Guararema e Luis Carlos

Localizada no extremo leste da região metropolitana de São Paulo, o município de Guararema lembra mais uma pequena cidade do interior. Recentemente, recebeu muitos investimentos na reforma de ruas e casa, além de um novo passeio de maria fumaça, transformando-a em um novo ponto turístico próximo à capital paulista. Pertencente ao vale do Paraíba, fica a uma hora e meia de carro do centro de São Paulo, sendo o melhor caminho através da Rodovia Ayrton Senna seguido de um pequeno trecho na estrada estatual SP-066 (Rod. Enrique Eroles) e rua João Barbosa Oliveira até o centro da cidade – tem muitas placas indicando o caminho.

Estação de trem de Guararema. Foto: ViniRoger

Estação de trem de Guararema. Foto: ViniRoger

A história da cidade começou entre os séculos XVI e XVII, com a criação de uma aldeia para extração de ouro e posterior aldeamento pelos jesuítas. Em 1652, os padres erigiram a primeira capela na vila, a Igreja da Freguesia da Escada, a única da vila e o centro do povoado até então – atualmente é o bairro de Freguesia da Escada, acessível pela estrada municipal que liga a Rodovia com o centro de Guararema. Posteriormente, iniciou-se um núcleo mais ao sul, com a construção da atual Igreja Matriz. Nessa região que se formou a vila de Guararema (do tupi, que significa “madeira mal cheirosa”, uma referência à arvore pau d’alho, comum na região).

Passeios

A rotatória de acesso a cidade possui um monumento chamado “origens de Guararema”, com pessoas e uma igreja esculpidas sobre uma canoa estilizada. Vindo pela Rodovia, existe um portal no acesso à rua Coronel Ramalho – a principal da cidade. À esquerda, é possível observar uma bela ponte pênsil para pedestres. Na sequência, está o Recanto do Américo (ou Pau D’Alho), uma praça com pontes que a interliga com pequenas ilhas fluviais, com ampla e variada concentração de espécies de mata nativa, remanescentes da Mata Atlântica, além da bicentenária árvore Pau D’alho, com aproximadamente 30 metros de altura e 12 de diâmetro.

Seguindo pela mesma rua, está a praça Nove de Julho, com a Igreja, chafariz e calçadão com comércio que dá em uma outra praça com coreto e a prefeitura. Da mesma praça, ainda existe uma travessa com ponte que dá acesso a uma outra praça, que possui uma feira de artesanato permanente. Para o outro lado, está o acesso ao Parque da Ilha Grande – apenas duas quadras de distância.

Parque da Ilha Grande. Fotos: ViniRoger

Parque da Ilha Grande. Fotos: ViniRoger

A Ilha Grande é a maior ilha fluvial da cidade. Possui uma pista de 400 metros que dá a volta na ilha, sanitários, centro de exposições, mirante para o Rio Paraíba do Sul e mata exuberante. Muitas capivaras costumam ficar por lá, e já estão acostumadas com os humanos – é possível chegar bem perto e elas não saem correndo.

Continuando mais duas quadras pela rua Coronel Ramalho, existem restaurantes, casas históricas restauradas, um centro literário e a estação ferroviária, com estacionamento próprio após cruzar a linha do trem em nível e virando à direita.

Ferrovia

Com a inauguração do trecho da Estrada de Ferro do Norte em 1876, a vila transformou-se em sede, sendo emancipada município em 1898. Com a proclamação da República, a ferrovia passou a chamar-se Estrada de Ferro Central do Brasil, também promovendo a unificação de bitolas e melhorando a ligação por trens entre São Paulo e Rio de Janeiro. Em 1957, a Central foi incorporada pela RFFSA.

O trecho entre Mogi e São José dos Campos foi abandonado no fim dos anos 1980, pois a construção da variante do Parateí, mais ao norte, foi aos poucos provando ser mais eficiente. Em 1998, o transporte de passageiros entre o Rio e São Paulo foi desativado, com o fim do Trem de Prata, mesmo ano em que a MRS passou a ser a concessionária da linha.

Pontilhão de Ferro. Foto: ViniRoger

Pontilhão de Ferro. Foto: ViniRoger

A estação de Guararema foi aberta em 1876 com o nome de Parahyba, pois, logo depois da estação, que fica em curva, existe a ponte sobre o rio Paraíba do Sul. A atual ponte de ferro foi entregue em 1909, sendo vista da própria estação e com travessia a pé em passarela anexa. A estação seguinte no sentido Rio de Janeiro é a de São Silvestre, no município de Jacareí, que encontra-se fechada – na região existe a fábrica da Votorantim.

O prédio atual foi inaugurado em 1927, funcionando atualmente como museu municipal e ponto de vendas do trem turístico que sai dali para a estação seguinte no sentido São Paulo, Luis Carlos. No mesmo sentido, tem-se em seguida a estação Sabaúna, já no município de Mogi das Cruzes, onde funciona atualmente um espaço cultural. Depois vem a estação César de Souza e Estudantes, onde já começa o serviço de trens metropolitanos da CPTM.

Luis Carlos

Distante 7 km da estação Guararema por linha de trem está a Estação Luis Carlos, pertencente ao distrito de mesmo nome do município de Guararema. Foi aberta em 1914, tendo seu nome derivado de Dr. Luiz Carlos da Fonseca, chefe do 2º distrito da Central, além de escritor e poeta. A Estação serviu de cenário para a gravação de quatro filmes: duas produções de faroeste do pistoleiro Gregório (“Gregório 38” e “Gregório volta para matar”), “Sangue em Santa Maria” e o drama rural “O Menino Jornaleiro” com a participação da dupla caipira Tonico e Tinoco – não foram rodados filmes do Mazzaropi.

Distrito de Luis Carlos. Fotos: ViniRoger

Distrito de Luis Carlos. Fotos: ViniRoger

O trecho de linha em que ela está, entre Mogi das Cruzes e São José dos Campos, foi desativado por anos, permanecendo abandonado – a estação chegou a servir de moradia, veja fotos antigas clicando no link. Em 2003, o trecho foi recuperado para a travessia do trem de celulose da Votorantim, que vem de São Silvestre para Mogi e daí para Santos. Em junho de 2012, estava finalmente restaurada.

Além da estação, 22 construções da região (ou seja, quase todas) tiveram sua fachada e o interior restaurados. Tudo foi redirecionado para o turismo, com restaurantes, bares, cafés e artesanato. A Igreja de São Lourenço teve seu telhado restaurado e as paredes externas foram pintadas nas cores do padrão azul antigo. Construída no ano de 1906, famílias tradicionais de Mogi das Cruzes fizeram doações financeiras para a capela.

Trem cultural Guararema – Luis Carlos

O passeio de Guararema-SP tem como trajeto o trecho compreendido entre a Estação Central de Guararema e a estação da Vila Luis Carlos, perfazendo o total de 6,8 km. A Estação de Guararema, construída em 1891, totalmente restaurada, conta com infraestrutura e acessibilidade necessárias para a operação.

Trem turístico em Guararema com interior de vagão. Fotos: ViniRoger

Trem turístico em Guararema com interior de vagão. Fotos: ViniRoger

O passeio é feito com a Maria Fumaça 353, conhecida como “Velha Senhora”. A locomotiva a vapor foi fabricada nos Estados Unidos em 1927, sendo a maior em atividade no Brasil. A composição conta com três carros de madeira fabricados na Inglaterra entre 1896 e 1937, com capacidade total para 150 pessoas. É percorrido o trecho entre a Estação Central de Guararema e a Vila Luis Carlos, num total de 6,8 km de extensão.

Os passeios começaram em 16 de outubro de 2015 e são promovidos pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) aos sábados e domingos, às 10h e às 15h – veja mais informações no site da Prefeitura de Guararema. Os restauros foram promovidos pela empresa Fibria, através da lei de incentivo à cultura. Veja abaixo o vídeo do passeio realizado um mês após sua inauguração:

Zona rural

A cidade também possui cachoeiras e outros atrativos naturais para o eco turismo na região. Mais distante do centro, está o Parque Municipal Pedra Montada. Localizado na Estrada Municipal Hércules Campagnoli (conhecida como estrada da Petrobras), possui uma escultura natural formada por uma sobreposição de pedras, cada uma medindo cerca de nove metros de comprimento por 2,5 metros de altura.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback