A história de Natal que não se conta

A história do Natal é tão antiga quanto a civilização e começou a ser comemorada para celebrar um fenômeno astronômico. O Papai Noel existiu e não se vestia de vermelho; atualmente mora perto do pólo norte. Conheça essas e outras verdadeiras histórias de Natal.

O Natal surgiu para celebrar o solstício de inverno, a noite mais longa do ano no hemisfério norte, que acontece no final de dezembro (geralmente dia 21). Dessa madrugada em diante, o sol fica cada vez mais tempo no céu, caracterizando o início do verão. Na Europa, com tradição de frio e num tempo em que o homem deixava de ser um caçador errante e começava a dominar a agricultura, a volta dos dias mais longos significava a certeza de colheitas melhores. Na Grécia antiga, China, Mesopotâmia, e outros lugares tinham celebrações por volta dessa data, lembrando que haviam diferentes calendários. Em Roma, havia a celebração de Mitra, o deus da luz, no 25 de dezembro. Ele chegou à Europa por volta do século 4 a.C., quando Alexandre, o Grande, conquistou o Oriente Médio. Centenas de anos depois, soldados romanos viraram devotos da divindade. Posteriormente, a religião cristã começou a crescer em Roma.

Gnomo de Yule ilustrado em cartão postal (Zazzle)

Gnomo de Yule ilustrado em cartão postal (Zazzle)

Os fiéis de Roma queriam arranjar algo para fazer frente às comemorações pelo solstício, bem ao estilo “sincretismo religioso”. Em 221 d.C., o historiador cristão Sextus Julius Africanus fixou o aniversário de Jesus no dia 25 de dezembro e a Igreja aceitou a proposta. A partir do século 4, quando o cristianismo virou a religião oficial do Império, o Festival do Sol começou a mudar de homenageado. “Associado ao deus-sol, Jesus assumiu a forma da luz que traria a salvação para a humanidade”, diz o historiador Pedro Paulo Funari, da Unicamp. Conforme o cristianismo foi se espalhando, outras culturas começaram a contribuir para os costumes de Natal. Por exemplo, a festa que os nórdicos faziam em homenagem ao solstício (Yule) tinha ceia com presunto, decoração de casas e árvores (pinheiros) e uma entidade sobrenatural que distribuía presentes (um gnomo).

Em uma das versões da origem do Papai Noel, um homem misterioso jogou sacos de moedas de ouro em uma casa com garotas muito miseráveis, no século 4 d.C, na região onde hoje é a Turquia. Esse dinheiro acabou servindo de dote para as mulheres se casarem e fugir da possível prostituição. O benfeitor era Nicolau de Myra, o bispo da cidade. Um século após sua morte, o bispo foi canonizado pela Igreja Católica e virou São Nicolau. Na Grã-Bretanha, passaram a chamá-lo de Father Christmas (Papai Natal), e na França, Pére Nöel, que quer dizer a mesma coisa e deu origem ao nome que usamos aqui. Na Holanda, o santo Nicolau teve o nome encurtado para Sinterklaas. Essa versão foi levada para a colônia holandesa de Nova Amsterdã (atual Nova York) no século 17 (daí o Santa Claus que os norte americanos adotariam depois).

Evolução do Papai Noel. Fonte: Paróquia São José

Evolução do Papai Noel. Fonte: Paróquia São José

Jesus quer ser lembrado na sua morte. Não tanto pela morte em si, mas pelo que ela representa, pois, como diz Paulo: “Porque se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente também o seremos na semelhança da sua ressurreição… porquanto quem morreu, justificado está do pecado” (Rm 6:5-7). Porém, o modelo econômico e seu consequente estilo de vida consumista fizeram a data transformar-se em um momento de dar presentes e gastar dinheiro. Até meados do século 19, a imagem mais comum dele era a de um bispo mesmo, mas em 1862, o desenhista americano Thomas Nast tirou as referências religiosas, adicionou uns quilinhos a mais, remodelou o figurino vermelho e estabeleceu a residência dele no Pólo Norte – para que o velhinho não pertencesse a país nenhum. Depois de 1931, ganhou fama mundial quando virou estrela de uma série de anúncios da Coca-Cola.

Endereço do Papai Noel:

Santa Claus
 FIN-96930 Arctic Circle
 Rovaniemi - Finlândia
 http://www.santaclausoffice.fi 

Veja ao vivo a aldeia do Papai Noel na Finlândia.

Fontes: Super Interessante e Neatorama (figuras de época ilustrando a evolução do Papai Noel).

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.
  • ELIANA

    Temos uma pequena Finlândia aqui no Brasil… fica em Gramado 🙂

    • viniroger

      A comunidade finlandesa de Penedo também montou uma vila do Papai Noel, parece ser interessante =)