Chaves e Chapolin

Chaves, ou como é conhecido no México, “El Chavo del 8″, começou antes mesmo de 1970, quando Chespirito pegava materiais sobre crianças que haviam sobrados de outras séries, para fazer um quadro, do seu até então programa, conhecido como Los Supergênios de la mesa Cuadrada. Este programa de Chespirito era um sucesso de aceitação de público, levando à Televisión Independente de México, ou Canal 8, aos primeiros níveis de audiência.

Após a fusão da Televisión Independete de México (Canal 8) e do Telesistema Mexicano (Canal 2), para formarem a Televisa, em 1973, Chespirito conseguiu que os quadros Chaves e Chapolin se transformassem em um programa solo.

turma_do_chaves

A trama de Chaves é muito simples. São adultos vestidos de crianças, que, de certo modo, mostram os adultos fazendo papéis de crianças e as crianças fazendo papéis de adultos.

Outro detalhe é a mistura do drama social e o humor sobre ela vivida em Chaves. Nenhuma das famílias é completa, com pai, mãe e filhos. Além disso, mostra o cotidiano destas famílias em um cortiço, sempre com os seus problemas sociais, mas levados com humor. Típico dos sul-americanos.

No Brasil

Já é de conhecimento que o programa Chaves veio para o Brasil, em especial para o SBT, como uma espécie de brinde pela compra de novelas mexicanas. Apesar da maioria dos diretores fossem contra a exibição de um programa em que os personagens são crianças representados por adultos e com um péssima qualidade de produção, Sílvio Santos mandou dublar nos estúdios MAGA.

Em 1984, no programa Bozo, finalmente Chaves foi ao ar pela primeira vez no Brasil com o episódio Caçando Lagartixas. Devido ao forte sucesso, em 1987 Chaves passou a ser exibido como um programa independente, sendo que a partir daí, vários episódios inéditos começaram a ser exibidos, sendo alguns até substituindo versões antigas de alguns episódios.

O primeiro episódio de Chapolin exibido no Brasil foi o “Cleptomaníaco”, em 1984. Um dos destaques da série no Brasil, como não podia deixar de ser, é a dublagem, como por exemplo, chamando o nosso herói também de Vermelhinho e de Polegar Vermelho!

Chapolin Colorado

Ou como é conhecido no México, “El Chapulín Colorado“! O herói que tem como característica a sua marreta biônica e a sua tradicional cor vermelha. Cor esta, que segundo o próprio Bolaños, poderia ter sido azul, amarelo, verde ou branco! A escolha do vermelho foi porque é o que melhor combinava com o chroma key, que é uma técnica de efeito visual muito usada na televisão, que consiste em sobrepor um imagem sobre a outra através de uma cor.

Chapolin pode ser considerado como um dos trabalhos pioneiros de Chespirito, que o tinha feito para que os outros atores o interpretassem como um filme, e que rapidamente foi rejeitado devido as características do personagem. O que foi bom, pois permitiu que o próprio Chespirito abandonasse esta ideia e o fizesse como um quadro em seu programa, dando vida ao famoso Vermelhinho. Semelhando ao acontecido com o Chaves, após a fusão dos Canais 8 e 2 para formarem a Televisa, ganhou um programa solo que se tornou um sucesso!

O super-herói latino americano também pode ser considerado como uma sátira dos heróis americanos, como batman, super-homem, capitão américa, entre outros… ao contrário destes, que são fortes, musculosos, altos, o Chapolin é um herói medroso, fraco e baixinho. O próprio Chespirito diz que isto é uma vantagem, pois o Polegar deve lutar, antes de tudo, contra medo e depois contra o bandido.

Ao contrário de Chaves, Chapolin ganhou um episódio final em 1979 no qual se conta a trajetória do vermelhinho. Neste episódio, o elenco resolve se despedir do herói. Além disso, 3 canções são tocadas: payasos, los astronautas e el Chapulin Colorado. Após este episódio, Chapolin passou a ser um quadro do programa Chespirito, exibido na década de 80.

Vilões do Chapolin

Vilões do Chapolin

Chespirito

Mesmo com o fim dos programas Chaves e Chapolin no início da década de 80, Chespirito não deixou de trabalhar. Sem a presença de Carlos Villagrán (Kiko) e Ramón Valdés (Seu Madruga), nesta época, Roberto Goméz Bolaños voltou a gravar quadros com diversos de seus personagens em um único programa, o Programa Chespirito.

Vários personagens, inclusive conhecidos dos fãs, voltaram a tona. Chômpiras, que fez diversas esquetes nos programas Chaves e Chapolin, teve um destaque especial. O antigo parceiro Peterete, interpretado por Ramón Valdés, foi substituído pelo Botijão, interpretado por Edgar Vivár.

Outros personagens também apareceram bastante, como o Dr. Chapatin. Mas também outros foram criados para fazer parte do programa, como Chaparron Bonaparte e Dom Caveira.

Com este programa, Chespirito tinha a liberdade de homenagear os artistas que gostava. Por diversas vezes, viu-se quadros em que copiava integralmente os personagens Charlie Chaplin e o Gordo e Magro (Stan Laurel & Oliver Hardy).

O quadro Chaves deixou de ser produzido em 1992 e, Chapolin, em 1994. O programa Chespirito deixou de ser realizado em 1995. Foi exibido no Brasil em 1997, na CNT (Gazeta), e em 2001 no SBT com o nome de Clube do Chaves.

Cartaz feito pela Televisa em 2011 em comemoração aos 40 anos de carreira de Chespirito

Cartaz feito pela Televisa em 2011 em comemoração aos 40 anos de carreira de Chespirito

Chaves animado

Com a produção do seu filho, Roberto Gómez Fernández, Chaves animado foi ao ar pela primeira vez no dia 21 de outubro de 2006 no México e em vários países de língua espanhola.

Quase todos os personagens da tão amada vila se encontram em sua versão animada. Eu disse quase, porque a Chiquinha não esta presente no desenho, em função da dificuldade de um acordo entre a equipe de produção do desenho e Maria Antonieta de las Nieves, detentora dos direitos e atriz que interpreta a Chiquinha.

No Brasil, a série animada estreou no dia 1º de Janeiro de 2007 no SBT com muita expectativa dos fãs brasileiros, pois muitos rumores cercaram sobre a dublagem! O SBT contratou o estúdio Herbert Richers para a dublagem, que inicialmente tinha a intenção de trocar todos os dubladores originais do seriado. Devido às reclamações dos fãs, a Herbert Richers resolveu manter os dubladores vivos. Porém, apenas Nelson Machado, dublador original do Quico, não conseguiu acordo com o estúdio, sendo substituído por Sérgio Stern.

Existe um canal do youtube com todas as músicas de fundo que tocaram nos episódios e vários episódios completos (clique nos respectivos links para vê-los). Veja se lembra dessa música:

Existe um podcast só sobre as obras de Chespirito, o Chavocast – clique no link para ouvir os episódios lançados. Veja também o post sobre os atores e seus respectivos personagens e dubladores clicando no link.

Esse texto foi escrito e organizado por Marcos “Snell” Vinícius Bueno de Morais, originalmente publicado em seu site, o canal 8. Mas por favor não caçoem dele. Talvez a vocês o trabalho dele pareça tolo, inútil, comum, vulgar… melhor parar por aqui que ele não gosta de ser elogiado em público. =P Brincadeira, ele é uma excelente pessoa e um grande amigo!

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

3 Pingbacks/Trackbacks