Esportes radicais nas alturas

Já foi falado nesse site sobre o balonismo, e agora é a vez de outros esportes praticados na atmosfera: paraquedismo, parapente, planador, asa-delta, sky diving. Parapente e asa-delta são modalidades do voo livre, que é o voo não motorizado. O voo livre utiliza as térmicas (ar quente ascendente na camada limite atmosférica) para realizar voos locais ou de grande distância, possibilitando alterar tanto a velocidade quanto a trajetória, e ainda escolher o local de pouso.

Paraquedismo

Fotos de paraquedas antigo e modelo mais atual (modificado para dar maior manobrabilidade).

Fotos de paraquedas antigo e modelo mais atual (modificado para dar maior manobrabilidade).

O paraquedas é um dispositivo que permite diminuir a velocidade de uma pessoa na atmosfera usando um arrasto que é criado, geralmente feito de tecido leve e forte de nylon. Com a formação de unidades especializadas em salto (paraquedistas) a Força Aérea de quase todos os países dispõe assim de uma possibilidade de colocar tropas no solo a partir do céu, possibilitando-as de serem transportadas mais rapidamente. O skysurf é uma modalidade do paraquedismo que utiliza uma prancha em queda-livre, a grande altura, para realizar curvas, loopings e acrobacias radicais.

Você pode realizar o salto de um avião, balão ou praticar o BASE jumping, uma modalidade cujo salto é de baixas altitudes – a sigla B.A.S.E vem de “Building Antenna Span and Earth“, onde o Earth se refere a falésia. A taxa de mortalidade dos praticantes desse esporte é altíssima, por isso ele é proibido em diversos países. Nos saltos, você também pode usar o Wingsuit, ou traje planador, que é um macacão com asas para voos de alta performance. Um outro tipo ou modelo de macacão que esta em testes é o chamado Wingpack, que seria em uma asa rígida de fibra de carbono intermediária entre uma asa delta e um wingsuit.

Parapente (ou paraglider)

parapente

O parapente é um planador ultra leve flexível que evoluiu do paraquedas (ah, “ultraleve” é um aeródino de baixas velocidade, capacidade de carregamento, potência e de baixos peso e custo, nada a ver com o parapente). Enquanto que o paraquedista se limita passivamente a diminuir os riscos de uma aterragem violenta, o parapentista tem um voo dinâmico, onde o piloto pode controlar a sua direção e, em circunstâncias favoráveis de correntes de ar ascendentes, a sua descida, podendo manter-se a voar por períodos longos. Voa-se sentado, às vezes deitado com a parte da frente do corpo virada para cima. Possui planeio em torno de 10:01 (desce 1 metro a cada 10 metros que voa).

Planador e Asa-delta

Algumas definições importantes: Um avião (ou aeroplano) é qualquer aeronave que necessita de asas fixas para se sustentar no ar (diferente de um helicóptero, que usa asas rotativas). Por sua vez, aeronave é qualquer máquina capaz de sustentar voo, e a grande maioria também é capaz de alçar voo por meios próprios.

planador

O planador é uma aeronave sem motor, mais pesada que o ar e com uma configuração aerodinâmica semelhante a de um avião e que se mantém voando graças às correntes ascendentes na atmosfera. Um avião especialmente projetado para rebocar o planador até uma altura adequada para o início voo, normalmente 600 metros acima da pista de decolagem, através de um cabo de polipropileno com comprimento entre 50 e 70 metros que conecta as aeronaves, sendo desligado pelo piloto do planador. Existe também o voo de talude, que consiste em aproveitar uma corrente de ar orográfica ascendente numa elevação do terreno. Um Planador chega a ter um planeio de 35:01 (desce 1 metro a cada 35 metros que voa).

No final do século 6, os chineses construíram pipas gigantes com aerodinâmica suficiente para sustentar o peso de uma pessoa de 80 kg. Foi apenas questão de tempo para que alguém decidisse simplesmente remover as linhas e ver o que acontecia. O alemão Otto Lilienthal é considerado o pioneiro, pois desde 1871 se dedicava a construção de planadores que ele mesmo testava em um monte construído por ele e sua equipe nas proximidades de Berlim.

asa-delta

A Asa-delta é um tipo de aeronave composta por tubos de alumínio e uma vela feita de tecidos, que funciona como uma superfície que sofre forças aerodinâmicas de modo a proporcionar a sustentação da estrutura no ar. A origem deste nome deu-se pela semelhança do formato da asa desta aeronave com a letra grega delta. Voa-se dentro de um casulo, deitado e com a parte da frente do corpo virada para baixo. Possui planeio em torno de 17:01 (desce 1 metro a cada 17 metros que voa).

Sky diving

Skydive

Saltar em queda livre é conhecido como “skydive” (“mergulho no céu”). Ocorre ao saltar de um avião com um paraquedas, ficar um tempo em queda livre e abrir o paraquedas depois de um tempo. Pode-se saltar com alguém mais experiente junto, sozinho e também agrupar com outras pessoas e fazer formações durante a queda.

Fontes: Wikipedia, How Stuff Works e Serra da Moeda Escola de Voo Livre.

Obs: segundo o Novo Acordo Ortográfico, eliminou-se o acento diferencial e veio a aglutinação dos termos, alterando-se “pára-quedas” em “paraquedas”. A aglutinação dos elementos constitutivos de uma palavra ocorre quando os falantes do idioma perdem a sua percepção. Como o usuário da língua não reconhece termos como “quedismo” ou “quedista”, sua tendência é aglutinar os termos “paraquedismo” e “paraquedista”. Por isso que asa-delta ainda permanece com hífen. E a palavra voo também não possui mais o acento (antes era vôo). Seguindo o exemplo de Portugal, os hiatos “oo” e “ee” não são mais acentuados.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback