reduto de pescadores, costuma ficar imprópria para banho. Há uma pequena cachoeira no lado esquerdo da praia, enquanto que no canto direito, onde a rodovia passa junto à praia, existem restaurantes, barracas e mercado de peixes. Seu nome vem do indígena e significa “entrada de peixes”.

Praia de Pernambuco

Praia de Pernambuco vista da Ilha do Mar Casado. Foto: ViniRoger

Possui casas e condomínios de alto padrão, além do complexo hoteleiro Jequitimar. É de acesso aberto e extensa (1650 metros), lotando sua estreita faixa de areia na alta temporada. Seu acesso se dá pela rodovia que liga Guarujá (praia da Enseada) e Bertioga (SP-061), também conhecida como Estrada de Pernambuco. Algumas ruas dão direto na praia, com muitas casas direto na areia (ou seja, sem calçadão). Seu nome vem do indígena e significa “mar com fendas”. Em frente, está a Ilha do Arvoredo, controlada pela Fundação Fernando Lee e pela Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp).

Praia do Mar Casado

Praia do Mar Casado. Foto: ViniRoger

Localizada ao laso da praia de Pernambuco, aparece somente durante a maré baixa, quando surge uma faixa de areia ligando o continente à Ilha do Mar Casado.

Praia do Sorocotuba

Com apenas 100 metros, está dentro do condomínio Sorocotuba (acessível pela estrada de Pernambuco) e possui muitas casas diretamente sobre o mar. Com acesso restrito somente a moradores por terra, pode-se atingí-la de barco. Seu nome vem do indígena e significa “monte escorregadio”.

Praia do Éden

Com apenas 50 metros de extensão, seu acesso se dá pelo mesmo ponto da Estrada de Pernambuco para atingir a praia do Sorocotuba, mas deve-se virar à direita em um ponto do condomínio – sentido restaurante “Toca do Tubarão”. Depois, deve-se descer uma trilha íngrime na enconsta do morro com cerca de 50 metros.

Praia da Enseada

A mais extensa da cidade, com 5600 metros. Na parte próxima ao morro da Península está o condomínio Tortugas, de onde pode-se subir uma rua que dá vista para toda a praia e também conta com um acesso com vista para o costão rochoso. Na outra ponta, está o Morro da Campina (Maluf) e seu mirante. Praia de faixa de areia larga e comércio intenso. Nele está também o aquário do Guarujá (Acqua Mundi).

Praia da Enseada ao entardecer. Foto: ViniRoger

A avenida que beira a praia recebe o nome de um dos maiores proprietários de terras de Guarujá e que possuía metade da praia: Miguel Estéfano. A primeira casa da praia foi dele, onde funciona hoje o Hotel Casa Grande. Ele também possuiu uma chácara no Jabaquara (São Paulo/SP), onde morou e acabou dando nome a uma avenida do bairro. Era perto do local onde funcionou a Fiação Pereira & Estéfano, que foi vendida para o Moinho Santista.

Praia das Pitangueiras

Praia bastante urbanizada, com altos prédios, e uma feirinha de artesanato, com movimento mais forte à noite. Em frente, está a ilha Pompeba, rochosa e bem próxima à orla de 1800 metros de extensão.

Parte da história da praia começa com o Grand Hotel La Plage. Inaugurado em 1893, foi reconstruído em 1912 com projeto de Ramos de Azevedo, mas destruído em 1960. Nele que, em 1932, morreria o aeronauta e inventor brasileiro Alberto Santos Dumont, que havia se hospedado após sérios problemas de saúde.

Havia uma linha de bonde (o “tramway”) que ligava do porto de Itapema (chegada das barcas de Santos, próximo ao Forte da Vera Cruz de Itapema) até o local. Estava localizado onde hoje é o Shopping La Plage. Já o tramway, foi desativado em 1956 e o material rodante transferido para a E. F. Campos do Jordão. A locomotiva a vapor nº2, fabricada pela Baldwin em 1891, original da Companhia Balneária encontra-se preservada na avenida Leomil, no cruzamento com a avenida Puglisi.

Praia das Astúrias

Extensão de 1100 metros e orla bastante urbanizada. Na divisa com a praia de Pitangueiras, está a Casa das Pedras, projetada pelo arquiteto Gregori Warchavchik. Próximo, está o mirante das Galhetas (costão rochoso no fim de uma rua).

Praia do Tombo

Praia do Tombo vista do mirante da Caixa D’água. Foto: ViniRoger

Com 900 metros de extensão, possui fortes ondas devido a sua formação geológica. No sentido da praia das Astúrias, está o Mirante da Caixa D’água, de onde realizam-se saltos de paraglider.

Praia do Monduba (ou do Bueno)

Seu nome é uma expressão indígena que significa “ruído barulhento”, provocado pelo choque estrondoso das ondas nos penhascos. Possui uma extensão de aproximadamente 400 metros e acesso restrito. Está localizada dentro das instalações do Forte dos Andradas, onde atualmente abriga a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, Quartel-General do Exército Brasileiro. Compõe-se de um complexo sistema de túneis de concreto, câmaras e elevadores que permitem a movimentação dos soldados e da munição. Foi projetado em 1934, teve sua construção iniciada em 1938 e foi inaugurado em 1942.

Praia de Fora (ou Moisés)

Praia isolada, mais ao sul da Ilha de Santo Amaro. Com apenas 50 metros de extensão, também está localizada na área militar do Forte das Andradas, pertencente ao exército e acesso não permitido.

Praia do Guaiúba

Seu nome significa “vale de pequenas canoas”. Com extensão de 790 metros, possui águas calmas e pouco comércio, com casas de veraneio.

Praia Saco do Major

Possui 400 metros, água calmas e transparentes. É uma das praias mais isoladas de Guarujá: cercada de morros com vegetação de Mata Atlântica, tem acesso a partir de estrada em terreno particular na Estrada de Santa Cruz dos Navegantes e depois uma trilha fechada e íngrime. Possui muitas rochas, pouca areia, ondas fortes e uma casa particular (antiga residência de um major).

Ilha das Palmas

Pertence ao Clube de Pesca de Santos e só é acessada por barco. Uma pequena ponte a conecta ao continente e dá acesso a uma pequena praia do outro lado. Para chegar nela, é necessário ir até seu estaleiro que fica de frente para o número 85 da Av. Saldanha da Gama e pegar uma de suas barcas que partem diversas vezes ao dia, mas precisa ter convite de um sócio e pagar uma taxa – veja fotos e mais informações no link do Viaje Leve.

Praia do Congava (ou Sangava)

Com 170 metros de extensão, possui águas claras e calmas. É atingida através de trilha nível alto (1 hora e meia de caminhada) saindo da Praia do Góes ou do bairro de Santa Cruz dos Navegantes, mas também pode-se chegar de barco a partir da Ponte dos Práticos, na Ponta da Praia, em Santos.

Praia Cheira Limão

Menor praia do Guarujá, com apenas 20 metros de extensão. Com águas calmas, sua areia é repleta de conchas, e possui vista para a cidade de Santos. Acesso via trilha partindo da Praia do Góes ou por barco partindo da Ponte dos Práticos (Santos).

Praia do Goés

Com 250 metros de extensão, é habitada basicamente por pescadores e está cercada por morros cobertos de mata atlântica. O acesso é feito por embarcação que sai da Ponte Edgard Perdigão (Santos) ou por trilha a partir da Estrada de Santa Cruz dos Navegantes.

Praia da Fortaleza da Barra Grande

Nela está a Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande.

Santa Cruz dos Navegantes

Também conhecida como “pouca farinha”, tem curta faixa de areia, poluída. É acessível pela Estrada de Santa Cruz dos Navegantes, com 6 km de extensão partindo do final da rua José Avelino de Oliveira, na praia do Tombo.

Vicente de Carvalho

Não possui praia, mas é o bairro mais povoado de Guarujá. Começou a ser ocupado ao redor do porto de Itapema, onde já se econtrava o Forte da Vera Cruz de Itapema, construído para proteger o porto de Santos. Nele está localizada a Base Aérea de Santos, que divide espaço com o Aeródromo Civil Metropolitano de Guarujá (SBST) desde 2015 (em projeto).

Fontes

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback