Parques de São Paulo

Apesar de milhares de quilômetros quadrados de área urbanizada, a grande São Paulo possui vários parques com as mais variadas opções. Segue uma lista de alguns que visitei com seus principais pontos fortes e fracos – praticamente todos tem aparelhos de ginástica.. Cada um visita um parque por um certo motivo; no meu caso são as pistas para caminhada, beleza natural, importância histórica e particularidades (coisas que só tem lá).

Parque Estadual do Juquery (Franco da Rocha)

Parque do Juquery: Torre de observação e pista de pouso. Fotos: ViniRoger

Parque do Juquery: Torre de observação e pista de pouso. Fotos: ViniRoger

Por ser a última reserva de cerrado na região metropolitana, somente próximo de vales com corpos d’água é que são encontradas árvores próximas a ponto de fazerem sombra considerável. Devido à grande extensão, é recomendável usar uma bicicleta para conhecê-lo ou ter muita água, chapéu e disposição para caminhadas em trilha de terra com algumas boas subidas. Um roteiro possível é descer a trilha principal até a trilha dos lagos, passar pelo lago e subir uma escada de pneus até um descampado de terra vermelha, onde existia uma pista de pouso de pequenos aviões. De lá, subir mais um trecho para o quiosque e depois para o mirante. Lá não vende comida, então leve tudo de casa e não deixe lixo espalhado. O acesso se dá em uma travessa de terra quase saindo da Rod. Pref. Luiz Salomão Chama, em frente à Escola de Bombeiros, no mesmo acesso ao Centro de Detenção. Com relação ao famoso (e atualmente abandonado) Hospital Psiquiátrico do Juquery, esse fica junto ao complexo hospitalar, mais perto do centro da cidade.

Horto Florestal

Antigo Horto Florestal, o Parque Estadual Alberto Löfgren apresenta trilhas bem sombreadas, espaçosas e bem cuidadas. É comum encontrar “macaquinhos” nas árvores. Também abriga o Instituto Florestal, o Palácio de Verão do Governo do Estado e o Museu Florestal Otávio Vecchi, que possui o maior acervo de madeiras da América Latina, ao lado do marco do Trópico de Capricórnio, que corta o parque. Próximos, estão os Parques Estaduais Itaberaba e Itapetinga, criados como corredor ecológico entre as maiores áreas verdes da região.

Parque Estadual da Cantareira

Localizado ao lado do Horto Florestal, possui uma das maiores áreas de mata tropical nativa do mundo situada dentro de uma região metropolitana. A Pedra Grande, um grande afloramento rochoso de granito, fica a 1.010 m de altitude e permite uma vista panorâmica de São Paulo. As trilhas são largas e bem preservadas, mas em subida constante.

Parque Estadual do Jaraguá

É representado pelo Pico do Jaraguá, que representa o ponto mais alto da cidade de São Paulo com 1.135 metros de altitude. Pode ser atingido por estrada asfaltada ou trilha (íngrime em alguns trechos).

Parques do Trote e de Vila Guilherme

Localizados um ao lado do outro. Apresenta prédios e pista de corrida da antiga Sociedade Paulista do Trote.

Parque da Juventude

Junto ao metrô Carandiru, ocupa a área da antiga Casa de Detenção do Carandiru (ainda tem um presídio lá, só que menor). As antigas passarelas de vigia da muralha do antigo presídio estão preservadas, e era possível caminhar sobre elas. Um parque todo plano e com várias pistas para caminhada, algumas com sombra.

Parque da Água Branca

Possui prédios históricos, mata nativa, pavões, gatos, patos e galinhas ao ar livre. A Casa de Caboclo é uma réplica das residências da zona rural, onde o visitante pode experimentar a Cavaca, uma broa de milho assada na chapa do fogão a lenha. O Relógio do Sol é outra atração interessante. Também abriga o Instituto de Pesca e o Museu Geológico Valdemar Lefèvre, entre outras instituições, e uma arena. Andar pelas ruas do parque rende uma boa caminhada com uma agradável paisagem. Veja mais sobre a região da Barra Funda e Água Branca clicando no link.

Jardim da Luz

Jardim da Luz: coreto e fonte ao fundo. Foto: ViniRoger.

Jardim da Luz: coreto e fonte ao fundo. Foto: ViniRoger.

Com belo paisagismo, é próximo ao metrô e museus. Todo plano e com vários trajetos a serem percorridos a pé. Veja mais no post sobre Turismo na região da Luz.

Parque Buenos Aires

Considerado praça até 1987, tem espaço para caminhada mas não é muito grande, sendo que uma parte dele é subida. Possui um espelho d’água e é bem arborizado, com muita sombra e estátuas ao ar livre. Muitas pessoas levam os cães para passear aqui.

Parque Sabesp Mooca – Radialista Fiori Gigliotti

É um parque novo com boa infraestrutura. Por ser pequeno e na encosta de um terreno, não é bom para caminhadas. Tem área para crianças e gramado para atividades esportivas, além de dois prédios históricos (Casa de Manobra e Torre da Caixa d’Água).

Parque Trianon (Tenente Siqueira Campos)

Localizado em frente ao MASP, próximo ao metrô de mesmo nome, em plena Avenida Paulista. Possui trilhas pequenas em terreno acidentado, mas vegetação fechada e algumas estátuas expostas. A duas quadras no sentido Consolação, está o Parque Prefeito Mário Covas, que nada mais é do que uma praça grande.

Praça Victor Civita

Praça Victor Civita: auditório e horta. Foto: ViniRoger.

Praça Victor Civita: auditório e horta. Foto: ViniRoger.

Pequeno demais para caminhadas, é bem interessante por possuir um grande deck de madeira legalizada e uma laje alveolar. Foi construída na área onde funcionou o Incinerador Pinheiros, também conhecido como Sumidouro, após um processo cuidadoso de descontaminação do local. Localizada próxima à estação Pinheiros do metrô.

Parques Villa Lobos e Cândido Portinari

Localizados próximo à estação Villa Lobos – Jaguaré da CPTM, quase não se nota o limite entre um e outro. Apresenta grande área plana e caminhos praticamente nivelados com grandes áreas sem sombra. Possui vista para a USP e rio Pinheiros, tendo sido construído no alto de um aterro sanitário desativado. Também conta com galpões da Estação Ciência.

Parque do Povo (Mário Pimenta Camargo)

Próximo à estação Cidade Jardim da CPTM, é acessível por uma bela passarela para pedestres ou por outra para bicicletas, que o liga com a ciclovia da Marginal Pinheiros. Por ser um parque relativamente novo, ainda não possui grandes árvores nem muita sombra, apesar de uma boa pista para caminhada.

Parque Alfredo Volpi

Parque Alfredo Volpi: monjolo (pilão movido pela energia da água para moer grãos). Foto: ViniRoger.

Parque Alfredo Volpi: monjolo (pilão movido pela energia da água para moer grãos). Foto: ViniRoger.

Conta com uma trilha de tamanho considerável no meio da mata, com subidas e descidas. Em uma ramificação, existe uma subida íngrime sem saída. Além da Mata Atlântica preservada, existe uma nascente.

Parque Burle Marx

Parque Burle Marx: paisagismo e prédio principal. Foto: ViniRoger.

Parque Burle Marx: paisagismo e prédio principal. Foto: ViniRoger.

Seu ponto forte é o paisagismo de Burle Marx e o antigo hotel. Também possui trilhas (com subidas e descidas) em trechos de mata fechada, mas bem preservadas.

Parque do Ibirapuera

Possui museus, planetário, obelisco e o Pavilhão Japonês, com jardins e lagos característicos. O lago tem um show de luzes e chafarizes a noite. Apresenta muitas pistas para caminhada, que acabam sendo divididas com patins, bicicletas, etc. Em dias de sol, lota aos domingos, sendo o acesso mais fácil por ônibus  com paradas na avenida Álvares Cabral (ou a futura estação AACD da linha lilás do metrô). Veja mais no vídeo abaixo:

Parque da Aclimação

Lago no centro com pista de cooper e caminhada asfaltada e larga ao redor, sem sombra em alguns trechos. Possui uma parte com árvores e trilha de terra com subidas e descidas mais íngremes.

Casa Modernista

Apesar de pequeno para caminhadas, é um espaço agradável e possui uma das primeiras casas construídas em estilo modernista no Brasil. Fica próxima ao Museu Lasar Segall.

Parque da Independência

Parque da Independência: espelho d'água com chafarizes e Museu Paulista. Foto: ViniRoger.

Parque da Independência: espelho d’água com chafarizes e Museu Paulista. Foto: ViniRoger.

Área de mata com trilhas de terra (não ir depois de uma chuva) atrás do Museu Paulista. Na frente do prédio estão os jardins com espelhos d’água e fontes. Atravessando a rua dos Patriotas (com eventual feirinha de comidas e artesanato), está uma parte aberta e asfaltada para andar de bicicleta e skate e o monumento à Independência, às margens do rio Ipiranga.

Jardim Botânico

Jardim Botânico: espelho d'água e antigo portão. Foto: ViniRoger.

Jardim Botânico: espelho d’água e antigo portão. Foto: ViniRoger.

Seu ponto forte é o paisagismo, com estufas e plantas ornamentais (algumas exalam forte perfume), além de uma trilha suspensa em um deck de madeira até uma das nascentes do rio Ipiranga. O portão histórico de 1894, atualmente no interior do parque, rende boas fotos. Sua entrada é paga.

Parque Nabuco

Possui bosque e trilha ecológica na terra (cuidado em dias de chuva), em trechos planos e em aclive. A mata (por vezes mais fechada) fornece sombra em todos os lugares.

Parque do Cordeiro Martin Luther King

Dividido em dois setores, separados por uma rua estreita. O setor oeste, com pistas de pedrisco de caminhada/corrida bem arborizadas, tem uma escada de pneus ligando as pistas altas e baixas. O lado leste mostra o Córrego Alcatrazes, despoluído, e um paisagismo muito bem cuidado, com árvores formando túneis sobre as trilhas pavimentadas de caminhada. Por ser um parque pequeno, as trilhas são bem estritas (passam só duas pessoas lado a lado).

Parque Severo Gomes

A área do parque é remanescente do loteamento de duas chácaras: Vila Elvira e Granja Julieta. A praça Slavo Sirks foi anexada, tendo uma rua fechada a separando do parque, e possui um playground. Na parte mais antiga, existe uma trilha de terra com alguns pedriscos que em alguns trecho margeia e cruza um córrego despoluído. Um lugar agradável, bem cuidado e arborizado. Muitos acabam usando as ruas vazias do entorno para corrida e caminhada, que são mais planas e menos acidentadas. Existem várias praça na região. Fica próximo ao Clube Hípico de Santo Amaro.

Parque Ecológico do Guarapiranga

Fica no lado oeste da represa de Guarapiranga. A passarela que dá acesso aos seus principais edifícios, com 500 metros de extensão, é totalmente suspensa, para evitar impacto no solo; as janelas dos edifícios são grandes, para privilegiar o uso da luz solar, e mesmo as cortinas são feitas de papel reciclado. Além do parque, toda a orla da represa possui pontos com pistas para caminhada e apreciar a paisagem.

Parque Ecológico Vila Prudente (Lydia Natalizio Diogo)

Entrada próxima à estação Oratório do monotrilho. Possui pista de caminhada com subidas e descidas, mas também um trecho plano, além de um lago com carpas.

Parque do Carmo

Originalmente uma antiga fazenda do século XIX, é uma das maiores áreas verdes da cidade. Apresenta bosque com cerejeiras, preservado por descendentes de japoneses, churrasqueiras, quiosques, lagos naturais e trilhas longas para caminhadas, algumas em trechos com subidas e descidas.

Parque Esportivo do Trabalhador (PET)

Antigo Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador (CERET). Foi idealizado e inaugurado pelo então ex-jogador de futebol Leônidas da Silva (aquele do “gol de bicicleta”). Em 1974, a estátua de Davi, réplica da obra de Michelangelo que foi doada pelo governo italiano para decorar a entrada do Estádio Municipal do Pacaembu, foi retirada de lá para receber os visitantes do Ceret. Possui muitos trajetos asfaltados para caminhada e corrida (alguns trechos com subidas e descidas um pouco acentuadas), com linhas pintadas no chão definindo diferentes circuitos. Desde 2008, é administrado pela Prefeitura, tendo equipamentos novos de ginástica e uma infraestrutura de prédios e piscinas bonitos de se ver. O estacionamento (nos fundos, em outra quadra) é gratuito e não há a necessidade de pagamento de mensalidade nem de apresentação de carteirinha para a utilização da estrutura do parque – é o que diz o site da Prefeitura.

Parque do Piqueri

Seu nome faz alusão à tribo indígena que habitava a área localizada na confluência do Ribeirão Tatuapé e do Rio Grande (atual Tietê). O lugar era uma chácara, incorporada ao patrimônio municipal em 1976. Possui muita vegetação com sombra e caminhos de terra para caminhada (uma trilha que dá a volta no parque tem 1,5 km), além de lago e playground.

Parque Linear Tiquatira

Primeiro parque linear da cidade de São Paulo, pois foi construído às margens do Rio Tiquatira, de forma a ajudar na preservação e conservação do leito do córrego, além de garantir uma faixa segura de arborização entre o córrego e as vias urbanas. O parque propriamente dito está entre as ruas Cel. Meireles e Mercedes Lopes. Com muita sombra e trilhas bem preservadas, o ponto forte são as caminhadas, mesmo sendo um parque pequeno. No sentido marginal Tietê da Av. Gov. Carvalho Pinto, a vegetação continua, porém menos densa e trecho de trilha de terra apenas. No outro sentido, existem duas praça com auditório aberto, quadras e mais espaços para caminhada.

Parque Ecológico do Tietê

Ocupa uma grande área que vai desde a Barragem da Penha e São Miguel Paulista ao município de Guarulhos. Ele serve de bacia de acumulação de água do Rio Tietê para que não haja enchentes na Marginal. Com acesso próximo à estação Engenheiro Goulart da CPTM, possui o Museu do Tietê, áreas para churrasco e pistas longas para caminhada e bicicleta.

Espaço Verde Chico Mendes (São Caetano do Sul)

Possui ampla infraestrutura, e por cobrir uma grande área, possui trilhas planas e inclinadas, asfaltadas e de terra. Possui um anexo acessível por passagem subterrânea, com parque para cães. A 1 km de distância da portaria principal, está o Bosque do Povo (na Estrada das Lágrimas, quase fronteira com São Paulo), com área bem menor e dispõe de lago para pesca e equipamentos de exercício.

Parque Prefeito Celso Daniel (Santo André)

Possui lago, pista para caminhada, brinquedos para as crianças e diversidade vegetal, tudo não muito longe a estação de trem de Santo André da CPTM.

Parque Central (Santo André)

Localizado próximo ao Shopping ABC, possui uma pista para caminhada com extensão considerável, além de um lago. Próximo está a Sabina Escola Parque do Conhecimento.

Parque Natural do Pedroso (Santo André)

Ampla área arborizada com rica vegetação nativa, quiosque com churrasqueiras, alamedas/trilhas para caminhada, capela e lagos.

Parque Centenário (Mogi das Cruzes)

Principalmente formado de lagos, possui museu e pontes no estilo japonês. Fica relativamente próximo à estação Estudantes da CPTM e o Mogi Shopping.

Parque CEMUCAM (Cotia)

Localizado na rua Mesopotâmia, é de fácil acesso pela rod. Raposo Tavares (sentido São Paulo). Apesar de estar em Cotia, pertence à Prefeitura de São Paulo. Sua sigla significa Centro Municipal de Campismo, pois foi criado para promover e incentivar o campismo e atividades recreativas e educacionais. Possui estacionamento e muitas trilhas amplas, com trechos inclinados – como são todas de terra, cuidado nos dias de chuva. Bem arborizado, inclusive com trechos de mata fechada e túneis de bambu, além de trilha específica para Mountain Bike. Também possui um heliponto e uma “inusitada” pista para pouso de pequenas aeronaves, mas está desativada.


A Cidade Universitária (USP) também é um espaço grande aberto ao público que permite caminhadas de diferentes tipos: partes planas com sombra e sem sombra, subidas e descidas (Parque Esporte Para Todos), etc. Com acesso pela avenida Vital Brazil, está o Instituto Butantan, com o museu e seus famosos serpentários, mas que também possui alamedas com árvores raras para caminhadas. Próximo, está o Hipódromo da Cidade Jardim, que também é aberto ao público e possui prédios e vistas de grande beleza (veja mais clicando no link).

Os parque que não entraram na lista eu não cheguei a visitar ou eram muito pequenos para caminhadas – existem praças que são maiores do que esses parques. Clique nos links para ver uma lista completa dos parques municipais e estaduais de São Paulo.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback