North American B-25J Mitchel

Um dos bombardeiros mais eficientes da Segunda Guerra Mundial, o B-25 imortalizou-se em 18 de Abril de 1942, quando se tornou o primeiro avião americano a bombardear o Japão.

North American B-25J Mitchel do Museu Eduardo Matarazzo. Foto: ViniRoger

North American B-25J Mitchel do Museu Eduardo Matarazzo. Foto: ViniRoger

A aeronave recebeu a designação oficial B-25 Mitchell, em homenagem a Billy Mitchell, general do exército americano, responsável por criar o corpo aéreo do exército que daria origem a atual força aérea dos Estados Unidos.

Foi projetado para a Força Aérea do Exército dos Estados Unidos (US Army Air Corps – USAAC) antes da Segunda Guerra. A North American Aviation foi uma empresa fabricante de aviões da década de 1930 até 1967, quando fundiu-se com a Rockwell-Standard Corporation e se tornou na North American Rockwell Corporation. A companhia foi responsável por inúmeras aeronaves históricas além do bombardeiro B-25 Mitchell, como o avião de treino T-6 Texan e o caça P-51 Mustang.

Existiram pelo menos seis variantes do B-25, desde os modelos iniciais B-25A e B, com duas poderosas torres de canhões, até o B-25C equipado com piloto automático e o modelo G armado com canhão 75mm usado em missões anti-navio. Os britânicos designaram a variação J, que possuía doze metralhadoras, como Mitchell III. A Marinha e os Fuzileiros Navais americanos (US Navy e Marine Corps respectivamente) batizaram seus B-25J de PBJ-1J.

Após a Guerra, muitos B-25 se transformaram em aviões de treinamento. Entre 1951 e 1954, 157 Mitchells foram convertidos em salas de aula para o ensino da operação de radares de controle de fogo Hughes E-1 e E-2. Também foram usados como transporte de pessoal e avião de treinamento para navegadores. O último B-25 foi retirado de serviço da Força Aérea Americana (United States Air Force – USAF) em 21 de Maio de 1960.

Foi comprado no pós-guerra pela FAB, que chegou a operar 75 aeronaves desse tipo incluindo B-25B, B-25C e B-25J. Após muitos anos de utilização, o exemplar da foto foi doado ao Museu Eduardo Matarazzo, em Bebedouro/SP.

Outro B-25 Mitchel está exposto como monumento na Base Aérea de Natal, ao lado de um Douglas B-26 Invader. Em outro ponto da Base, estão um T-23 Uirapuru e AT-26 Xavante. Existe um exposto também no Museu Aeroespacial, no Rio de Janeiro.

B-25J da FAB no Museu Aeroespacial. Foto: ViniRoger

B-25J da FAB no Museu Aeroespacial. Foto: ViniRoger

Um dos mais famosos acidentes aéreos envolvendo um avião desses aconteceu quando um B-25 Mitchell da Força Aérea do Exército dos Estados Unidos atingiu o Empire State Building em 1945 – veja mais clicando no link.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

2 Pingbacks/Trackbacks