Destinos turísticos exóticos – parte 2 (Ásia)

Continuação do artigo sobre destinos exóticos (parte 1), agora somente lugares na Ásia. Fonte principal: Ezotrips.

Ilhas Kerguelen

Foto de rochas e mapa com localização das Ilhas Kerguelen

Foto de rochas e mapa com localização das Ilhas Kerguelen

O Arquipélago de Kerguelen é um dos lugares mais isolados do mundo. Fica no meio do Oceano Índico, a 750 quilômetros de distância da Ilha de Heard (ainda mais desolada). Foi utilizada como base para caçar baleias e elefantes-marinhos, atualmente milhares de animais (como colônias de 600 mil pinguins) dividem espaço com cerca de 80 pesquisadores e militares, que ficam por um ano estudando o arquipélago e afirmando a soberania francesa. O Rei da França na época, Luís XV, outorgou ao navegador, Chevalier Yves-Joseph de Kerguelen-Trémarec, a missão de investigar essas ilhas em 1772. Mesmo sem pôr os pés nas ilhas, Kerguelen retornou a França relatando que as mesmas eram desabitadas, com florestas, muita variedade de frutas e riquezas infindáveis, o que foi desmentido por expedições posteriores, sendo então conhecidas como Ilhas da Desolação. Só há um navio que visita o arquipélago, saindo da Ilha Reunião três vezes por ano, no verão, e leva quinze dias para chegar as ilhas, que mesmo nesta época do ano pode nevar, chover e fechar tudo numa cerração que pode durar horas.

Mongólia

Estepes áridas e monocromáticas que cobrem quase toda a Mongólia, um dos países mais isolados e menos povoados da Ásia. Porém, no extremo oeste existem planícies verdejantes onde vivem os cazaques, um povo nômade cuja principal atividade é criar cabras e iaques, uma espécie de boi selvagem asiático (suas fezes são usadas como carvão para cozinhar em algumas comunidades chinesas). Gengis Khan nasceu nessa região e unificou os povos mongóis, além de estender os domínios de seu império até a Europa e também atravessando a Muralha da China.

Timor Leste

Ocupa a parte oriental da ilha de Timor, no extremo sudeste da Ásia. Foi uma colônia portuguesa até 1975, quando foi invadido pela Indonésia. Em 1989, cerca de 80% do povo timorense optou pela independência em referendo organizado pela ONU. O idioma português é ensinado nas escolas, mas não é tão assimilado pela população devido à baixa assiduidade às aulas (autoridades culparam os velórios locais, que costumam durar sete dias). Os passeios envolvem Dili, capital do país, extensas plantações de café e milho, o mercado do vilarejo de Hato Builiko, a estátua da Virgem Maria no topo do Monte Ramelau, o vilarejo de Suai, uma travessia de barco pelo estreito de Wetar (baleias e golfinho podem ser vistos a poucos metros de distância) e a Ilha de Atauro (bom para prática snorkel e contemplar os bancos de corais) e um trekking pela mata fechada até o Monte Ariana.

Indochina (Vietnã/Camboja)

Baía Ha Long, Golfo de Tokín (Vietnã)

Baía Ha Long, Golfo de Tokín (Vietnã)

Ocupa uma península do sudoeste asiático e está dividida entre o Vietnã, o Laos e o Camboja. Um city tour por Saigon passa pelo Museu dos Crimes de Guerra, onde estão expostas peças do Guerra do Vietnã (fotos do massacre de My Lai, embriões humanos geneticamente deformados pela guerra química, peças de artilharia, bombas e armas de infantaria e até uma guilhotina). Os Túneis de Cu Chi foram utilizados pelos Vietcongues do sul durante a guerra, com mais de 320km de extensão, e possuíam cozinha, gráficas e sinalização. O bairro chinês de Cholón possui vários pagodes (um tipo de torre com múltiplas beiradas, muito utilizado em templos religiosos). A Baía de Halong possui três mil ilhotas negras e forradas de vegetação pontiagudas emergindo das águas cor de esmeralda do Golfo de Tonkín, escondendo em suas entranhas incríveis grutas escavadas pela força das ondas por séculos. O Angkor Wat, nas selvas do Camboja, é um vasto complexo de templos e de outras estruturas erigidas por volta do ano 1150 DC no estilo clássico da arquitetura Khmer.

Transiberiana

A maior ferrovia do mundo liga Moscow e Vladvostok, na Rússia, corta a região da Sibéria, cruza oito fusos horários, muda de continente e percorre mais de 10.000km. Vistas de lagos, montanhas e prédios históricos de dentro de um trem histórico. Veja mais aqui. Paulo Coelho, escritor brasileiro, escreveu um livro baseado em sua experiência de viajar por essa ferrovia em 2006.

Rota da Seda

Praça Naqsh-e Jahan (Teerã, Irã)

Praça Naqsh-e Jahan (Teerã, Irã)

Região que contém os países Cazaquistão, Quirguistão, Uzbequistão, Turcomenistão, Afeganistão e Irã, região que antigamente constituía o Império Persa. Muito utilizada como rota comercial entre Oriente e Ocidente, ainda possui fluxo constante de famílias nômades vagando pelas estepes desérticas da Ásia Central nas suas caravanas. Em Bishkek, capital do Quirguistão, as estátuas de Lênin estão por toda a parte, e em todas as praças da cidade pode-se ver dezenas de pessoas jogando xadrez. Em Teerã, capital do Irã, nos mais de 10 km de becos do Tehran Bazaar vende-se de tudo, e a praça Naqsh-e Jahan, uma das maiores do mundo, com Mesquita e Palácio. No Afeganistão, o foco é vivenciar os aspectos e dificuldades que o país vêm enfrentando na sua reconstrução, assim como a nova posição da mulher afegã no país.

Astana, capital do Cazaquistão.

Astana, capital do Cazaquistão.

Coreia do Norte

Somente estando lá para entender a visão distorcida de um povo isolado do mundo, manipulado pela tirania. Câmeras e filmadoras são restritas e o povo só fala coreano, e em geral são bem tímidos. Existe até um Arco do Triunfo em Pyongyang, capital do país, e o Grande Monumento Mansudae (estátuas gigantes dos grandes líderes do país). Veja mais nessa matéria do site G1: Brasileiros contam como é fazer turismo na isolada Coreia do Norte (um dos brasileiros nessa viagem disse “Me senti dentro do livro ‘1984’, de George Orwell. É um estado totalitário. Todas as pessoas pensam e agem igual”). Um turista fez uma excursão partindo da China de barco e para a capital de trem. Apesar de boa parte do percurso ser em uma van e existir uma vigilância grande por parte dos guias e policiais contra fotografias de certas áreas, é possível ver várias fotos muito interessantes da Coreia do Norte nesse link.

Veja também a parte 1 desse artigo, Antártida e outros destinos nos slides de Geografia.

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

2 Pingbacks/Trackbacks