A Boeing e o Jumbo

Esse artigo trata sobre a Boeing e alguns pontos importantes na história do desenvolvimento de aeronaves. Um dos modelos mais famosos de avião é o Boeing 747. Foi o maior avião do mundo, até ser ultrapassado pelo Antonov An-225, e o maior avião para passageiros por quase 40 anos, até o advento do Airbus A380. O modelo 747-400, a versão mais conhecida, está entre os mais rápidos aviões em serviço, com velocidade de cruzeiro de aproximadamente 913 km/h e um alcance geodésico aproximado de 13 450 km (alcance intercontinental). Essa versão, na configuração para transporte de pessoas, pode acomodar 416 passageiros (típica de três classes, comum em voos internacionais) ou 524 passageiros (típica de duas classes, comum em voos curtos e domésticos).

Um pouco sobre a Boeing

The Boeing Company é uma corporação multinacional norte-americana de desenvolvimento aeroespacial e de defesa. Fundada em 1916 por William E. Boeing em Seattle, Washington, para aproveitar o fornecimento local de madeira de abeto. A empresa expandiu ao longo dos anos, se fundiu com a McDonnell Douglas em 1997, e em 2001, a Boeing mudou sua sede de Seattle para Chicago, Illinois. Fabricou aviões para várias guerras em que os EUA participou. A empresa é o maior exportador por valor dos EUA, e suas ações são componentes do índice Dow Jones.

Em 1958, a Boeing começou a entrega do seu 707, primeiro jato comercial dos EUA, em resposta ao britânico De Havilland Comet, o francês Sud Aviation Caravelle e o soviético Tupolev Tu-104, que eram a primeira geração mundial de jatos comerciais. Com o 707 de quatro motores e 156 passageiros, os EUA se tornaram o líder na fabricação de jatos comerciais. Em 1967, a Boeing apresentou outro avião de passageiros de curto e médio alcance, o bimotor 737, que tornou se desde então a aeronave a jato mais vendida na história da aviação comercial. O 737 ainda está sendo produzido, e melhorias contínuas são feitas. Várias versões foram desenvolvidas, principalmente para aumentar a capacidade de assentos e o alcance. As cerimônias de lançamento para o primeiro 747-100 ocorreram em 1968, na nova fábrica gigante em Everett construída junto com os novos aviões. O avião fez seu primeiro voo um ano mais tarde, e o primeiro voo comercial ocorreu em 1970.

Jumbo da Nasa carregando o ônibus espacial Atlântis

Jumbo da Nasa carregando o ônibus espacial Atlântis

Um projeto importante dos anos 1980 foi o Space Shuttle (ônibus espacial), o qual a Boeing contribuiu com sua experiência em foguetes espaciais desenvolvidos durante a era Apollo (missão responsável por levar o homem à Lua). A Boeing participou também com outros produtos do programa espacial, e foi a primeira contratada para o programa da Estação Espacial Internacional.

Em abril de 1994, apresentou o bimotor 777, primeiro a apresentar o sistema fly-by-wire. Esse sistema permite que qualquer modificação da direção e do sentido de uma aeronave feita pelo piloto seja “filtrada” e repassada para as superfícies móveis: aileron, profundor, leme. Com esse filtro, é possível aumentar a velocidade de reação, aumentar a capacidade de manobra de um avião ou impedir que se faça manobras que ultrapassem os limites de uma aeronave.

Em 2009 realizou o primeiro voo do Boeing 787 Dreamliner, utilizando muito da tecnologia desenvolvida para o Sonic Cruiser (proposta de um jato que iria viajar logo abaixo da velocidade do som), mas para uma aeronave mais convencional projetado para a máxima eficiência. Inicialmente, a Boeing desejava concorrer com o Concorde na área de voos supersônicos (mais rápidos que o som) e o modelo 747 seria um transitório.

Boeing 747

B-747 utilizado como cargueiro

B-747 utilizado como cargueiro

Também era conhecido como Jumbo, esse era o nome de um grande elefante da savana africana cuja retratação sem precedentes na imprensa o tornou consagrado no mundo inteiro. Foi capturado na Abissínia em 1861, levado para um zoológico em Paris e depois outro em Londres, sendo posteriormente vendido e transformado em uma atração muito famosa. Morreu em 1885 após uma colisão com uma locomotiva no Canadá. Sua ossatura está exposta no Museu Americano de História Natural.

Sua criação foi um pedido da Pan Am, para voos de maior capacidade e autonomia. Primeiro widebody da história (aeronave de fuselagem larga, com dois corredores), mede duas vezes e meia o tamanho do Boeing 707. É um quadrimotor turborreator que apresentou a primeira configuração double decker (dois andares em parte da aeronave) para servir como um salão, primeira classe ou para lugares extras, e permitir que as aeronaves fossem facilmente convertidas em cargueiros através da remoção de assentos e pela instalação de uma porta de carga na sua parte dianteira.

O recorde de passageiros em um único voo foi a bordo de um boeing 747 da El Al, companhia aérea israelense. O transporte de 1088 pessoas (incluindo dois bebês nascidos a bordo) ocorreu durante a Operação Salomão, quando judeus etíopes foram retirados de Adis Abeba e levados para Israel. Os Falashas, uma comunidade judaica da Etiópia, estavam em sério risco, devido à guerra civil que arrasava o país. Após muita negociação, o ditador permitiu a saída do povo para Israel, mas já não estava no poder quando Israel mobilizou uma frota de aeronaves militares e civis para o resgate. Trinta e seis aeronaves israelenses participaram do resgate: 18 Lockheed Hercules C-130 e 9 Boeing 707 da Força Aérea de Israel, e mais 9 aviões civis da El Al: 3 Boeing 747, 4 Boeing 767 e 2 Boeing 757. Quase todos os aviões tiveram seus assentos removidos e foram configurados como cargueiros. A operação de resgate foi concluída em apenas 36 horas, e foi muito bem sucedida. nada menos que 14325 Falashas foram resgatados em segurança, entre os dias 23 e 24 de maio de 1991.

Transporte de passageiros em um Boeing 747 durante a Operação Salomão

Transporte de passageiros em um Boeing 747 durante a Operação Salomão

Outro recorde relacionado ao Boeing 747 é o de pior acidente da história da aviação mundial, ocorrido no Aeroporto de Los Rodeos, cidade de Tenerife, nas Ilhas Canárias. Dois Boeings 747, um da companhia holandesa KLM e outro da americana Pan Am, colidiram na tarde de 27 de março de 1977. O holandês decolava, o americano taxiava, em pista com denso nevoeiro quando o piloto da KLM tentou decolar inadvertidamente e, sem visual, colidiram, deixando um saldo de 583 mortos. Também participou do 2°, 3° e 5° piores acidentes.

O novo modelo 747-8 foi idealizado para torná-lo mais econômico e ecologicamente correto. Aumentando a asa e melhorando sua aerodinâmica, a nova relação entre sustentação e resistência economiza mais combustível. Também foi encomendado um novo motor mais leve, econômico e silencioso.

Veja mais sobre a Boeing e o novo modelo 747-8 (também chamado “traço 8”) nesse vídeo. Impressionante o tamanho da fábrica, o controle de peças, testes de balanceamento e o peso da pintura (mais de 500 kg!):

Compartilhe o link desse texto, mas se for copiar algum trecho, cite a fonte. Valorize nosso trabalho.
Mais informações na licença de uso do site.

Um Pingback/Trackback