Economia de combustível

Com boas práticas de direção e manutenção do carro, é possível reduzir consideravelmente o consumo de combustível do seu carro. O valor dessa economia depende muito do modelo do carro, do percurso e da adoção o não das práticas a seguir, mas fazem a diferença a médio e longo prazo.

Já na escolha do carro, é possível optar pelos mais eficientes de acordo com os testes realizados pelo INMETRO, disponíveis no link: Tabelas PBE Veicular. Geralmente, os carros de menor tamanho e menor potência são os mais econômicos.

1) Use o ar condicionado com menos frequência – ele é responsável por cerca de 20% de aumento no consumo de combustível.

Usar insulfilm diminui a radiação solar no interior do carro, assim como carros com cores mais claras diminuem o aquecimento interno do veículo. Estacionar o carro na sombra, para depois não precisar ligar o ar na maior velocidade, e andar com os vidros abertos nos primeiros minutos ao sair com o veículo, para trocar o ar quente do interior por um menos quente, também são boas práticas de economia.

Por fim, desligar o ar alguns minutos antes de alcançar o destino mantem circulando o ar frio interno por alguns minutos mesmo sem uso do ar condicionado, além de ajudar na secagem do sistema de resfriamento, caso tenha acontecido alguma condensação de vapor d’água.

Ao dirigir acima de 80 km/h, é melhor ligar a climatização do que andar com janela aberta, pois isso gera arrasto aerodinâmico. Manter janelas ou teto solar abertos também aumenta a resistência do ar e o consumo de combustível em até mais de 20% quando em alta velocidade. Para quem roda em velocidade mais alta, a alternativa é usar as entradas de ar, mas sem ligar o ar-condicionado.

Equipamentos e acessórios que consomem energia elétrica (como aquecedor, desembaçador do para-brisa traseiro, faróis, carregador conectado ao acendedor e consoles de TV) podem ter sua vida útil reduzida e também descarregar a bateria (caso o alternador esteja com problemas) se ficarem ligados (principalmente quando o motor está parado), então melhor desligá-los quando não seu uso não for necessário.

2) Reduza o peso do veículo – um peso extra de cerca de 45 quilos pode aumentar o consumo em até 2%.

Quanto maior o peso, maior a força necessária para movimentar o veículo (2ª lei de Newton) e, portanto, maior o gasto de combustível. Por isso, mantenha o veículo limpo de barro e evite transportar peso desnecessário, como bagageiros removíveis, suportes de bicicletas e caixas sem uso.

3) Dirija mais devagar – dirigir a 140 km/h consome-se 25% mais combustível do que a 110 km/h.

Quanto maior a velocidade, maior a resistência do ar e maior o consumo. Além disso, uma maior rotação do motor (rpm) consome mais combustível. Por isso mesmo deve-se realizar a troca de marcha sem “esticar”, pois aumentos acima de 3000 rpm causam grande gasto de combustível.

4) Evite congestionamentos e trajetos com muitos semáforos e redutores de velocidade – no tráfego urbano, cerca de 50% da energia necessária para impulsionar seu carro é usada na aceleração.

Manter a velocidade do veículo o mais uniforme possível, ou seja, sem frenagens, acelerações e trocas de marcha, ajuda na economia e prolonga a vida dos sistemas de freios e embreagens.

5) Calibre os pneus com o nível certo e mantenha o alinhamento da direção em ordem

Pneus murchos aumentam o contato com o solo e o atrito, assim como pneus desalinhados – quanto maior o esforço para se mexer, maior o consumo de energia. No entanto, pneus muito cheios forçam o sistema de suspensão do veículo.

6) Faça a manutenção correta do óleo e do filtro de ar

Com o filtro de ar sujo (principalmente com o uso em estradas de terra), diminui-se o fluxo de ar para o motor, prejudicando a mistura de ar e combustível ideal para o bom rendimento do motor. As velas e os sistemas de ignição e de injeção de combustível devem sempre estar regulados, evitando consumo desnecessário.

Um óleo de má qualidade ou vencido também eleva o consumo de combustível, pois o atrito do motor será maior, provocando aquecimento.

Durante um período, a cidade de São Paulo tornou obrigatória a inspeção veicular com fins de reduzir a poluição do ar e sonora. Clique no link da empresa que realizava o serviço (a Controlar) para ver quais itens eram verificados na inspeção veicular.

7) Evite trajetos curtos

Motores levam tempo para atingir a temperatura que possibilita uma eficiência ótima no consumo de combustível, e os conversores catalíticos que reduzem emissões podem levar até oito quilômetros para se tornar eficazes. Por isso os veículos são menos eficientes no consumo e mais poluentes no início de um percurso ou em trajetos curtos. Conforme a distância, é melhor chamar um táxi/uber/cabify/etc ou mesmo ir a pé.

8) Use o combustível indicado no manual

Os combustíveis “premium” podem não influenciar em nada o desempenho do carro, e se não forem indicados pelo fabricante, podem até causar danos a longo prazo. O mesmo cuidado vale para postos de combustíveis que vem “muito barato”, devido ao risco de estar “batizado” ou bombas com defasagem de quantidade. Um posto é bastante frequentado por frotistas e taxistas, em contrapartida, esse pode ser um indicativo de preços baixos e qualidade. Evite postos de estrada, que geralmente tem preços maiores.

O site Preço dos Combustíveis possui preços (muitas vezes atualizados) do preço de combustíveis de várias cidades do Brasil de diferentes postos, apresentado sua localização no Google Maps. Você pode usar o site desse outro link para estimar o gasto com pedágios e combustíveis marcando apenas a origem/destino, consumo e preço do combustível.

Fontes

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback