Ilhas do Atlântico Sul

Na região do Oceano Atlântico Sul existem poucas ilhas quando comparado a outras regiões. Comente um dos arquipélagos é um país: São Tomé e Príncipe, na costa africana, onde se fala português. O restante são territórios de países como Reino Unido e Brasil, que inclusive estão em uma faixa de fuso horário diferente da de Brasília. Veja mais sobre elas.

Fotos de Tristão da Cunha (esquerda) e Ilha Bouvet (direita)

Fotos de Tristão da Cunha (esquerda) e Ilha Bouvet (direita).

Ilha de Ascensão, Santa Helena e Tristão da Cunha

Território britânico ultramarino, são bem distantes entre si e ficam no meio do caminho entre a América do Sul e a África. Ascensão possui uma base aérea que serve como aeroporto para a região. Santa helena não possui nenhuma praia, sendo o seu litoral completamente rochoso, e ficou famosa na História por ter sido o exílio de Napoleão Bonaparte em seus últimos anos de vida. Já o arquipélago de Tristão da Cunha, é notoriamente conhecido por ser a região habitada mais remota da Terra. Bastante montanhosa, os únicos locais habitados em Tristão da Cunha são o pequeno povoado de Edimburgo dos Sete Mares, com menos de 300 habitantes, além da estação meteorológica da Ilha de Gonçalo Álvares (ou Ilha Gough), que abriga um contingente de apenas seis funcionários mantidos pelo governo da África do Sul.

Ilhas Malvinas (ou Ilhas Falkland)

Também pertencentes ao Reino Unido, foram o pivô de um conflito armado entre Inglaterra e Argentina por sua posse. A vegetação nativa nessas ilhas foi substituída para servir de pasto ao gado e a criação de ovelhas reais e já é explorada a extração de petróleo e gás natural.

Ilhas Geórgia do Sul e Ilhas Sanduíche do Sul

Territórios britânicos (mas também reivindicadas pela Argentina), ficam próximas da Antártida. Em certas épocas do ano, algumas espécies animais encontram ali um lugar mais quente para reproduzirem-se, como pinguins, baleias, leões-marinhos, focas, albatrozes, etc.

Ilha Bouvet

Possessão norueguesa, é a mais isolada ilha desabitada do mundo, estando localizada a mais de 1.600 km da Terra da Rainha Maud, na Antártida, que é o pedaço de terra mais próximo.

Ilhas Oceânicas do Brasil

 Fotos das ilhas oceânicas brasileiras (em sentido horário a partir da esquerda superior): Fernando de Noronha, Atol das Rocas, Penedos de São Pedro e São Paulo, Trindade e baleia jubarte de Abrolhos ao centro.


Fotos das ilhas oceânicas brasileiras (em sentido horário a partir da esquerda superior): Fernando de Noronha, Atol das Rocas, Penedos de São Pedro e São Paulo, Trindade e baleia jubarte de Abrolhos ao centro.

Fernando de Noronha

Antigamente era um estado independente e hoje pertence ao estado de Pernambuco. Formado por um conjunto de 21 ilhas de origem vulcânica, a enseada da Praia do Sancho é um ponto de observação de golfinhos e das grandes rochas nas praias. A maioria dos mais de 3 mil habitantes vivem na Vila dos Remédios. Veja mais clicando no link para o artigo sobre Fernando de Noronha.

Penedos de São Pedro e São Paulo

Também pertencentes ao estado de Pernambuco. Formam um pequeno arquipélago, no qual se destacam cinco rochedos maiores e uma dezena de outros menores. Sem água potável, sombra ou qualquer vegetação, são habitados apenas por aves marinhas, que lá procriam e deixam espessa camada de guano (acumulação de fosfato de cálcio resultante do excremento das aves marinhas). A Marinha tentou instalar um farol nas pedras, em 1932, mas com apenas um ano de funcionamento, um terremoto levou sua estrutura a ruir. Veja esse documentário de uma afiliada da Rede Globo e do Globo Mar.

Atol das Rocas

Os recifes que compõem Rocas crescem no topo de um monte submarino, situado 145 km a oeste de Fernando de Noronha. De formato oval, está entre os menores do mundo. Construído em 1883, o farol de Rocas hoje é automático. Mas nem sempre foi assim. Há histórias terríveis envolvendo faroleiros locais. Conta-se que a família inteira de um faroleiro morreu de sede depois que a filha dele, brincando, deixou aberta a torneira do reservatório de água – não há nenhuma fonte no atol. O último que viveu lá, até 1924, várias vezes foi abandonado pelos barcos que traziam mantimentos do continente. Não morreu por pouco. As ruínas de sua casa dão uma ideia do aspecto funesto do lugar. É a primeira Reserva Biológica Marinha do Brasil. Veja essa reportagem do Estadão.

Arquipélago de Abrolhos

Localizado a 80 km da Bahia, compõem o primeiro parque nacional marítimo. Possui grande quantidade e variedade de corais e é habitado por cabras selvagens e aves marinhas. Sua população, de menos de 20 pessoas, dedica-se à manutenção e funcionamento do farol, fundamental para a navegação aérea e marítima da região. Possui excelente área para mergulho autônomo e livre, com corais e observação de baleias jubarte a partir de julho.

Trindade e Martim Vaz

Localizadas a 1.100 km da costa do Espírito Santo, formam um conjunto de 5 ilhotas de formação vulcânica, sendo a maior utilizada como base da Marinha e estação meteorológica. Veja essa reportagem do Globo Mar.

Ilha de Marajó

Localizado na foz do Rio Amazonas, no estado do Pará, é o maior arquipélago flúvio-marítimo da Terra. São cerca de 2 500 ilhas e ilhotas, boa parte delas como área de proteção ambiental. Famosa também pelas criações de búfalo. Soure é considerada a capital da ilha e possui boa infra-estrutura. A viagem de barco de Belém a Soure, maior cidade da ilha do Marajó, tem muitas escalas, você sai de Belém de balsa até a cidade de Camará, vai de ônibus até Salvaterra e atravessa o Rio Paracauari de balsa novamente. Projetada por Aarão Reis, engenheiro e arquiteto paraense que bolou Belo Horizonte, a cidade de Soure tem ruas largas e numeradas e frondosas mangueiras.

Búfalos utilizados como transporte para a polícia local (Guia do Litoral - UOL)

Búfalos utilizados como transporte para a polícia local (Guia do Litoral – UOL)

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback