Marcha pela Ciência

No mundo todo, as pessoas vão marchar em busca de uma maior visibilidade e valorização da Ciência. Pacífica e apartidária, a marcha será dia 22/04/2017 (sábado) – em São Paulo, vai acontecer no Largo da Batata, às 14h. E não é só para cientistas, também estarão presentes estudantes, professores e gente que simplesmente gosta da ciência. Quem ainda não conhece muito também deve ir, para conhecer a importância e quanto que ela pode ser apaixonante.

Princípios fundamentais

  1. A ciência serve ao bem comum
  2. Educação científica de ponta
  3. Pela comunicação científica aberta, honesta e ao alcance do público
  4. Por políticas e regulamentos de interesse público baseados em evidências
  5. Pelo financiamento das pesquisas científicas e suas aplicações

Objetivos específicos – Marcha pela Ciência SP

  1. Valorização da ciência e do cientista
  2. Pelo desenvolvimento e pela soberania do país
  3. Maiores investimentos para pesquisa e carreira acadêmica
  4. Mais contratações para Institutos de Pesquisa
  5. Maior investimento em ensino de ciências nas escolas brasileiras
  6. Por mais direitos para pós-graduandas e pós-graduandos
  7. Pelo financiamento da ciência
  8. Pela volta do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação
  9. Pela divulgação ampla e democrática de ciência
  10. Contra a política de juros altos e cortes na ciência

Veja uma discussão mais detalhada desses tópicos no site Marcha pela Ciência.

Trata-se de um evento mundial que pretende chamar a atenção de estudantes, professores, cientistas e pesquisadores, governantes e tomadores de decisão, e de toda a sociedade, sobre a necessidade de apoiar e preservar as instituições e a comunidade científica de todo o planeta. Esse apoio torna-se fundamental em um momento em que a atividade científica para o bem de todos sofre várias ameaças, como mudanças em políticas públicas, redução e desvio de verbas e financiamentos públicos, partidarização política da ciência e, o que mais assusta, a tomada de decisões políticas que não levam em consideração as evidências científicas. Isso ocorre nos Estados Unidos, de maneira gritante em relação ao que vêm demonstrando pesquisas relacionadas às mudanças climáticas, mas também em todo o planeta.

SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência)

A Ciência promove a saúde e o bem estar, salva vidas, gera entretenimento, empregos, renda e muito mais, quando bem utilizada. E para ser bem utilizada, é necessário uma população consciente de sua importância e de seus princípios que explicam como o mundo funciona. O pensamento racional e crítico, o método científico e tantas outras formas de pensar a realidade promovem uma sociedade mais democrática e pensando “fora da caixa”.

Todos tem a ganhar nessa aproximação entre a Ciência e a sociedade: os cientistas ganham apoio da população para entrar na briga por mais investimento e políticas na geração de conhecimento, enquanto a população colhe os frutos e dissemina as benesses para outras pessoas.

Ciência significa saber, conhecimento. E quanto mais conhecimento tivermos, melhores decisões tomamos. Isso vale desde o que devemos comer de saudável no almoço, passando por “qual celular é melhor para comprar” e até quanto junção do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com o Ministério das Telecomunicações impactou nas políticas públicas e investimentos na ciência de base (fundamental para formar cientistas e desenvolver novas tecnologias).

Tenda Mario Festa, com a Oficina de Identificação de Nuvens (2017). Foto: Eliana Reis

Na edição de 2017, o site Monolito Nimbus promoverá uma Oficina de identificação de nuvens, voltada ao público geral, com o objetivo de aproximar a comunidade de uma atividade de observação da natureza sob o olhar da ciência, mas em uma abordagem descontraída. É só aparecer lá na tenda para receber as instruções e fazer suas tentativas de classificar as nuvens no céu presente. A atividade dura poucos minutos. Se possível, leve óculos escuros.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.
  • Daniela Moraes

    Boa noite! Queria mais informações sobre a oficina de nuvens…Obrigada =D

    • Vinicius Roggério da Rocha

      A Oficina de identificação de nuvens consiste de uma atividade prática para classificar as nuvens do céu vigente, voltada ao público em geral. A classificação da nuvem em um dos dez gêneros existentes acontece baseando-se no conhecimento do significa de seu nome, o que aponta as principais características de sua aparência, e da comparação com fotos. O mesmo procedimento segue para encontrar sua espécie e outras características especiais e nuvens anexas, assim como sua origem e transformação. Os critérios utilizados foram publicados pela Organização Meteorológica Mundial no Atlas Internacional de Nuvens.

      • Daniela Moraes

        E qual horário e local exato?
        Estou realizando um projeto sobre ÁGUA com meus alunos de Educação Infantil e procuro ideias para desenvolver atividades sobre as nuvens…
        Muito bom o seu site. Parabéns!

        • Vinicius Roggério da Rocha

          Vai ficar no Largo da Batata, o local exato ainda não sei. Com relação à educação infantil e nuvens, acho que um desafio seria quebrar o paradigma de mostrar o vapor d’água como aquela fumacinha que sai da chaleira, e sim que ele é invisível (quando vemos as gotículas de água é porque já passou para o estado líquido). Tem mais informações e ideias nesse post: http://www.monolitonimbus.com.br/nuvens-chuva-e-arte/

          • Daniela Moraes

            Boa! Uma das propostas é construir um terrário e o que geralmente observam são as gotículas no vidro… muito legal vc salientar isso. Valeu pela dica…e pelo link =D

          • Daniela Moraes

            Boa! Uma das propostas é construir um terrário. E realmente o que observam são as gotículas no vidro…Valeu pela dica e pelo link =D