Nós em cordas e gravatas

Existem vários tipos de nós que podem ser usados para a mesma função (e também para diferentes funções). É recomendável conhecer dois ou três nós diferentes com a mesma aplicação para que se possa utilizar o nó mais adequado para cada situação (dependendo do material da corda, um pode ser melhor do que outro).

Tipos de nós em cordas. Fonte: popa.com.br

Tipos de nós em cordas. Fonte: popa.com.br

Cordas, fios, cabos…

Os fios são conjunto de fibras entrelaçadas, que formam um cilindro de diâmetros irregulares ao longo do seu comprimento (essas irregularidades são praticamente invisíveis a olho nu). Os cordões são feitos trançando-se os fios e a corda é feita trançando-se os cordões. Cabo é o conjunto de elementos (fibras, fios e/ou cordões) torcidos ou trançados entre si. As fibras podem ser de origem natural ou sintéticos (veja mais sobre fibras no post sobre Física Têxtil). O cabo também é caracterizado por sua bitola (ou diâmetro), geralmente expresso em polegadas e vendido pelo seu peso ou comprimento.

Durante a utilização de um cabo, evite friccioná-lo sobre arestas, sob risco de ruptura, assim como arrastá-lo sobre superfície áspera para não desgastá-lo. Também evite contato com terra ou areia nem pisar no cabo, assim como dobrar a corda em ângulo muito fechado (conhecido como “quina viva”). É importante utilizar o nó certo para cada situação, otimizando a atividade e evitando desgaste do cabo.

Nós e amarras

Um nó é um método de apertar ou segurar um material linear como a corda por amarração e entrelaçamento. Laço (loop) é o cruzamento de duas partes da corda. Conforme o tipo de nó, ele pode reduzir a sua capacidade de carregar peso entre 80% e 45%. Veja uma grande variedade de nós no manual a seguir:

O vídeo a seguir mostra como fazer o nó da forca, muito útil para içar objetos:

Nós de gravata

A gravata é uma tira de tecido, estreita e longa, que se usa em torno do pescoço e que é presa por um laço ou nó na parte da frente. Seus primeiros usos remontam ao antigo Egito (usado como amuleto) ou China (como símbolo de status), sendo que os modelos mais parecidos com os atuais surgiram França do final do século XVII. Na Inglaterra do século XIX, as ‘cravates‘ já eram usadas por universitários e em regimentos militares, escolas e clubes. Nessa época eram do tipo borboleta, mas no final desse século começaram a usar uma fita mais fina com um anel, que deu origem ao formato atual. A função inicial da gravata era de aquecer o pescoço e cobrir os botões da camisa. Existem dezenas de tipos de nós de gravata, mas os mais conhecidos são o nó simples, o nó de Windsor, o semi-Windsor, o nó americano (“Four-in-Hand”) e o nó duplo.

nos_gravata

Veja esse vídeo de como fazer o nó americano…:

… e o nó Windsor:

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.