Meu curso de Linux

O linux é um sistema operacional com várias vantagens. A primeira delas é que é gratuito, podendo ser instalado em praticamente qualquer computador e livre de pirataria e contravenções legais. Além disso, é muito seguro: a maioria dos vírus são feitos para atuarem em Windows e o sistema de permissões de uso, escrita e execução de arquivos permitem selecionar o que pode ou não ser utilizado e por quais usuários (e não um invasor, por exemplo).

Conhecido por sua robustez e estabilidade, o Linux pode suportar grande carga de trabalho sem falhar, e um servidor Linux pode permanecer em funcionamento por meses ou anos, sem precisar ser reiniciado uma única vez. Existem outros sistemas operacionais que travam ou ficam muito lentos depois de meses (com uso ou sem!), devendo ser reiniciados ou mesmo reinstalados completamente em curtos períodos de tempo. Processos rodando em Linux podem ser encerrados de forma isolada, sem afetar todo o sistema.

Boa parte de suas características positivas e flexibilidade devem-se ao código-fonte aberto, inúmeras opções de configuração e inúmeros softwares desenvolvidos para Linux. Uma grande comunidade de desenvolvedores atuam continuamente na correção de falhas e melhoramentos. As opções de configuração permitem deixar o sistema mais leve se o seu computador não for muito “possante”.

Os sistemas operacionais como são vistos pelos fãs de outros sistemas.

Os sistemas operacionais como são vistos pelos fãs de outros sistemas.

Tudo o que você faz no Windows pode ser feito no Linux. Adote a filosofia da liberdade e saia do mundo corporativo de softwares pagos e caros. Para isso, elaborei um curso de Linux baseado nos artigos que já escrevi nesse site. Esses posts foram feitos conforme eu estudava os conteúdos de Linux para realizar meus trabalhos e resolver meus problemas. Abaixo segue uma lista desses artigos sobre Linux em uma sequência sugerida para seu estudo, desde o básico até ações mais complexas, com um resumo de cada um deles.

Essa lista deve servir como roteiro do que pode/deve ser estudado para conhecer e utilizar melhor o Linux. Desse modo, existem alguns conceitos importantes a serem aprendidos conforme o tópico seguinte, que também seguem listados. Você não precisa saber tudo isso para usar o Linux, mas se for trabalhar com programação, manutenção de servidores ou segurança de rede, os tópicos são fundamentais. Até o capítulo sobre “Algoritmo e programação”, os tópicos são úteis tanto para o usuário comum, que deseja conhecer razoavelmente bem o Linux e aproveitar melhor suas potencialidades, quanto para o desenvolvedor.

1) Linux: primeiros passos

Define o que é um sistema operacional e conceitos básicos do Linux;

2) Instalação do Linux Debian

Caso queira ou precise instalar o sistema em seu computador, veja um passo a passo de como instalar uma das versões do Debian e truques para uma instalação para funcionar o Windows no mesmo computador que o Linux

3) Programas com interface gráfica do Linux

Veja os programas mais utilizados pelo usuário comum, equivalentes aos utilizados em outros sistemas operacionais;

4) Terminal de texto

Como funciona essa ferramenta que permite infinitas utilizações, mas que muitos tem medo só de olhar;

5) Comandos úteis do Linux

Experimente os principais comandos do Linux no terminal de texto (atualizar o sistema, monitorar processos, ligar/desligar o computador, localizar e descompactar arquivos, etc);

6) Usuários e Permissões de arquivos no Linux

Entenda como funciona a administração de usuários e o sistema de permissão de leitura, escrita e execução de arquivos;

7) Arquivos e diretórios no terminal Linux

Tipos de arquivo, comandos básicos para criar, remover, editar, selecionar, etc;

8) Particionamento de disco e inicialização de sistema

Útil para aprender mais sobre como o Linux identifica os dispositivos nele inseridos (HDs, pendrives, etc);

9) Edição de imagens no Linux

GIMP, ImageMagick e outros programas utilizados para editar imagens (inclusive de conversão de imagem em texto);

10) Edição multimídia no Linux

Vários programas (alguns com interface gráfica, outros somente linha de comando) para edição de som e vídeo;

11) Como funciona a internet

Conceitos que envolvem o funcionamento de uma rede de computadores;

12) Rede de computadores

Conceitos da parte física de como os computadores se comunicam entre si;

13) Comandos de rede Linux

Compilado dos principais comandos e configuração de rede;

14) Algoritmos e Programação

Mesmo que você não trabalhe com programação, é interessante saber como um programa de computador funciona;

15) Dicas de estudo de programação

Veja boas práticas de programação e evite (ou cure) vícios prejudiciais;

16) Shell Script: introdução

Uma forma interessante de começar a aprender programação é através do shell script, que também pode resolver vários de seus problemas ao manipular arquivos no computador;

17) Shell Script: repetição e função

While, for e funções;

18) Shell Script: vetores

Exemplos de como ler e gravar vetores;

19) Calendários e o comando date

Como utilizar o comando date, que permite diversas funções envolvendo datas e horários;

20) Agendamento de tarefas no crontab

Veja como agendar a execução automática de comandos pelo computador em horários e frequência determinados pelo usuário;

21) Linux Debian

Sobre a distribuição, instalação e como funciona sua inicialização;

22) Máquina Virtual

Conceitos e programas de virtualização de máquinas, cada vez mais comum com o crescimento da computação em nuvem (cloud).

As tags Linux e Shell Script contém exemplos de situações e de scripts onde o Linux pode fazer a diferença em resolver o seu problema.

Certificação

O Linux Professional Institute (LPI) é uma organização sem fins lucrativos constituída pela comunidade Linux que desenvolve de forma acessível um programa de certificação em sistemas GNU/Linux reconhecido internacionalmente por empresas, empregadores e profissionais de TI. As provas são baseadas no Linux Standard Base, um conjunto de normas que mantém a compatibilidade entre as diferentes versões e distribuições do sistema operacional, sendo independente de distribuição.

A certificação LPI é composta de 3 níveis:

  • Certificação LPIC – 1 (Nível I) – Administrador Linux nível júnior. Provas: LPI 101 e LPI 102
  • Certificação LPIC – 2 (Nível II) – Administrador Linux nível pleno. Provas: LPI 201 e LPI 202
  • Certificação LPIC – 3 (Nível III) – Administrador Linux nível sênior. A prova LPI 301 qualifica o profissional como “Core” e as provas de LPI 302 a LPI 306 certificam como especialista.

As provas podem ser feitas em papel ou eletronicamente. São feitas em inglês. exceto as provas do primeiro nível (em português). Cada prova possui 60 questões, sendo a grande maioria de múltipla escolha e algumas dissertativas, com duração de 90 minutos. A pontuação de cada exame varia entre 200 e 800 pontos, sendo a pontuação minima para aprovação de 500 pontos. Quem possui as certificações LPIC tem que se re-certificar a cada 05 (cinco) anos ou, como alternativa, conquistar uma certificação maior. Os tópicos para estudo estão disponíveis na página do LPI pode ser visto no link; veja como fazer a prova nesse link. Seguem links de alguns simulados online gratuitos:

A IBM possui um material completo e gratuito para o estudo em diferentes idiomas, para LPI 101. Um roteiro para o LPIC-1 pode ser visto no link.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.