Por quê fazer psicoterapia?

Por Maria Auxiliadora Roggério

Diferente de um familiar ou de um amigo que nos ouve em momentos difíceis, angustiantes e nos diz sua opinião ou nos critica e espera que passemos a agir da maneira como acreditam ser a melhor, mais adequada, o psicólogo é um profissional capacitado a escutar e a oferecer apoio emocional, sem preconceitos ou julgamentos.

Numa atitude imparcial e empática, o psicólogo está sempre disponível para compreender e aceitar a pessoa como ela está, auxiliando-a na compreensão de si mesma e na resolução de seus problemas.

Podemos conversar sobre quase tudo com amigos ou com pessoas de nossa mais inteira confiança. Quantas vezes já não ouvimos a frase: “Não há segredos entre nós.”? No entanto, sobre certas questões de nossa existência, lembranças que nos angustiam, culpas que remoemos, mágoas persistentes, perdas que não conseguimos superar, entre tantas outras situações, não nos sentimos à vontade para conversar com alguém que poderá nos julgar ou não perceber a extensão de nosso sofrimento.

consultorio

Na psicoterapia, a pessoa que sofre encontra espaço para falar abertamente sobre o que a aflige, para ouvir a si mesma, ampliar sua percepção e pensar em alternativas, possibilidades de transformação existencial. Permite melhorar os relacionamentos interpessoais, aumentar o autoconhecimento e consequentemente, uma vida mais saudável e gratificante.

Psicodiagnóstico

O Psicodiagnóstico é um processo de avaliação psicológica, utilizado com o objetivo de identificar, descrever e compreender determinado problema.

É realizado em quatro ou cinco atendimentos de 50 minutos cada, dependendo de cada caso, por meio de entrevistas sobre a história de vida do paciente (anamnese) e, se for necessário, poderão ser aplicados testes (projetivos e/ou psicométricos) e outros procedimentos psicológicos para que se formulem hipóteses diagnósticas.

Quando o Psicodiagnóstico é solicitado para uma criança, são realizadas entrevistas com os pais e aplicação de Ludodiagnóstico, que consiste na observação da criança em atividade com brinquedos selecionados. Ao final é realizada entrevista devolutiva, na qual os resultados obtidos são comunicados, bem como a indicação de tratamento ou de encaminhamento, quando necessários.

Há uma forma de atuação do psicólogo subordinada ao pensamento clínico – o Psicodiagnóstico Interventivo -, na qual o diagnóstico e a compreensão da problemática do indivíduo associam-se a uma intervenção nos aspectos emergentes e significativos causadores ou determinantes do sofrimento psíquico. O trabalho assim estruturado permite que ocorram mudanças terapêuticas na pessoa que sofre, desde os primeiros atendimentos.

O que é …

  • Psicoterapia Individual – Atendimento psicoterapêutico a crianças, adolescentes e a adultos jovens ou idosos com a finalidade de tratar distúrbios psicológicos, emocionais, evolutivos, intelectuais entre outros, bem como busca de autoconhecimento.
  • Atendimento psicológico a idosos (Psicogerontologia) – Destina-se a promover equilíbrio psíquico nessa etapa da vida.
  • Psicoterapia em Casal – Atendimento psicoterapêutico que visa a favorecer ao equilíbrio do casal na relação conjugal e seu ajustamento no convívio social por meio da análise e resolução dos conflitos e suporte nas crises.
  • Psicodiagnóstico Interventivo – Uma forma de avaliação que permite diagnosticar e intervir nos aspectos emergentes e latentes causadores do sofrimento psíquico. Visa apreender a dinâmica intrapsíquica e compreender a problemática do indivíduo.
Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.