Florianópolis

Cerca de 97% do território de Florianópolis está localizado na Ilha de Santa Catarina. Possui oficialmente 42 praias, mas tem outras dezenas inclusive sem nome. A cidade ainda possui lagoas, morros, dunas e mangues, formando um ecossistema cheio de variedade.

Vista aérea de Florianópolis (Praia da Lagoa, Lagoa da Conceição e dunas). Foto: ViniRoger.

Vista aérea de Florianópolis (Praia da Lagoa, Lagoa da Conceição e dunas). Foto: ViniRoger.

Capital do estado de Santa Catarina, foi inicialmente denominada “Ilha de Santa Catarina”, já que Francisco Dias Velho, o fundador do povoado, chegou ao local no dia de Santa Catarina. Posteriormente, tornou-se vila com o nome de Nossa Senhora do Desterro. Depois virou a cidade de Desterro, e com o fim da Revolução Federalista, em 1894, em homenagem ao então presidente da República Floriano Peixoto, Hercílio Luz mudou o nome para Florianópolis. Deste nome deriva o apelido Floripa, pelo qual a cidade é amplamente conhecida.

Existem indícios de presença do chamado Homem de Sambaqui em sítios arqueológicos cujos registros mais antigos datam de 4800 a.C. A ilha possui numerosas inscrições rupestres e algumas oficinas líticas, notadamente em várias de suas praias. Por volta do ano 1000, os povos indígenas tapuias que habitavam a região foram expulsos para o interior do continente devido à chegada de povos do tronco linguístico tupi provenientes da Amazônia. No século XVI, quando chegaram os primeiros europeus à região, a mesma era habitada por um desses povos do tronco tupi, os carijós.

A ponte Hercílio Luz, que liga a parte insular à região continental de Florianópolis, é uma das maiores pontes pênseis do mundo e a maior do Brasil. Possui 821 metros e foi inaugurada em 1926, projetada e construída durante o governo de Hercílio Luz, que morreu antes da conclusão da ponte. Àquela época, as outras cidades do estado consideravam a ilha muito distante para ser o centro administrativo e político do estado e, em consequência, havia um movimento pregando a mudança da capital para Lages. O fato, aliado às constantes viagens de balsa, justificavam a construção da ponte.

Ponte Hercílio Luz (em detalhe, a mesma ponte com iluminação noturna). Foto: ViniRoger.

Ponte Hercílio Luz (em detalhe, a mesma ponte com iluminação noturna). Foto: ViniRoger.

Desde que foi fechada, em 1982, por medida de segurança, a Ponte Hercílio Luz serviu apenas de cartão postal, como ponto de referência e para embelezamento da cidade. Depois de ser tombada como patrimônio histórico, recebe reformas para evitar seu desabamento. O mirante situado à cabeceira insular proporciona uma das mais belas vistas panorâmicas do centro da cidade. Na área também estão situados o Museu da Ponte e o Parque da Luz.

Além da ponte, a cidade possui como atrações turísticas o Mercado Público, no centro histórico, fortalezas, como a de Santo Antônio de Ratones (entre a ponta da Gamboa e a ponta do Sambaqui) e de São José da Ponta Grossa (entre as praias do Forte e do Jurerê), e praias. Existem praias de todos os gostos:

  • Lagoinha do Leste – de difícil acesso;
  • Jurerê – de glamour e baladas à beira-mar;
  • Joaquina – para surfismo;
  • Armação – para pesca;
  • Canasvieiras – areias brancas e finas, de águas calmas e quentes devido a ficar na Baía Norte, ideal para tomar banho de mar e fazer esportes;
  • dos Ingleses – de ondas fortes, areia branca e mais urbanizada;
  • Mole – areia solta e macia, é frequentada principalmente por surfistas e praticantes de parapente;
  • Galheta – adotada por gays e naturistas.
Praia do Jurerê Internacional (durante o inverno, praticamente deserta mesmo no sábado). Foto: ViniRoger.

Praia do Jurerê Internacional (durante o inverno, praticamente deserta mesmo no sábado). Foto: ViniRoger.

Transportes

O atual Aeroporto Internacional de Florianópolis – Hercílio Luz tem sua história iniciada em 1922, quando a cidade foi a escolhida para abrigar as instalações do Sistema de Defesa Aérea do litoral do Brasil. O Ministério da Aeronáutica inaugurou no ano de 1955 um terminal de passageiros sob administração do Departamento de Aviação Civil. Entre outras instalações, existia uma torre de controle, um pátio para aeronaves e a pista compartilhada com a Base Aérea de Florianópolis, que se mantém até os dias de hoje.

O transporte público em Florianópolis é realizado principalmente através de ônibus, ligando as regiões da cidade por nove Terminais de Integração. Por exemplo, para ir do aeroporto para Jurerê, deve pegar um ônibus até o terminal do centro, de lá outro para o terminal de Santo Antônio e de lá outro para Jurerê, ao custo de somente uma passagem.

No verão, a cidade fica lotada, sendo mais tranquilo no inverno. Entre maio e setembro as temperaturas mínimas ficam abaixo dos 20 graus e muitos hotéis, pousadas e restaurantes nem chegam a abrir.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback